Fechar
Buscar no Site

Texto do Pr. Ivan Moutinho, publicado na PG do dia 06/06/21

AME A DEUS, AME TAMBÉM A SEU IRMÃO
7 – Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. 8 – Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. 9 – Nisto se manifesta o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos. 10 – Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados. 11 – Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros.12 – Ninguém jamais viu a Deus; se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeito o seu amor.13 – Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito. 14 – E vimos, e testificamos que o Pai enviou seu Filho para Salvador do mundo. 15 – Qualquer que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus está nele, e ele em Deus. 16 – E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. 17 – Nisto é perfeito o amor para conosco, para que no dia do juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos nós também neste mundo. 18 – No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor. 19 – Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro. 20 – Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? 21 – E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão. (I João 4:7-21)
João o evangelista escreve uma carta de amor endereçada à igreja de Cristo. João fôra discípulo de João Batista, o qual pregava no deserto e  convocava todos ao arrependimento referindo-se àqueles que o ouviam como  “raça de víboras”. O mesmo conteúdo da pregação de Jesus: “Arrependei-vos porque é chegado o reino dos céus.” João, irmão de Tiago, tornou-se  reconhecido como o apóstolo do amor que, assim, discorre ensinando do Amor de Deus com  clareza e  simplicidade, sem deixar de ser firme com os que teimam  em não amar, lembrando, a estes, o Dia do Juízo quando haverá condenação eterna. Afinal, quem não ama não conhece a Deus e Deus não o conhece. (v.8)
Portanto o amor verdadeiro é a marca inconfundível da igreja e faz distinção diante de Deus no Céu e, também, na Terra  nos nossos relacionamentos neste mundo, principalmente no trato entre aqueles que se dizem irmãos, filhos de Deus, os que creram e são guiados pelo Espírito. Costumo dizer que na igreja reunida é que temos  a “grande oportunidade” para o exercício da fé em Deus, esperança em Cristo e vivenciarmos o amor verdadeiro. Infelizmente Deus sabe, e nós, também sabemos quando a nossa fé não produz nenhuma boa obra do reino, a nossa esperança concentra-se nas coisas deste mundo, e falsificamos o amor, fingindo que amamos ao nosso irmão. Assim ocorrendo Deus flagra o nosso apego ao mal (Romanos 12.9), estaremos irrecomendáveis (II Corintios 6.6) pela desobediência à verdade.(I Pedro 1.22), indignos, “raça de víboras”, que não dignificam o nome de Jesus.
Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.(v.15). Os fiéis formam  a família de Jesus –  minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a executam. (Mateus 12.46-50, Marcos  3.31-35, Lucas 8.21). O amor de Deus em nós transforma e aperfeiçoa o caráter à semelhança de Jesus o  Filho de Deus. Se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeito o seu amor.(v.12).
Não devemos ser incoerentes se dissermos que amamos a Deus que é invisível, como podemos dizer que amamos nosso irmão a quem vemos? (v.20). O amor fingido é ódio velado. Se fingirmos, estaremos pecando, seremos mentirosos, e o mentiroso de forma alguma está habilitado ao Céu.  Qual a nossa paternidade? Com quem temos semelhança? Somos pela Verdade ou compactuamos com a mentira? No dia do Juízo o Senhor Jesus fará a prova do DNA (Deus Não Aceita). Somos filhos de Deus ou filhos do diabo? “- Mas, quanto… a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte. (Apocalipse 21:8). O Amor verdadeiro  é a  Graça concedida manifestada em Jesus, o filho amado de DEUS. Mas o Amor não afasta a condenação eterna. Por isso é que João diz: O Amor lança fora o medo … (v.18), o medo do Juízo de Deus. Portanto, ame a Deus e ame, também, a seu irmão,  ame sua família, ame as pessoas. Isso é muito bom!
Pr. Ivan Moutinho – ibboavista – Timon- MA

 

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens