Fechar
Buscar no Site

Prefeito Edivaldo detalha ações para atender ocorrências geradas pelas fortes chuvas em São Luís

O prefeito Edivaldo, em entrevista coletiva, anuncia ações realizadas para atender ocorrências geradas pelas fortes chuvas

Equipes da Prefeitura de São Luís trabalham em várias frentes para reverter os resultados das fortes chuvas que atingiram a capital no último final de semana. Além do trabalho da Defesa Civil, depois do alto índice de 217 milímetros de precipitação registrado em 24h, mais de 30% acima do previsto, o poder público municipal vem intensificando os trabalhos em áreas como assistência social, infraestrutura e limpeza urbana. A atuação da força-tarefa, ação do Plano de Contingência, foi detalhada pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior em coletiva à imprensa na manhã desta segunda-feira (25).

Somente na área de infraestrutura são mais de 170 agentes nas ruas atuando de forma a minimizar os impactos das chuvas. Comitê de Limpeza está com mais de 570 agentes atuando, que se somam aos da Defesa Civil, do Instituto de Paisagismo e da Secretaria da Criança e Assistência Social.

“Estamos acompanhando de perto e agindo de forma integrada para atender as famílias, oferecendo o apoio necessário. Nossas equipes estão nas ruas atuando para reverter os resultados das fortes chuvas, que ultrapassaram o previsto, e preventivamente para evitar outros transtornos. O poder público municipal tem colocado em prática as ações do Plano de Contingência, elaborado com base no monitoramento realizado permanentemente nas áreas de risco para atender prontamente as ocorrências registradas”, destacou o prefeito Edivaldo que passou o domingo vistoriando áreas de risco e em reunião com secretários e presidentes de órgãos.

No último fim de semana, foram registradas 15 ocorrências de deslizamentos nos bairros Sá Viana, Dom Luís, Vila Embratel, Coheb Sacavém, Izabel Cafeteira, Recanto dos Vinhais, Anjo da Guarda, Túnel do Sacavém, Vila dos Nobres, Quinta dos Machados, João de Deus, Salinas do Sacavém e Coroadinho. Em bairros como Anil, Vila Embratel, Fumacê, Gapara, Coroadinho, Janaina e Salinas Sacavém, foram registrados alagamentos; e nos bairros Coroadinho e Cohatrac foram registradas quedas de árvores.

Na força-tarefa, atuam secretarias como Segurança com Cidadania (Semusc), Obras e Serviços Públicos (Semosp), Assistência Social (Semcas) e Governo (Semgov), além da Subprefeitura do Centro Histórico de São Luís e órgãos como Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Fundação Municipal do Patrimônio Histórico (Fumph), Blitz Urbana e Instituto Municipal da Paisagem Urbana (Impur). Os trabalhos contam ainda com a parceria do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), da Cruz Vermelha, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, assim como de igrejas e associações comunitárias.

O secretário municipal de Segurança com Cidadania, Héryco Coqueiro, destacou o trabalho permanente realizado pela Defesa Civil junto às famílias. “A Defesa Civil se faz presente constantemente nas áreas de risco, desenvolvendo um trabalho preventivo e contínuo de monitoramento e acompanhamento das famílias. Com o registro de ocorrências, estamos isolando as áreas e dando o suporte necessário para que as famílias sejam direcionadas a um local seguro”, disse o titular da Semusc.

ASSISTÊNCIA SOCIAL

Equipes da assistência social estão trabalhando junto às famílias impactadas pelas ocorrências. A Prefeitura de São Luís já está atendendo 85 famílias na Salina Sacavém e 25 famílias no Sá Viana. No total 380 pessoas estão sendo acompanhadas pela Assistência Social. Inicialmente, as famílias que não foram para casa de familiares estão sendo acolhidas em abrigos municipais, bem como em espaços comunitários como igrejas e associações.

A secretária municipal da Criança e Assistência Social, Andréia Lauande, explicou como está sendo prestada a assistência. “Inicialmente, atuamos identificando as famílias e abrigando-as em um local seguro. As equipes de assistentes sociais realizam avaliação individual socioeconômica de cada família, para possível inserção no Benefício Eventual Auxílio Moradia (aluguel social). É um trabalho muito delicado, considerando que muitas famílias construíram uma história naquele espaço e se recusam a deixar a área”, frisou a secretária.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens