Fechar
Buscar no Site

CIDADE OPERÁRIA: Idosa morre após ser atingida por tiro ao manusear pistola de PM reformado

Vítima é cunhada do militar e estava arrumando o quarto dele, quando acabou mexendo na arma e foi baleada na cabeça

Pistola manuseada pela idosa é do mesmo calibre desta da foto

No início da noite de quarta-feira (14), por volta das 18h30, uma verdadeira tragédia se abateu sobre uma residência da Unidade 205, no bairro da Cidade Operária, em São Luís. A idosa Maria Tereza Costa Araújo, de 70 anos, foi atingida por um tiro acidental na cabeça, quando limpava um quarto do imóvel e manuseou uma pistola calibre 765, pertencente ao cunhado dela, que é policial militar reformado.

Segundo informações recebidas pelo Jornal Pequeno, a ocorrência foi comunicada à Polícia Militar pela irmã da vítima e mulher do policial militar reformado. Foi repassado que a idosa teria ido arrumar algumas coisas no quarto do casal, local onde estava guardada a arma, momento ao qual Maria Tereza acabou mexendo na arma e foi atingida acidentalmente por um disparo, na cabeça.

Logo após o disparo, ainda de acordo com o que foi apurado pelo JP, a vítima foi socorrida e levada para o Hospital Municipal Dr. Clementino Moura, o Socorrão 2, em estado grave.

Do Socorrão 2, Maria Tereza foi transferida para o Hospital Municipal Djalma Marques, o Socorrão 1, por se tratar de um caso que necessitava ser tratado por um neurocirurgião – profissional que atende na unidade de saúde localizada na região central de São Luís, conforme apurado pela reportagem. Ela chegou ao Socorrão 1 por volta das 22h, onde ainda chegou a ser atendida, mas faleceu pouco depois da meia-noite dessa quinta-feira (15).

PISTOLA APREENDIDA

Uma guarnição da Polícia Militar foi enviada ao local do fato, tendo sido constatado que o militar não se encontrava em casa, quando ocorreu o tiro acidental. A equipe policial apreendeu a pistola do PM reformado, uma Taurus calibre 765, além de sete munições intactas e uma deflagrada; que foram levados para Plantão Central da Cidade Operária.

A mulher do policial e mais outra que estava na casa, durante o disparo acidental, também foram levadas para prestar depoimento no Plantão da Cidade Operária. O caso seguirá sendo investigado pela Polícia Civil, por meio da Superintendência Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP).

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens