Fechar
Buscar no Site

Dois homens são condenados pela prática de homicídio em Riachão

Tribunais do Júri ocorreram nos dias 5 e 7 de outubro

O Tribunal do Júri da Comarca de Riachão condenou, em 5 de outubro, Helton da Silva Dias a 7 anos e 9 meses de prisão pelo assassinato de Vando Pereira, na tarde do dia 1º de janeiro de 2014. O crime foi cometido no povoado Baixa Verde, zona rural do município de Feira Nova do Maranhão (termo judiciário da Comarca de Riachão), no estabelecimento conhecido como bar do Moacir.

Helton da Silva foi condenado pela prática de homicídio simples. De acordo com a investigação, a vítima foi atacada com golpes de punhal quando bebia com amigas no referido bar. Hélton e Vando possuíam uma desavença anterior.

FEMINICÍDIO

No dia 7 de outubro, Deusvaldo Nunes de Sousa foi condenado a 20 anos de reclusão por ter matado a sua companheira Margareth Paulo da Silva com golpes de faca. O crime foi perpetrado no dia 3 de agosto de 2020, por volta das 22h, na Fazenda Axixá, localizada nas proximidades do Rio Pico, na zona rural de Riachão.

O Conselho de Sentença condenou o réu por homicídio qualificado, por ter cometido o crime no contexto de violência doméstica e familiar contra a mulher e com recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa da vítima.

Consta dos autos que no momento do crime, estavam Deusvaldo e Margareth na Fazenda Axixá, quando Thiago Raimundus e Noemia, proprietários do estabelecimento, passaram a ouvir da residência dos caseiros gritos e choros infantis. As testemunhas perceberam que Margareth gritava desesperadamente por socorro, enquanto seu filho, de aproximadamente dois anos, chorava copiosamente.

Thiago dirigiu-se à porta da residência do caseiro e passou a chamar por Deusvaldo, sendo completamente ignorado pelo funcionário e, a poucos metros da porta, avistou Margareth, ofegante, gritando por socorro.

Após se deslocar à fazenda vizinha, onde comunicou o que acabara de presenciar ao proprietário Odorico Nunes da Silva, Thiago retornou junto com Odorico à fazenda de origem, adentrando na residência dos caseiros, onde encontrou Deusvaldo e Margareth caídos no chão do quarto do casal.

Ao lado do filho que ainda chorava, Margareth já não apresentava sinais vitais, enquanto Deusvaldo foi levado ao Hospital de Nova Colinas e, posteriormente, transferido para o Hospital de Balsas. Somente após ser atendido, foi preso em flagrante delito.

Pelo Ministério Público do Maranhão atuou nas sessões o promotor de justiça Adoniran Souza Guimarães, da Comarca de Riachão. Proferiu as sentenças o juiz Francisco Bezerra Simões.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens