Fechar
Buscar no Site

Escavações em Israel trazem novas informações sobre época do Sinédrio

O local está aberto ao público para fazer um tour e participar de uma série de eventos durante o Hanukkah para a Semana do Patrimônio de Israel.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO JPATUALIZADO: QUARTA-FEIRA, 1 DE DEZEMBRO DE 2021 10:26
Primeiro edifício descoberto em Yavne desde a era do Sinédrio. (Foto: Emil Aladjem / Israel Antiquities Authority)
Primeiro edifício descoberto em Yavne desde a era do Sinédrio. (Foto: Emil Aladjem / Israel Antiquities Authority)

As descobertas da escavação que trazem informações sobre o sinédrio em Yavne foram iniciadas pela prefeitura do município em parceria com a Autoridade de Antiguidades de Israel e Autoridade Territorial de Israel. Elas indicam que os ocupantes desta casa mantinham leis kosher e outras leis de pureza judaicas.

Isso foi evidenciado pela presença de “copos de medição”, vasos identificados com os judeus no final da era do Segundo Templo que eram usados ​​para manter a pureza ritual.

Mas outro achado impressionante foi encontrado a apenas 70 metros de distância: um cemitério que data do mesmo período. No topo dessas tumbas havia mais de 150 frascos de vidro.

“Encontramos dezenas de tumbas cuidadosamente dispostas em distâncias definidas, o que provavelmente indica a existência de uma ‘sociedade funerária’ – algum órgão oficial responsável pelo sepultamento”, disseram os diretores de escavação de Yavne da Autoridade de Antiguidades de Israel, Pablo Betzer e Daniel Varga em um comunicado.

“Existem diferentes tipos de tumbas: algumas são caixões (sarcófagos), que são feitos principalmente de pedra com um caixão de chumbo.”

Um caixão é visto em um cemitério que remonta aos dias do Sinédrio em Yavne. (Foto: Yaniv Berman / Israeli Antiquities Authority)

Os diretores de escavação acrescentam que “com base na localização do cemitério, ele provavelmente foi estabelecido fora dos limites da cidade, de acordo com a lei judaica e romana. Os indivíduos enterrados eram judeus ou pagãos? É muito cedo para dizer, já que não há símbolos étnicos nos caixões. Com a devida cautela, os registros históricos e achados arqueológicos levantam a possibilidade de que se trate dos túmulos da comunidade judaica da cidade. Se esta hipótese estiver correta, então pelo menos algumas das tumbas, talvez as mais elaboradas, podem pertencer aos sábios de Yavne, contemporâneos de Rabban Yohanan ben Zakkai, Rabbi Akiva e Rabban Gamliel.”

Sobre a presença dos frascos de vidro, de acordo com a chefe do departamento de vidro da Autoridade de Antiguidades de Israel, Dra. Yael Gorin-Rosen, a natureza dos frascos em si não era estranha, mas sua colocação sim.

“Os frascos provavelmente eram usados ​​para manter líquidos preciosos, como óleos aromáticos. Cerca de metade deles foi produzida localmente e a outra metade foi importada de Alexandria, no Egito”, explicou ela.

“Frascos desse tipo foram recuperados em escavações em cemitérios judeus e pagãos do primeiro ao terceiro século EC. É um mistério porque os frascos foram colocados fora dos túmulos em Yavne e não dentro deles, como era de costume”.

História judaica

A cidade de Yavne tem uma rica história judaica, como um ponto vital na Revolta Macabeia contra o Império Selêucida na história de Hanukkah.

No entanto, ele realmente ganhou destaque após o fim da era do Segundo Templo.

A literatura rabínica conta a história de Rabban Yohanan ben Zakkai, um importante sábio religioso que viveu em Jerusalém. O exército romano, liderado pelo general Vespasiano, sitiou a cidade, e os zelosos defensores se recusaram a ceder.

Como diz a lenda, Ben Zakkai foi contrabandeado para fora da cidade após fingir sua morte e foi para o acampamento romano. Ele foi à tenda de Vespasiano, onde previu que o general se tornaria o imperador – e de fato ele se tornou, e quase imediatamente foi informado por um mensageiro.

Ben Zakkai recebeu um desejo de Vespasiano, antes de poupar o Segundo Templo. Seu pedido foi: “Dê-me Yavne e seus sábios.”

Desde então, Yavne se tornou o centro da vida judaica por muitos anos, até a Revolta de Bar Kochva. Sob a liderança de rabinos proeminentes como ben Zakkai e Rabban Gamliel, Yavne se tornou o lugar onde o próprio Judaísmo sobreviveu e prosperou depois que o Segundo Templo foi destruído.

“Esta é uma voz direta do passado, do período em que a liderança judaica resgatou os fragmentos remanescentes da queda do Templo, foi para o exílio em Yavne e começou a restabelecer o povo judeu lá”, disseram Betzer e Varga desta descoberta.

Descoberta aberta ao público

Como parte da Semana do Patrimônio de Israel, que será celebrada em todo Hanukkah, o local da escavação de Yavne será aberto ao público, com tours levando os visitantes aos muitos achados da área, incluindo a escavação da maior instalação de produção de vinho da era bizantina já encontrada.

Centenas de outros eventos estão sendo realizados em todo o país em um total de 24 locais históricos. Organizados pela Autoridade de Antiguidades de Israel, Autoridade de Parques e Natureza, Ministério do Patrimônio e Jerusalém, Biblioteca Nacional de Israel, Yad Ben Zvi e o Conselho para Conservação de Locais do Patrimônio de Israel, esses eventos serão abertos a dezenas de milhares de pessoas.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens