Fechar
Buscar no Site

Últimos 500 indicados para embaixadas eram diplomatas, diz Weverton


Levantamento feito pela liderança do PDT no Senado revela que as últimas 500 indicações feitas pela Presidência da República para chefiar embaixadas no exterior foram de diplomatas de carreira — sem parentes nessa lista.

Assim acontece desde maio de 2006. A conta inclui parte das indicações do governo Lula e todas feitas por Dilma, Temer e pelo próprio Bolsonaro.

Bolsonaro irá indicar o filho Eduardo para embaixada dos Estados Unidos. Esse levantamento será explorado pela oposição durante a sabatina do 03. “Os indicados são tradicionalmente escolhidos entre os diplomatas de carreira, com formação sólida e ampla experiência internacional, entre ministros e conselheiros do Itamaraty. Este caso, no mínimo, representa um desprestígio à carreira”, diz Weverton Rocha, líder do PDT no Senado.

A senadora Katia Abreu, ex-vice de Ciro Gomes adversária do governo, é a representante de seu partido na Comissão de Relações Exteriores, que irá inquirir o 03. Veja

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

2 respostas para “Últimos 500 indicados para embaixadas eram diplomatas, diz Weverton”

  1. Kledilson disse:

    O que os diplomatas de carreira fizeram para o bem do Brasil ?????

  2. Jose disse:

    Se os diplomatas de carreira não fizeram esse fritador de amburg é que vai fazer? Kkkkkkkkk você nem sabe a história e o que os diplomatas foram
    Importante para o nosso país, o povo
    Não é informado ficam adorando pessoas que aparentemente parece uma nuvem de fumaça em um deserto os tolos acham que é chuva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens