Fechar
Buscar no Site

Governo do Irã está em desespero

Governo do Irã está em desespero

Quanto mais tempo passa, mais fica claro a incapacidade da defesa aérea iraniana. O comandante da Força Aérea da Guarda Revolucionária do Irã, Amir Ali Hajizadeh, disse que a organização assume total responsabilidade pela queda acidental do avião ucraniano que caiu em Teerã na quarta-feira.

Ele disse que a aeronave foi acidentalmente identificada pelo operador do sistema de defesa aérea como um míssil de cruzeiro, este erro gravíssimo levou a morte de nada menos que 176 passageiros e tripulantes foram mortos.

A agência de notícias iraniana Fares informou que os manifestantes contra a queda do avião ucraniano em Teerã rasgaram imagens do comandante da força Quds iraniana, Qassem Suleimani. O incidente mostra que a boa fama dele não passa de propaganda de jornais anarquistas brasileiros.

A agência, que é mais frequentemente identificada com a Guarda Revolucionária, relatou que centenas de pessoas protestaram na área e fizeram chamadas contra o regime.

Vídeos postados nas redes sociais documentam centenas de estudantes iranianos protestando do lado de fora da universidade em Teerã, em protesto pela queda do avião ucraniano pela Guarda Revolucionária.

Os manifestantes exigiram que o líder supremo Ali Khamenei renunciasse, gritando, entre outras coisas, “morte ao ditador” e “vergonha para a Guarda Revolucionária, libertem o país”.

Os cidadãos do Irã sabem que exatamente incidentes como estes pões mais lenha na fogueira e que uma intervenção de forças estrangeiras podem estar mais perto do que nunca. O fato é que o desespero para abater um possível míssil de cruzeiro, revela quão preocupados estão as autoridades de segurança do Irã, ao mesmo tempo que revela quão despreparados estão suas equipes de segurança.

O governo do Irã está se preparando para novos protestos depois de assumir a responsabilidade pelo acidente do avião ucraniano. A polícia está intensificando as forças em Teerã. As manchetes dos jornais no país estavam repletos de textos grossos pintados de preto: “Vergonha”. Embaixador britânico preso: “Não participei de manifestação”.

Ontem à noite, a polícia usou gás lacrimogêneo contra os manifestantes nas ruas de Teerã e outras cidades. Os mesmos manifestantes que pediram a renúncia do líder supremo Ali Khamenei e muitos pediram “morte ao ditador”. Durante a manifestação na noite passada em Teerã, o embaixador britânico foi preso brevemente. Uma agência de notícias iraniana disse que estava “incitando manifestantes” a se alegrar do lado de fora da Universidade Amir Kabir.

O embaixador foi liberado horas depois do incidente. O embaixador Rob McQueer disse nesta manhã que não havia intenção de participar do comício. Ele escreveu no Twitter que havia participado de um comício em memória das 176 vítimas que estavam no avião que caiu. “Saí depois de cinco minutos, quando alguns começaram a gritar. Demorei meia hora depois de deixar a área”, escreveu o embaixador. “É claro que prender diplomatas é ilegal em todos os países”.

O presidente dos EUA, Donald Trump, dirigiu-se aos manifestantes no Irã: “Para o corajoso povo iraniano que sofre há muito tempo – eu o apoio desde o início do meu mandato e meu governo continuará ao seu lado. Trump postou as coisas em um tweet em inglês e persa no Twitter.

O presidente dos EUA, Donald Trump, apelou ao regime no Irã, dizendo que “deve permitir que organizações de direitos humanos monitorem e relatem em campo os eventos dos protestos em andamento do povo iraniano”. Trump acrescentou em um tweet no Twitter que “pode ​​não haver outro massacre de manifestantes não-violentos ou desabilitar a internet – o mundo está assistindo”. Em outro tweet divulgado anteriormente, o presidente dos EUA disse aos manifestantes iranianos que o governo de Washington continuará apoiando-os.

Dezenas de manifestantes se reuniram do lado de fora da universidade em Teerã e gritaram contra o regime. Além disso, nas redes sociais carregaram imagens e vídeos de iranianos protestando em outras cidades do país, incluindo Isfahan.

FONTE/ CAFETORAH

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens