Fechar
Buscar no Site

Texto do Pr. Sérgio, publicado na PG do Jornal Pequeno do dia 06/06/21

A CIDADE CONSTRUÍDA POR CAIM E OS CASTELOS DE AREIA CONSTRUÍDOS PELOS HOMENS.

“Retirou-se Caim da presença do Senhor e habitou na terra de Node, ao oriente do Éden. E coabitou Caim com sua mulher; ela concebeu e deu à luz a Enoque. Caim edificou uma cidade e lhe chamou Enoque, o nome de seu filho” (Gn. 4: 16, 17).

O texto nos dá conta que Caim foi morar na terra de Node, ao oriente do Éden, para afastar-se tanto quanto pudesse, da presença de Deus. Ali sua mulher concebeu e deu à luz a Enoque. E Caim construiu uma cidade e pôs o nome nessa cidade por ele construída de Enoque, o mesmo nome de seu filho. A cidade de Enoque, assim como a terra de Node, não aparece mais em nenhuma outra parte da Bíblia, e a sua localização, é totalmente desconhecida.
A cidade construída por Caim, era um lugar no qual onde ele pudesse se encastelar e, longe do Senhor, viver para si mesmo, sem qualquer intervenção do Eterno na sua vida.
E vivendo assim, longe da presença de Deus, ele (Caim) se achava permitido a continuar no pecado (ele já havia assassinado o seu irmão, Abel) sem ser incomodado pelo Todo Poderoso.
Fugindo do Senhor, Caim se mistura à pecaminosidade e hostilidade do mundo caído e chafurdado no pecado.
A cidade construída por Caim era pois uma declaração da rejeição absoluta do senhorio de Deus na sua vida.
A exemplo de Caim, não são poucos os que, nos nossos dias, constroem os seus castelos de areia para, distantes de Deus, viverem para si mesmos e para a satisfação da carne e dos seus desejos pecaminosos.
Porém, o que esses não percebem é exatamente isso: “os seus castelos são de areia.”
E como toda construção em terreno arenoso, esses castelos de areia não resistirão à primeira tempestade, desabando e arrastando, junto com o seu desabamento, os sonhos e desejos patrocinador pelo pecado.
Portanto, a melhor forma de resolver a questão do pecado, não é o distanciamento e isolamento de Deus, mas uma confissão e sincero arrependimento, numa absoluta rendição a Cristo, Aquele em quem os nossos pecados foram castigados e removida a nossa culpa.
Assim, pois, “já não há mais nenhuma condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus.”
Pare e pense nisso! (Pastor Sérgio Lima, escravo de Cristo por causa da Cruz. Escravo alforriado, mas escravo).

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens