Fechar
Buscar no Site

Médica de programa contra Covid na Índia é processada por dizer que “Jesus cura”

A cristã Sandhya Tiwari foi suspensa e interrogada pela polícia por ser acusada falsamente de forçar conversões ao cristianismo.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO THE CHRISTIAN POST

 

Sandhya foi levada para a uma delegacia de polícia e interrogada posteriormente. (Foto: Reprodução/Twitter).
Sandhya foi levada para a uma delegacia de polícia e interrogada posteriormente. (Foto: Reprodução/Twitter).

Uma jovem médica cristã, que trabalhava no programa governamental da Índia no combate à segunda onda da Covid-19, foi suspensa e está enfrentando acusações criminais por dizer às famílias que orem a Jesus se forem contaminadas com o coronavírus.

De acordo com o International Christian Concern, uma organização que monitora a perseguição no mundo, a médica Sandhya Tiwari foi suspensa do programa “Kill Corona”, do estado de Madhya Pradesh, foi acusada, possivelmente, por infringir a lei anticonversão do estado.

Como parte do programa, em 22 de maio, Sandhya visitou casas da área de Bajna no distrito de Ratlam e distribuiu um material de dieta recomendada junto com folhetos cristãos. A médica cristã também incentivou as famílias a orarem a Jesus por cura da Covid-19.

Na ocasião, um homem ativista da principal organização nacionalista hindu da Índia, a Rashtriya Swayamsevak, confrontou a cristã e gravou um vídeo a questionando, que foi compartilhado nas redes sociais.

No vídeo, é possível ver a médica defendendo sua ação: “O que há de errado em dizer a eles que Deus cura? Eu não disse a ninguém para se converter ou forcei ninguém a orar a Jesus, eu sou um cristão, eu disse a eles que Jesus cura”, declarou.

Segundo a imprensa local, Sandhya foi levada para a uma delegacia de polícia e interrogada posteriormente.

“Este é o estado de liberdade religiosa em nosso estado, podemos ser reservados para uma conversão que possamos ter com pessoas de outras religiões. Na maioria dos casos, os fatos são distorcidos para se adequar a uma agenda e, infelizmente, a máquina estatal é útil para vitimar as minorias ”, um cristão local afirmou ao ICC.

“Se a situação é tal para um profissional médico, a condição para o cristão comum poderia ser muito pior”, concluiu o cristão.

O estado de Madhya Pradesh, na Índia, tem uma lei anticonversão há mais de 50 anos, que presume que trabalhadores cristãos “forçam” ou dão benefícios financeiros aos hindus com o propósito de convertê-los ao cristianismo.

Sobre as leis anticonversão na Índia

As leis anticonversão na Índia existem desde 1967 nos estados na Índia. Hoje, alguns estados continuam aprovando esse tipo de lei que vai contra a liberdade religiosa, assegurada pelo artigo 25 da própria constituição do país.

Esse tipo de legislação tem o objetivo de coibir tentativas de conversões e casamentos inter religiosos por meios forçados ou fraudulentos, ou por aliciamento ou indução.

Segundo a International Christian Concern (ICC), caso uma pessoa queira se converter a uma nova religião, a lei obriga que o convertido e o seu líder religioso precisam apresentar um requerimento à administração central distrital, com 60 dias de antecedência. O não cumprimento desta lei pode acarretar em prisão ou multas.

Com a aprovação de leis anticonversão em diversos estados da Índia, nacionalistas radicais são encorajados a espalhar falsas acusações de conversão forçada por parte de cristãos, com o propósito de justificar sua violência contra os crentes, sem intervenção da polícia local.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens