Fechar
Buscar no Site

Texto do Pr. Sérgio – Publicado na PG do dia 01/08/2021

JOSÉ, DE ESCRAVO A GOVERNADOR DO EGITO.

“Vós, na verdade, intentastes  o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer , como vedes agora , que se conserve muita gente em vida.” (Gn. 50: 20).

Esse texto, faz parte da narrativa de Gênesis a respeito da vida de José, que vai, da condição de vendido como escravo pelos próprios irmãos a governador do Egito.
Às vezes, enfrentamos dificuldades na vida em que parece que tudo conspira contra nós e a única coisa da qual temos certeza é que o nosso fim é uma realidade iminente. Foi assim com José. Porém, precisamos aprender com essa história que, as adversidades fazem parte do processo de Deus para cumprir os Seus propósitos em nossa vida. Senão vejamos:
José foi odiado por todos os seus dez irmãos mais velhos, que intentaram matá-lo. Porém, um deles, convence os demais irmãos a não derramarem o sangue do próprio irmão, mas , ao invés disso, livrarem-se dele vendendo-o como escravo para uma caravana de midianitas.
Com isso José vai parar na casa de Potifar, que o coloca como mordomo de sua casa.  Mas, a mulher de Potifar  tenta seduzir o jovem José e investe contra ele para o possuir, rasgando-lhe as roupas. José deixa as suas roupas nas mãos da mulher e foge nú. A mulher então, sentindo-se rejeitada, acusa José de tentativa de estupro.
Em razão disso, José é preso.
Na prisão ele interpreta os sonhos de dois servos da casa de Faraó: o padeiro e o copeiro de Faraó.
Os sonhos se cumprem, mas o copeiro, que volta a entregar o copo nas mãos de Faraó, esquece de José.
Todavia, Faraó teve dois sonhos que ninguém em sua corte conseguia interpretar.
O copeiro, então, nesse momento, lembra-se de José e o indica para Faraó, pois, ele havia interpretado e acertado na interpretação do sonho dele e do padeiro.
Faraó manda tirar José da prisão e o chama em sua corte.
Por interpretar acertadamente os sonhos de Faraó, José é nomeado governador do Egito por Faraó.
Toda a terra é assolada por uma grande fome em razão da escassez de alimentos. Mas, por causa da boa administração de José, o Egito era o único lugar da terra onde se poderia encontrar alimento com abundância e os irmãos de José são obrigados a irem ao Egito para comprar alimento, todavia, José não se deixa reconhecer por seus irmãos. Ele consegue reter no Egito um de seus irmãos e diz que só o liberaria com a presença dos pais.

CONCLUSÃO –  Tudo o que aconteceu a José fazia parte do propósito de Deus para ele. E José então, ao deixar-se conhecer pelos irmãos, lhes dirige essas palavras que está em Gn. 50: 20.
Não é diferente conosco hoje. Assim, quando estivermos passando por grandes aflições, perseguições e sofrimento, saibamos que tudo isso é necessário para que, no final, a vontade soberana do Eterno, que é boa, perfeita e agradável, se cumpra em nossa vida. Pare e pense nisso! (Pastor Sérgio Lima, escravo de Cristo por causa da Cruz. Escravo alforriado, mas escravo).

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens