Fechar
Buscar no Site

Bolsonaro cresce e encosta em Lula na corrida presidencial de 2018

O pré-candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSC), 62 anos, cresceu 7 pontos percentuais em relação a junho. Com 21% das intenções de voto, empata agora tecnicamente com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), 71 anos, que tem a preferência de 26% dos eleitores.

Os resultados fazem parte da pesquisa estimulada de intenção de voto para as eleições de 2018, realizada pelo DataPoder360 nesta semana. No 1º cenário testado, quando o pré-candidato do PSDB é Geraldo Alckmin, 64 anos, Bolsonaro é o único a apresentar crescimento fora da margem de erro.

Lula mantém a posição de favorito, mas apresenta queda no 2º cenário, em que Doria é o pré-candidato tucano (leia os dados mais abaixo). O Nordeste é a região na qual o petista tem mais força. Registra 42% das intenções de voto no cenário 1, quando Alckmin é o concorrente, e 39% no cenário 2 (quando disputa com Doria). É importante ressaltar que a pesquisa DataPoder360 deste mês foi realizada antes da condenação do petista pelo juiz Sérgio Moro no caso do tríplex.

A projeção de votos brancos e nulos teve queda de 4 a 6 pontos percentuais. Neste mês, 27% descartariam o voto. Esse cenário apresentou também uma redução no número de indecisos, caindo para 7%. Em junho, eram 12% os que não souberam ou não responderam.

Alckmin tem até agora o seu melhor desempenho na série do DataPoder360, iniciada em abril de 2017. O tucano surge com 10%, uma evolução de 6 pontos percentuais em relação a 2 meses atrás, quando pontuou apenas 4% (leia a pesquisa DataPoder360 de maio).

Na comparação com junho, não é possível afirmar que houve crescimento do tucano, mas uma oscilação positiva dentro da margem de erro. Em junho, o governador de São Paulo tinha 7% da escolha dos entrevistados.

A pesquisa DataPoder360 foi realizada nos dias 9 e 10 de julho de 2017. Foram entrevistadas 2.178 pessoas com 16 anos de idade ou mais, em 203 municípios. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

datapoder360-julho-cenario1

LULA CAI

No 2º cenário testado pelo DataPoder360, em que João Doria, 59 anos, é o nome do PSDB para presidente, Lula tem o pior desempenho da série iniciada em abril. O petista apresenta uma queda de 4 pontos percentuais e fica com 23% das intenções de voto –contra 27% de junho.

Além de Bolsonaro, quem também cresce nesse cenário é Marina Silva, 59 anos. A pré-candidata da Rede vai a 12% e empata na margem de erro com Doria, que tem 13%. A evolução de Marina foi de 6 pontos percentuais na comparação com o mês anterior.

João Doria se manteve no mesmo patamar desde a 1ª pesquisa feita pelo DataPoder360, em abril. Tem 13% das intenções de voto. Eleitores do Sudeste e do Sul são os que mais optaram pelo nome do tucano, 20% e 21% respectivamente. Nessas regiões, entretanto, Jair Bolsonaro é a preferência da maioria, com 53%. No Nordeste, o prefeito da capital paulista é escolhido por apenas 2% dos entrevistados.

Nos 2 cenários, o maior grupo de pessoas que responderam à pesquisa DataPoder360 é composto pelos eleitores indecisos e os que votariam branco ou nulo: até 34%. Desses, também a maior parte tem grau de instrução superior –chegam a 38%.

Esta rodada do DataPoder360 é útil para entender alguns movimentos dos pré-candidatos. Jair Bolsonaro tem sido mais crítico recentemente ao tucano João Doria e ao PSDB –afirmado que esse partido e o prefeito de São Paulo têm titubeado nas críticas a Michel Temer. Pode ser uma tentativa do candidato mais conservador até agora no páreo de tentar polarizar com a sigla que tende a ser sua principal adversária em 2018 –sobretudo em 1 cenário no qual Lula possa ficar de fora da disputa.

Já João Doria tem tentado ser mais incisivo nos últimos dias em relação à condenação de Lula pelo juiz Sérgio Moro. Mas o prefeito paulistano continua manietado pelo PSDB a respeito de críticas a Michel Temer.

datapoder360-julho-cenario2

REJEIÇÃO A PARTIDOS TRADICIONAIS

DataPoder360 apurou o potencial de voto de candidatos do PSDB e do PT. A rejeição aos tucanos chegou a 51%, um aumento de 4 pontos percentuais em relação a junho.

A marca dos que poderiam votar em 1 candidato do partido social-democrata também diminuiu. Agora são 14%. No mês passado, eram 18%. O eleitor fiel ao PSDB manteve-se em 6%.

datapoder360-julho-potencial-psdb

Candidatos do PT são rejeitados por 56% dos entrevistados, um aumento de 6 pontos percentuais na comparação com junho –a rejeição era de 50%.

Mas o eleitorado fiel ao Partido dos Trabalhadores é mais de 3 vezes maior do que o tucano: 20% dos entrevistados votariam com certeza em 1 candidato petista.

Os que admitem a possibilidade de escolher postulantes do PT somam 13%. Em junho, eram 21%. Com o aumento da rejeição (8 p.p.), é possível notar um fluxo de eleitores que antes consideravam o voto no partido e agora passaram a rejeitá-lo.

datapoder360-julho-potencial-pt

ELEITORES QUEREM MUDANÇA

O desejo de mudança para a eleição de 2018 é de 81% dos entrevistados. Eles responderam a seguinte pergunta: “Pensando na eleição do ano que vem, seu sentimento é mais de continuidade ou de mudança?”. Só 3% disseram preferir a continuidade.

O sentimento de mudança caiu 9 pontos percentuais. Na pesquisa DataPoder360de junho, era de 90% dos eleitores. O que aumentou foi o número de indecisos (16%). No mês passado, apenas 6% não souberam ou não responderam. O crescimento foi de 10 pontos percentuais. Os dados estão no gráfico abaixo:

datapoder360-julho-continuidade-mudanca

CONHEÇA O DATAPODER360

A operação jornalística que comanda o Drive e o portal de notícias Poder360lançou em abril de 2017 uma divisão própria de pesquisas: o DataPoder360.

As sondagens nacionais são periódicas. O objetivo é estudar temas de interesse político, econômico e social. Tudo com a precisão, seriedade e credibilidade do Poder360.

A aplicação da pesquisa é realizada pelo cientista político Rodolfo Costa Pinto, que tem uma parceria para fazer os levantamentos com exclusividade para o DataPoder360.

Leia a íntegra das pesquisas anteriores do DataPoder360 (abrilmaio e junho).

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

3 respostas para “Bolsonaro cresce e encosta em Lula na corrida presidencial de 2018”

  1. Mandioca disse:

    É o que eu te digo, a maioria da corja absolutamente desprovida de mínimos conhecimentos, que só enxerga o mundo através do olho cego e que tem muita, mas muita merda na cabeça, pode ver nesse vagabundozinho de merda alguma coisa que preste.

  2. antonio muniz disse:

    Deixemos de nos indignar em benefício de bandidos.
    Talvez que por ignorância ou quem sabe pelo excesso ideológico de uma parcela da população , que a posição de certas pessoas casa muito bem com as palavras do jornalista do jornal “El Pais” (Espanha) quando afirmou com certa dose de ironia, que nós(os brasileiros) não temos capacidade de indignação._ Temos o senso aguçado de submissão , por isso agimos e respondemos a esses sentimentos com a resignação dos tolos. Em nossa cultura, _se isso pode ser dado como cultura _ o agente público em situação de comando ,pode roubar , vilipendiar o quanto quiser e sempre estaremos prontos a bater palmas e dizer amém. Terminei de ler uma pequena postagem do advogado e professor de direito, o senhor João Damasceno que antes de tudo elogia a peça acusatória que teve como desfecho a condenação de Lula em primeira instância… Ora senhores , os crimes praticados por Lula e sua trupe são do conhecimento de todos,que obviamente estão incluídas nas peças acusatórias oriundas das delações dos mais proeminentes desviadores de recursos públicos das “Estatais” para a famosa Caixa 2 das campanhas que se desenvolveram a partir de 2002, e tiveram como ápice as eleições de 2014, em que elegeram os dois safadãos : Dilma e Temer. A aber, o presidente do Peru, foi preso por crimes muito menos graves do que os que constam nas acusações contra Lula e o PT. Será se os crimes de Eduardo Cunha , Zé Dirce , Genuíno e Leo Pinheiro são menores do que os praticados pelos moralista de esquerda? O acolhimento de Lula por parte da população e de seus comandados, isso sim gera impunidade e o povo brasileiro na sua inocência de cidadão comum começa a recitar as frases que nas décadas de 80,90 e 2000 dizia de Paulo Maluf: Ele rouba mais ele faz, como se o agente público não tenha que prestar conta de seus atos. Charles de Gaulle, estadista France (numa frase atribuída a ele) dizia: O Brasil não é um país sério.Agora é hora de que derrubemos esse mito. Ora se roubar é permitido, somente porque certo agente público empoderado promoveu algo que tenha beneficiado alguém, e isso pode ou deve ser interpretado com lenitivo a continuar a saga de desvios do que é público, isso é sinal de que os pressupostos de república se perderam por completo.Tudo leva a crer que Lula tenha praticado , ou no mínimo tenha conhecimento dos desvios de conduta de seus comandados, e isso o torna réu por omissão. Para isso , basta que olhemos pela janela e vejamos que o ex-presidente do Peru foi preso por receber donativos de campanha de um país estrangeiro, prática vedada em nosso sistema penal, assim como naquele país. Eu não compreendo porque vocês acham que Lula tem que ter tratamento diferente. O banditismo do Partido dos trabalhadores e de seu Papa, é uma afronta a todos os valores democráticos que se pode esperar das instituições e de seus cidadão. Inverter valores para beneficiar criminosos, é no mínimo um acinte que envergonhará todo o país e relega o Estado democrático de direito a reles instituição, e fere de morte os valores republicanos que por sorte podemos nos orgulhar de tê-lo. O juiz Sérgio Moro e sua equipe, assim como todos os magistrados envolvidos nesse processo tem se portado como verdadeiros vassalos da lei e de seus pressupostos.

  3. Inácio Augusto de Almeida disse:

    BOLSONARO REPETE O FENÔMENO JÂNIO QUADROS
    O pré-candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSC), 62 anos, cresceu 7 pontos percentuais em relação a junho. Com 21% das intenções de voto, empata agora tecnicamente com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), 71 anos, que tem a preferência de 26% dos eleitores.
    Os resultados fazem parte da pesquisa estimulada de intenção de voto para as eleições de 2018.
    O desejo de mudança para a eleição de 2018 é de 81% dos entrevistados. Eles responderam a seguinte pergunta: “Pensando na eleição do ano que vem, seu sentimento é mais de continuidade ou de mudança?”. Só 3% disseram preferir a continuidade.
    O POVO NÃO SUPORTA MAIS TANTA ROUBALHEIRA.
    Ainda este ano o povo estará nas ruas pedindo o julgamento de todos os recursos que estão dormindo nas gavetas dos tribunais e permitem que condenados continuem exercendo cargos eletivos, votando leis, aprovando orçamentos e praticando mais corrupção.
    O POVO ESTÁ CANSADO DE DE VER TANTA IMPUNIDADE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens