Fechar
Buscar no Site

Texto do Roberto Veloso, publicado na PG do dia 16/05/2021

JESUS E A PESCA MARAVILHOSA
Por Roberto Veloso
@robertoveloso_
“E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, porque mandas, lançarei a rede.” (Lucas, 5: 5)
Precisamos estar dispostos a obedecer e praticar a palavra de Jesus para sermos testemunhas do evangelho às pessoas fazendo a vontade de Deus.
De fato, há um detalhe em Pedro nesse episódio que chama a atenção, a confiança extrema em Jesus Cristo, que poderíamos resumir em uma palavra: FÉ.
Nada teria acontecido se Pedro não tivesse fé. Pedro era um homem experimentado, pescador de profissão, tinha sócios na pesca. Passara a noite inteira usando as décadas de experiência no mar da Galiléia e não conseguira pescar um peixe sequer. O trabalho tinha sido improdutivo.
Se a soberba tivesse tomado conta dele, com certeza diria, quem é esse filho de carpinteiro para me ensinar onde é melhor pescar? Mas, Pedro tomou a decisão correta, atendeu às ordens do Mestre e obteve tanto peixe que o barco estava para virar.
“E, fazendo assim, colheram uma grande quantidade de peixes, e rompia-se-lhes a rede. E fizeram sinal aos companheiros que estavam no outro barco, para que os fossem ajudar. E foram e encheram ambos os barcos, de maneira tal que quase iam a pique.” (Lucas, 5: 6-7)
E a consequência desse milagre foi o reconhecimento por Pedro de que Jesus Cristo é o Messias, o libertador da escravidão do pecado. O único que nos leva à vida eterna.
“Vendo isto, Simão Pedro prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, retira-te de mim, porque sou pecador.” (Lucas 5:8)
Quando se encontra Jesus a reação deve ser de reconhecimento de Sua divindade e a nossa condição de mero pecador, necessitando da graça e misericórdia do Senhor.
Jesus Cristo tem feito esses mesmos milagres em nossas vidas. Dá-nos o pão, nos veste e nos concede uma família abençoada.
Portanto, nada nos falta para tomarmos a mesma atitude de Pedro, qual seja, arrependermo-nos dos nossos pecados e entregarmos a nossa vida a Jesus, o Filho unigênito de Deus.

 

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens