Fechar
Buscar no Site

Placas alertam para presença de ladrões em mata da Caema, na Avenida dos Franceses

Sinalização foi colocada por morador do São Cristóvão, na tentativa de chamar atenção da polícia e para avisar pessoas que usam os pontos de ônibus da região

LUCIENE VIEIRA

Uma das placas fica bem ao lado de uma parada de ônibus, com a finalidade de alertar, justamente, os usuários do transporte coletivo (Fotos: Gilson Ferreira)

Uma ordem passou a ser conhecida e temida pelas pessoas nos pontos de ônibus, na Avenida dos Franceses, na altura do bairro do São Cristóvão: “Já é a hora”. Essa é a forma mais comum dos assaltantes, segundo uma passageira que, com medo de ser novamente vítima deles, por volta das 10h30 da manhã, esperava pelo coletivo no canteiro central da avenida, em vez de aguardar o coletivo no ponto normal de espera. A usuária do transporte público, que não quis se identificar, ao perceber um ônibus se aproximando, correu para chegar do outro lado da pista, onde estava a parada, na tentativa de solicitar seu embarque ao motorista. O primeiro esforço foi frustrado, mesmo a passageira tendo arriscado sua vida ao correr na via com vários carros trafegando velozmente.

Toda a situação da usuária era observada pela equipe de reportagem do Jornal Pequeno. Depois de alguns minutos, o repórter fotográfico decidiu ir até ela e acompanhá-la na travessia, e ficou com a passageira na parada do ônibus até que o coletivo chegasse. E foi assim que a usuária do transporte público finalmente conseguiu embarcar. “Eu sempre fico no canteiro da avenida. Quando vejo o ônibus que preciso pegar, eu corro para a parada. Se não consigo pegá-lo, volto para o canteiro. Já fui assaltada, e no episódio eles (os assaltantes) disseram: ‘já é a hora’, após terem me observado sozinha, resolvendo sair do mato, e me atacar”, disse a passageira.

As outras duas ficam um pouco mais distante, chamando atenção para a existência de ladrões na mata da Caema

Na tentativa de alertar aos desavisados, três placas foram colocadas em árvores, nesse trecho da Avenida dos Franceses, informando sobre a presença de ladrões na mata da área pertencente à Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema). Quem trabalha ou reside próximo à mata disse que os assaltos ocorrem todos os dias. “Anteontem (quarta-feira, 4), um homem com uma faca saiu do mato e foi em direção de duas moças, que estavam no ponto de ônibus. Elas, ao verem, saíram às pressas da parada, correndo para o canteiro da via, e deixando para trás sacolas com seus pertences. O suspeito voltou para o mato, levando com ele as sacolas. Isto ocorreu às 19h30”, contou Gerson Ferreira, que é frentista no Posto Joice.

“Assaltos já viraram rotina nesta avenida. Mas o sábado é o dia da semana favorito dos assaltantes. E mulheres as vítimas prediletas deles”, contou Jaime da Silva, que trabalha em uma lanchonete. “A arma mais utilizada, quase que unanimemente, é a faca. Eles agem sozinhos, em dupla, ou em grupo”, informou Emanoel Silva, que trabalha em uma loja de sucatas. Tanto para Jaime quanto para Emanoel, a solução para o fim dos assaltos seria a construção de um muro no terreno que supostamente faz parte da Reserva do Batatã. Há quem diga que, inclusive, dentro do mato já existiriam camas para os assaltantes dormirem.

Para tentar se prevenir contra os assaltos, passageiros esperam o ônibus no canteiro da avenida

As três placas estão localizadas numa distância de uns ciquenta metros entre elas, no sentido rodoviária/aeroporto, logo após uma curva bastante acentuada da Avenida dos Franceses – depois alguns metros da rodoviária de São Luís. Uma placa está fixada em uma árvore grande, outra fica bem perto de uma parada de ônibus e a outra mais à frente.

Segundo as pessoas entrevistas pelo JP, foi um morador do São Cristóvão quem colocou as placas, há alguns meses. Também foi informado que as viaturas apenas circulam pela via. Mas, para os entrevistados, devido à necessidade de reforço na segurança nos locais indicados pelas placas, a polícia poderia estacionar seus carros, e inibir a ação dos assaltantes.

Uma das placas, colocada em uma árvore, chama os ladrões de “predadores de gente”

OUTRO LADO

Sobre a segurança no São Cristóvão, por meio de nota, a Polícia Militar do Maranhão (PMMA) informou que o 6º BPM realiza ações preventivas e ostensivas em toda área do bairro. E que o policiamento ocorre por meio de patrulhamentos com viaturas do Grupo Tático Móvel (GTM) e equipes de motocicletas da Albatroz. Foi informado ainda que, entre os trabalhos executados na região, estão a abordagem a veículos e pedestres em situação suspeita. A PM reforçou que denúncias ou eventuais ocorrências podem ser registradas pelo telefone 190.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens