Fechar
Buscar no Site

Os desafios das instituições de ensino com a evasão escolar na pandemia

Especialista destaca o processo de transformação e adaptação no ensino

A coordenadora do Curso de Administração do Centro Universitário Estácio São Luís, Midori Oshima, analisa esse processo de transformação na educação

A esperança do mundo inteiro pela volta da rotina pré-pandemia cresceu com o início da vacinação contra a Covid-19. O ano de 2020 foi um verdadeiro desafio e a pandemia trouxe uma nova forma de viver a vida. Na educação não foi diferente, toda a comunidade escolar teve que discutir, avaliar as suas metodologias e conteúdos. Definir qual a melhor plataforma para o ensino remoto, preparar os professores e alunos para usarem essas ferramentas, bem como capacitar os educadores para que pudessem usar esses recursos para manter as aulas atrativas e dinâmicas.

“Para uma instituição grande como a nossa, que envolve centenas de professores e milhares de alunos, foi uma grande batalha contra o tempo para que as aulas não fossem comprometidas. Hoje, nosso maior desafio não está propriamente em nossas mãos que é a disponibilidade de internet e eletricidade (tanto para nós quanto para os alunos) para que as aulas aconteçam”, contou a mestre e coordenadora do Curso de Administração do Centro Universitário Estácio São Luís, Midori Oshima.

Para se adequar a este novo modelo de ensino Midori destacou a importância da utilização de recursos online e Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), que já eram debatidas e uma tendência para a educação. “O que tivemos com a pandemia foi a abreviação para sua utilização de forma generalizada e maciça. Assim, os professores tiveram que aprender mais rapidamente sobre as possibilidades dessa nova tendência, que se tornou a realidade vivida. Os professores, na maioria, incluídos digitalmente tiveram que se adequar buscando o aperfeiçoamento das TICs ditas elementares e todos os professores tiveram que se capacitar para esse novo contexto”, pontuou.

EVASÃO ESCOLAR

Uma preocupação constante da comunidade escolar é com a evasão dos alunos, principalmente na pandemia. De acordo com o Sindicado dos Estabelecimentos de Ensino no Estado do Maranhão (Sinepe-MA), somente ano passado, no período de março a outubro, aproximadamente 700 alunos foram desligados, por conta da Covid-19, no ensino infantil, fundamental e médio.

Segundo Midori é necessário pensar em ações para evitar a evasão, não só no âmbito acadêmico, mas também administrativo. “Na nossa instituição, oferecemos um sistema robusto com os nossos serviços de forma a proporcionar comodidade ao aluno, assim como já tínhamos, muito antes da pandemia, uma plataforma virtual de sala de aula da qual o aluno poderia acessar o conteúdo online da disciplina e material didático complementar, biblioteca virtual, exercício online, etc”.

Outros recursos, segundo a especialista, são programas de reforço acadêmico que auxiliam o aprendizado. “Disponibilizamos material de apoio para auxiliar os alunos em seus estudos e criamos aplicativos para preparação de exames de qualificação, comodidade em algum serviço prestado pela instituição, enfim desenvolvemos um leque de meios pensando no aluno, pensando em uma prestação de serviço superior, diferenciado e de qualidade”, avaliou.

Para os alunos que têm dificuldade no ensino remoto, a disciplina e foco devem ser os princípios para esse modelo. “Muitos estímulos estarão disponíveis para o aluno durante a aula, o cachorro latindo, a televisão ligada, o filho pedindo atenção, a novidade do vizinho, coisas que em um ambiente de sala de aula física seria suprimido”, ressaltou Midori.

Por isso, é priorizar o momento da aula e para desenvolver o processo de aprendizado. “O aluno pode adotar algumas medidas para o momento da aula como: escolher um local mais apropriado, calmo e livre de ruído, se munir do seu material de apoio como caderno, caneta ou livro, vestir-se de forma confortável e apropriada para o caso de ter que ativar sua câmera, deixar ao alcance água para beber, e se precaver com fones de ouvido reserva se tiver, deixar seu dispositivo com a bateria carregada”.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens