Fechar
Buscar no Site

LEALDADE: COMO SER SÓLIDO NUM MUNDO CADA VEZ MAIS LÍQUIDO – Parte 3

Irailton Melo de Souza

Nas últimos dois dias vimos o que é a lealdade e a sua importância para as relações humanas. Vimos também o exemplo de Jó e concluímos que a sua lealdade para com Deus era base da sua lealdade para com todas as pessoas com as quais ele se relacionava: esposa, filhos, empregados, etc.  

Prosseguindo no tema da lealdade a Deus, nesta,veremos, a partir do exemplo de Jó, duas maneiras de crescermos na lealdade com Deus.

1a) Jó era leal a Deus, porque cria que tudo o que era tinha era dádiva de Deus.

Ao saber das desgraças que se abateram sobre a sua casa, Jó declarou: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu, e o Senhor o tomou: bendito seja o nome do Senhor.” (Jó 1:21)


É fácil manter a lealdade para com Deus quando aceitamos o fato de que nada que teremos é mérito nosso, mas, sim, pura graça de Deus. Quem não se emociona ao ouvir o hino A Deus Toda Glória? O poeta, inspirando pelo Espírito Santo, traduz em versos o sentimento de gratidão de quem reconhece, como fez Jó, o favor imerecido da parte de Deus:  Como agradecer a Jesus o que fez por mim? Bênçãos sem medida
vêm provar o seu amor sem fim. Nem anjos podem expressar a minha eterna gratidão. Tudo o que sou e o que vier a ser eu ofereço a Deus. A Deus demos glória, a Deus demos glória, a Deus demos glória Pelas bênçãossem fim. Com seu sangue salvou-me, seu poder transformou-me. A Deus demos glória pelas bênçãos sem fim.

Sabemos como terminou a história de Jó. Não terminou como começou, graças à lealdade que Deus plantou no coração de Jó.

No livro que leva o seu nome (42.10-17), lemos quedepois que Jó orou por seus amigos, o Senhor o tornou novamente próspero e lhe deu em dobro tudo o que tinha antes. 11 Todos os seus irmãos e irmãs e todos os que o haviam conhecido anteriormente vieram comer com ele em sua casa. Eles o consolaram e o confortaram por todas as tribulações que o Senhor tinha trazido sobre ele, e cada um lhe deu uma peça de prata e um anel de ouro. O Senhor abençoou o final da vida de Jó mais do que o início. Ele teve catorze mil ovelhas, seis mil camelos, mil juntas de boi e mil jumentos. Também teve ainda sete filhos e três filhas. À primeira filha deu o nome de Jemima, à segunda o de Quézia e à terceira o de Quéren-Hapuque (“olhos que brilham”).Em parte alguma daquela terra havia mulheres tão bonitas como as filhas de Jó, e seu pai lhes deu herança junto com os seus irmãos. Depois disso Jó viveu cento e quarenta anos; viu seus filhos e os descendentes deles até a quarta geração. 17 E então morreu, em idade muito avançada.


2a) Aceitando a vontade permissiva de Deus nas situações sem explicação.

Sim, há situações que enfrentamos que não têm explicação. Olhamos para o lado e não vemos, sinceramente, o que tenhamos feito para merecer tudo aquilo. E não se trata de autocomiseração, mas de uma constatação. Assim como aconteceu com Jó. Como pode um homem que recebe o testemunho do próprio Deus, passar por tudo aquilo. Detalhe: a batalha estava sendo travada no céu, mas Jó nada sabia acerca dos planos ardilosos de Satanás em desqualificar a sua lealdade para com Deus.

É como diz o pastor Swindoll: Nunca poderemos explicar ou compreender completamente o mistério da vontade insondável de Deus. Não tente agarrar cada fio do seu plano profundo. Se resistir este conselho, neste ponto, você ficará cada vez mais confuso, ressenti­ do e finalmente amargo. Satanás vai, então, vencer. Suporte a provação permitida por Deus. Nada toca a sua vida que não tenha passado primeiro pelo crivo da vontade de Deus. Ele tem pleno controle e tem o direito soberano de permitir provações que não merecemos por ser QUEM ELE É.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens