Fechar
Buscar no Site

Othelino é sequestrado na Base Aérea e é brutalmente espancado em São Luís

Othelino Nova Alves levou violenta surra do Major Pereira, após demolidor artigo publicado no Jornal Pequeno

Nesta quarta-feira (8), completam-se exatos 60 anos de uma trágica ocorrência na história recente da imprensa do Maranhão. O jornalista Othelino Nova Alves, de 48 anos, foi sequestrado na Base Aérea de São Luís e, em seguida, foi brutalmente espancado pelo chefe de Polícia do Estado, major José Pereira dos Santos, juntamente com outros policiais.

O atentado aconteceu dois dias depois de Othelino ter publicado, na capa do Jornal Pequeno, um artigo demolidor contra o major Pereira, intitulado “Honestidade?!”. Leia a notícia publicada, na época, na capa do Jornal Pequeno:

Acompanhado de capangas, o chefe de Polícia, Major José Pereira dos Santos, atacou a mão armada, nesta sexta-feira (8), na Base Aérea de São Luís, o jornalista Othelino Nova Alves, presidente do PTN no Maranhão. O atentado ocorreu no momento em que Othelino descia as escadarias do DC-4 prefixo PP-LER, do Loide Aéreo, procedente de Belém (PA), guiado pelo comandante Ildeu, coronel da Aeronáutica.

O chefe de Polícia, sr. José Pereira dos Santos, foi chamado na Assembleia Legislativa pelo deputado José Bento Neves de “chefe da contravenção penal no Estado” e o major não reagiu e muito menos quando foi criticado pelos membros da Federação das Indústrias, pela Ordem dos Advogados e pela Associação Comercial, no caso Fernando Borgneth.

No entanto, desta vez, para agradar a Paulo Duarte e seus apaniguados, o sr. Pereira achou por bem fazer um atentado contra Othelino. Desde meio-dia, o chefe de Polícia foi visto na Base Aérea, em companhia do delegado Hilmar Raposo e de vários capangas, junto aos tambores de gasolina do campo de aviação. Às 13 horas, houve o atentado.

Coronel da FAB é ameaçado de morte

Othelino chegara de Belém, onde fora acertar a vinda do general Tasso Serra a São Luís e estava no meio da escada do avião, ainda sob a responsabilidade do coronel Ildeu, quando se viu cercado pelo sr. José Pereira e seus comandados.

O comandante da aeronave, ao pedir ao chefe de Polícia que não fizesse aquilo com o jornalista, foi ameaçado de morte. De revólver em punho, o sr. José Pereira ordenou ao coronel que não descesse um degrau da escada do avião, sob pena de receber um tiro.

Depois de dominado, o jornalista foi posto num jeep e levado para o mato, onde foi espancado brutalmente pelo chefe de Polícia e pelos seus capangas. Após o atentado, os autores do crime ainda conduziram a vítima para a Policlínica Santa Helena, onde inclusive lhe foram feitas várias ameaças. Na Policlínica, na tarde desta sexta-feira (8), Othelino foi visitado por muitos homens de brio de nossa terra, inclusive o Coronel Colares, o deputado Viana Pereira e o dr. João Matos.

Todas as pessoas que viram o jornalista condenaram o brutal atentado e são unânimes em declarar que deve haver uma providência para acabar com tais abusos.

(Texto extraído dos originais do livro “Othelino: um herói da imprensa livre”, que será lançado em São Luís no próximo mês)

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens