Fechar
Buscar no Site

Weverton Rocha: “Se é para cortar, corta-se o dinheiro que está pagando bilhões e trilhões aos bancos”

O senador Weverton (PDT-MA) manifestou apoio, nesta quarta-feira (15), na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), à Greve Nacional da Educação, que reúne estudantes e profissionais do ensino básico e superior em defesa da educação, ciência e tecnologia, e da liberdade de ensinar e aprender.

De acordo com o parlamentar, a manifestação, que acontece em diversas cidades do país, é fundamental para garantir que a educação seja prioridade no país.

“Se é para cortar, corta-se o dinheiro que está pagando dívida, bilhões e trilhões por ano para os bancos. Cortam-se outros excessos, mas da educação, realmente, foi um golpe duro contra a nossa juventude”, afirmou.

“Nós iremos aqui nos somar a essa luta das universidades e dos institutos federais que estão aí prejudicados. Só no Maranhão, por exemplo, foram anunciados R$ 65 milhões de reais de corte, tanto na UFMA (Universidade Federal do Maranhão), quanto no IFMA (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão). Nós, claro, vamos lutar para que sejam retomados esses recursos”, explicou o senador.

O bloqueio total de despesas do MEC anunciado até agora é de R$ 7,4 bilhões. Nas universidades federais, chega a R$ 2 bilhões, o que representa 30% da verba discricionária. O corte, segundo o governo, foi aplicado sobre gastos não obrigatórios, como água, luz, terceirizados, obras, equipamentos e realização de pesquisas.

Pacote de chantagens

Para Weverton, esse corte tem como objetivo pressionar os congressistas para a aprovação da Reforma da Previdência.

“A impressão que dá é que se começa a montar um pacote de chantagens contra o Congresso Nacional. Ou você me dá isso ou eu tomo tudo de vocês e do povo brasileiro. Dizer que só vai devolver este recurso se aprovar a reforma é chantagem sim! E nós não podemos aceitar chantagear a educação com dinheiro”, enfatizou.

O senador falou ainda que é importante o Congresso adotar uma postura em defesa da educação no país. “Nós precisamos, em todas as comissões, no Plenário, nos unir à Câmara dos Deputados, que ontem convocou o ministro da educação no Plenário da Câmara, para defender esta área tão importante para o desenvolvimento do Brasil. Todos precisam fazer a sua parte. Nós temos que dar a nossa contribuição”.

A presidente da CCJ, senadora Simone Tebet (MDB-MS), elogiou a postura do senador Weverton e reiterou a importância de todos se unirem a favor da educação. “Parabenizo o senador Weverton que abordou esse tema. Temos que pensar de que forma o Senado e a Câmara podem contribuir para convencer o governo federal, o ministro da Educação de que é preciso rever este corte. Isso pode levar, até o meio do ano, a nós não termos mais condições de abrir as nossas universidades e de darmos ao cidadão aquilo que é fundamental para a própria cidadania: a educação”, afirmou Tebet.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

8 respostas para “Weverton Rocha: “Se é para cortar, corta-se o dinheiro que está pagando bilhões e trilhões aos bancos””

  1. Jose disse:

    Bolsonaro se contradiz o tempo todo, se está verbas que ele cortou da educação é desnecessária para educação porque vai voltar se aprovado a reforma da previdência

  2. Deodato disse:

    Se fizer LAVA JATO –UNIVERSIDADES federais—- vão prender reitores e poderosos da cúpula , será um pânico generalizado,vejam onde moram,….vejam se o salário paga …….um sumidouro de trilhões do povo. ….com a desculpa de Educação…..a receita caiu ….o orçamento feito pelo PT Partido das trevas e vampiro TEMER ….então redução de despesas…. contingenciamento….. chora ptralhas esquerdalhas comunistas….chora.

  3. Antonio disse:

    O Senador cumpre bem o seu papel. Não se pode reduzir verbas para a Educação, se queremos sair a ignorância e alcançar As Luzes. Essa estória de que não tem dinheiro para a Educação, para a Previdência ou para qualquer coisa é conversa mole para engordar o caixa dos banqueiros nacionais e internacionais. É para o governo brasileiro remunerar os bancos pagando-lhes os juros do dinheiro deles que eles não aplicam para não correrem riscos e que fica parados em suas tesourarias à espera do dinheiro tirado da população.

  4. miguel disse:

    Calote em meio à crise recente é, sem dúvida, a ideia mais estapafúrdia que um agente político poderia sugerir. Mas vindo de um babaca dessa estirpe, não é surpresa nenhuma.

  5. josé disse:

    Em vez dos Senadores sem RABO PRESO votarem a LAVA TOGA….fazer uma devassa no STF –STJ…..limpar o Brasil…..mijam na butina ,acovardado……o Brasil está com o CÂNCER PT-BRASIL…..na UTI….e a Câmara e Senado……flutuando no espaço…esperando # articulação politica#. isto é $$$$$$$$$$$$$$$$$

  6. Edgar disse:

    Esquece o PT quem está no governo depois do TEMER agora Bolsonaro se ele não tem ideia nenhuma de governar
    Tudo é o Guedes esse velho banqueiro
    O Brasil está indo de mau a pior o Bolsonaro se perdeu um governo improvisado não sabe o que fala está
    Sendo massa de manobra do Paulo Guedes, o Brasil está pior de todos os tempos, um governo que chama os estudantes do seu país de indiota é
    Um caos, cadê a ciência a tecnologia
    Sem investimento qual futuro desse
    País

  7. Pedro disse:

    Se tem gente com salário altíssimo dentro das instituições e mordomia
    Se for preciso prende reitores o que
    Não dá é o governo ficar fazendo corte de verbas prejudicado o aluno
    Sempre esse governo faz isso deixa
    De cobrar dos poderosos para cobrar dos mais humildes

  8. Ibrahim Maluf Saad disse:

    Corta-se o costa Rodrigues da memória marenhece

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens