Fechar
Buscar no Site

FORÇA PARA VIVER – Pr. Irailton Melo de Souza

CONHECER A CRISTO E O PODER DA SUA RESSUREIÇÃO

Charles Haddon Spurgeon, famoso pregador batista reformado do século 19, chamado de “O Príncipe dos Pregadores”, declarou que “a doutrina da ressurreição do Salvador é extremamente preciosa e é a pedra angular do edifício do cristianismo, e o pilar da nossa salvação (…) Conhecer o Salvador crucificado e saber que Ele crucificou na cruz todos os nossos pecados, é muito bom; mas, conhecer o Salvador ressuscitado, como  Ele me justificou e nos deu nova vida, tornando-nos uma nova criatura por meio de Sua própria novidade de vida, é uma experiência ainda mais sublime.”

Escrevendo aos Filipenses, o apóstolo Paulo demonstra estar convicto deste mesmo sentimento e pensamento. Ele diz: “Mas o que para mim era lucro, passei a considerar perda, por causa de Cristo. 8 Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por cuja causa perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar a Cristo e ser encontrado nele, não tendo a minha própria justiça que procede da lei, mas a que vem mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus e se baseia na fé. Quero conhecer a Cristo, ao poder da sua ressurreição e à participação em seus sofrimentos, tornando-me como ele em sua morte para, de alguma forma, alcançar a ressurreição dentre os mortos. (Fl 3.7-11)

De modo claro Paulo fala que aquilo que em geral as pessoas reputam como importantes ou necessárias, ele passou a considerar como inútil depois de ter encontrado a Cristo.

Sabemos que Paulo possuia muitos recursos e direitos. Paulo tinha título de cidadão romano, um doutorado em leis judaícas, ocupara cargos de confiança como servidor público. Contudo, declarou: considerei tudo como de valor inferior diante da realidade de conhecer a Cristo e o poder da sua ressurreição.

Por que Paulo fez isso? Por que conhecer a Cristo e o poder da sua ressureição eram tão importante para ele? Que poder é este?

A resposta está na sequencia do texto aos Filipenses ( 4.8-13):  Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco.  Ora, muito me regozijei no Senhor por finalmente reviver a vossa lembrança de mim; pois já vos tínheis lembrado, mas não tínheis tido oportunidade. Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.

Veja: títulos e honrarias não são capazes de nos fazer suportar os sofrimentos do mundo, mas Cristo, sim! O conhecimento adquirido não é suficiente para encher a nossa alma de paz no dia da adversidade, mas Cristo, sim! Todas as conquistas dos mundos não são capazes de tornar a nossa vida plena, mas Jesus Cristo de Nazaré, ressurreto dentro os morto, sim!

Esta é a mensagem de Deus para as nossas vidas hoje também. Que eu e você nos despertemos também para conhecer a Cristo e o poder da sua ressurreiç

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens