Fechar
Buscar no Site

‘Se Câmara e Senado têm propostas melhores, que coloquem em votação’, diz Bolsonaro sobre Previdência

O presidente Jair Bolsonaro disse, nesta segunda-feira (20), que, se o Congresso tiver uma proposta melhor para a Reforma da Previdência, deve votá-la. Ele também disse disposto a conversar com os parlamentares sobre o tema.

“Querem agilidade para votar as propostas que estão dentro da Câmara e do Senado. E se Câmara e Senado têm propostas melhores que a nossa, que coloquem em votação. Não há briga entre poderes, o que há é uma grande fofoca, que parece que, lamentavelmente, uma parte considerável da nossa parte da mídia se preocupa muito mais com isso do que a realidade e futuro do Brasil e inviabilizam por vezes, atrasam. O que mais quero é conversar”, afirmou o presidente durante evento na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

Na manhã desta segunda, o secretário especial de Previdência do Ministério da Economia, Rogério Marinho, afirmou que não será apresentado por parlamentares um texto alternativo à proposta da reforma da Previdência.

Segundo ele, eventuais modificações que possam ser feitas acontecerão em cima da proposta do Executivo “como sempre foi no parlamento”. Ele classificou as informações de que poderia ser apresentado um texto alternativo como “ruído de comunicação”.

Depois do evento, o porta-voz da República, General Otávio Santana do Rêgo Barros, também falou sobre o assunto, questionado sobre uma eventual proposta elaborada pelos parlamentares.

“A proposta que o presidente identifica como a melhor proposta é a que já elevou ao Congresso Nacional. Não obstante, ele se coloca, sim, como parceiro nesse processo de discussão e de avaliação para, juntos, Congresso e Poder Executivo darmos andamento aquilo que vai tirar o Brasil de um precipício que muito rapidamente se aproxima, conforme o ministro Paulo Guedes já vocalizou em vários discursos”.

Nova Previdência

Depois do evento, o presidente volta para Brasília e participa da apresentação da segunda fase da campanha publicitária da Nova Previdência.

Ele também se encontrará com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e com o deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), líder do Governo na Câmara dos Deputados.

No domingo, o parlamentar chegou a admitir que um texto alternativo da Reforma da Previdência elaborado pelos parlamentares poderia ter o apoio do governo.

Hoje pela manhã, o secretário especial de Previdência da pasta afirmou que não haverá um texto do Parlamento, o que considerou um “ruído de comunicação”. Ele falou que o novo texto seria alguma mudança apresentada pelos deputados, “como sempre” foi feito.

“O próprio presidente [da comissão especial da Reforma da Previdência], Marcelo Ramos, deu uma segunda declaração nesse sentido, para toda a imprensa, dizendo que as alterações que poderão ocorrer serão em cima do projeto apresentado pelo governo, como sempre foi no parlamento”, declarou. G1

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens