Fechar
Buscar no Site

Sarney não teve tanto poder nem no governo dele

Do Balaio do Kotscho

Cai de podre o ministro do Turismo Pedro Novais, 81, do PMDB do Maranhão de Sarney, aquele do motel e da governanta.

E quem entra no seu lugar com a nobre missão de preparar o país para a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016?

Depois de impasse interno em que o PMDB decidiu não apresentar uma lista de nomes e “liberar” a presidente Dilma Rousseff, que queria um técnico, para escolher quem ela quisesse, foi anunciado, às 23h25 desta quarta-feira, o nome do novo ministro: Gastão Vieira, 65, deputado federal.

De onde? Do PMDB do Maranhão de Sarney.

Sai o PMDB do Maranhão de Sarney, entra o PMDB do Maranhão de Sarney

Como já era previsto, trocaram seis por meia dúzia, e o feudo federal de José Sarney se manteve intacto. A importante indústria do turismo que se dane. Alguém que é do ramo ou mesmo quem não é já tinha ouvido falar de Gastão Vieira? Por que o ministro do Turismo tem que ser do Maranhão?

Os mais antigos hão de se lembrar que nem no seu governo acidental de cinco anos, quando assumiu no lugar de Tancredo Neves, que morreu antes de tomar posse, José Sarney teve tanto poder como agora.

Com o ministério herdado de Tancredo, quem mandava no governo dele (1985-1990) era o PMDB de Ulysses Guimarães, aliado ao PFL de ACM, partidos que garantiram a “governabilidade” com a farta distribuição de concessões de emissoras de rádio e televisão para parlamentares.

De lá para cá, de um jeito ou de outro, Sarney nunca deixou de mandar e nomear gente. Consta que ele se gaba de ter indicado até o porteiro do Hotel Glória, que o recepciona com pompa e circunstância, em seu uniforme de general argentino de antigamente, quando o ex-presidente se hospeda no Rio.

Campeão de sobrevivência política, o político maranhense José Ribamar Ferreira de Oliveira Costa, 81, a mesma idade de Pedro Novais, sempre soube a hora certa de mudar de lado quando lhe era conveniente.

José Sarney (nome político que adotou do pai) começou como suplente de deputado federal pela UDN nos anos 1950, apoiou o governo militar e comandou o PDS contra a Emenda das Diretas, em 1984. No mesmo ano, bandeou-se para a oposição, como vice de Tancredo Neves no Colégio Eleitoral.

Desde a primeira vitória de Lula, em 2002, tornou-se um fiel aliado do ex-presidente e garantiu o apoio do PMDB ao PT, primeiro na campanha e depois no governo de Dilma Rousseff.

Definido pelo ex-ministro Fernando Lyra como “a vanguarda do atraso”, foi o primeiro presidente civil depois da ditadura militar.

Poderia ter passado para a história como o “presidente da redemocratização”, mas preferiu continuar na lida política, ao se eleger e reeleger senador pelo Amapá, deixando o Maranhão aos cuidados da filha Roseana Sarney.

Na presidência do Congresso Nacional, Sarney exerce toda sua influência discretamente e só fala obviedades nas entrevistas. Evita assuntos polêmicos, desliza pelos gabinetes com o que ele mesmo chamou de “liturgia do poder”, a arte dos que sabem como mandar prender e soltar, nomear e demitir, fazer e desfazer alianças, liberar e bloquear verbas.

Ou o Brasil ainda é muito primitivo ou José Sarney é mesmo o gênio da raça e a gente não sabia. O fato é que se o governo de Dilma Rousseff começou “de fato”, como decretaram os analistas políticos, com a solitária decisão de nomear Gleisi Hoffmann para o lugar de Antonio Palocci na Casa Civil, terminou ontem na prática com o melancólico episódio da troca de Pedro de Sarney por Gastão de Sarney.

Quem esperava que Dilma fosse aproveitar as denúncias feitas pela imprensa para fazer a sua “faxina ética” e montar o próprio ministério com homens públicos de “ficha limpa” e conhecimentos técnicos para exercer o cargo, certamente se decepcionou com mais esta demonstração de submissão ao poder do PMDB de Sarney.

Assim ficará cada vez mais difícil para Dilma mudar práticas políticas seculares baseadas no loteamento de cargos para garantir a tal da governabilidade. De crise em crise, ainda não completamos nove meses de governo e cinco ministros já caíram _ quatro deles por “malfeitos”.

Quem será o próximo?

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

14 respostas para “Sarney não teve tanto poder nem no governo dele”

  1. A Madre Superiora disse:

    SEU MININO, TEM MUUUUUUUITO DINHEIRO ENVOLVIDO NISSO, TEM A COPA, AS OLIMPÍADAS…
    FERNANDÃO SARNEY TÁ SUMIDO, MAS NÃO TÁ MORTO, AINDA RESPIRA.
    E TODO MUNDO CONHECE FERNANDÃO, QUANDO ELE QUER, NÃO TEM QUEM DER JEITO, IGUAL AO PAI, PRA ELE NÃO EXISTE LEI.
    ENTÃO, SÃO BILHÕES E BILHÕES ENVOLVIDO. ELES NÃO VÃO LARGAR ESSE OSSO GORDO.
    FERNANDÃO VAI CAIR DE BOCA, É MUITA GRANA E FERNANDÃO É INSACIÁVEL, AGUARDEM….

  2. ARTUR DA VEIGA CRUZ disse:

    DESTA VÊZ TENHO CERTEZA DE QUE AS MANSÕES DE BARREIRINHAS VÃO PARA O CHÃO.

  3. Renato disse:

    FINALMENTE!
    Ufa! Finalmente não somos os últimos. É, isto mesmo! No IDIH somos os últimos. No ENEM somos os últimos. No desenvolvimento Idem. Entretanto, segundo o jornal EMA,15/07, somos o 15º em incidência de tuberculose. É pra comemorar? Se for, viva a fome! Viva a falta de coragem de se indignar!

  4. Francinaldo Morais disse:

    Gastão Vieira é continuidade dos sarneys no MTur.Ele tem mais poder de inviabilizar o aprofundamento das investigações sobre Novais e açãos do titular da EMBRATUR. Suas relações federais são melhores e evitará condutas patéticas à Novais. Com GV quebra-se mais uma vez a estratégia dos politicos maranhenses de evitarem holofotes nacionais. GV vai para o MTur no momento em que seria cobrado pela falência da educação no Estado, vez que como ex-secretário de Planejamento e de Educação do MA; ex-membro da CCE e do Plano Nacional de Educação no CN deve ser responsabilizado. GV é conhecido em SL pelo caráter nepótico de suas presenças nos orgãos que chefia. Com ele os parentes em primeiro lugar. Vamos ver quanto tempo resiste no MTur. Francinaldo Morais, professor de História, Caxias-MA.

  5. Espirito de Ulisses Giumarães disse:

    John,todo mundo tem o Ukisses que merece.Toma na cara Dilma.

  6. Marco Antonio Carvalho Diniz disse:

    É…
    Caiu por-terra-abaixo àquela impressão de que o “Governo Dilma” era sadio, ou seja, não havia sido diagnosticado – nesse – a perigosa doença da sarneidepedência .

    O vampirão da Nação sabe que o Ministério do Turismo tornar-se-á uma outra “Mina” -, pois, a medida em que se aproximar o Mundial de Futebol, o orçamento do Ministério de José Sarney será duplicado, triplicado, quadruplicado… Sei que será redundante e desgastante tecer mais comentários sobre o óbvio.

    E sobre Pedro Novais; posso perguntar: alguém já viu alguma iniciativa de campanha durante o período eleitoral do perene deputado federal maranhense? Não precisa! Novais blinda a contabilidade da maioria das prefeituras maranhenses, e como recompensa recebe milhares votos compulsórios. Por isso é que o “genial” tributarista foi escolhido por Sarney para “cuidar” do DINHEIRÃO DO TURISMO.

    E mais! Ricardo Murad estreia – de forma antecipada – no Mundial de Futebol -, é que Gastão Vieira obtém grande parte dos seus votos na Região dos Cocais, azeitados, claro, por RICARDO CORAÇÃO DE LEÃO.

    Marco Antonio Carvalho Diniz

  7. RICARDO disse:

    É POR ESSAS E POR OUTRAS QUE O BRASIL NÃO SE DESENVOLVE COMO DEVERIA, TROCARAM SEIS POR MEIA DUZIA, SAI VELHO NOVAIS E ENTRA GASTÃO VIEIRA E O PIOR EM VEZ DE COLOCAREM UM TECNICO QUE ENTENDA DO ASSUNTO COLOCARAM UM SERVIÇAL DA COSINHA DE SARNEY ATÉ QUANDO O POVO MARANHENSE E BRASILEIRO VAI CONTINUAR A ELEGER ESSES POLÍTICOS QUE JÁ ESTÃO ULTRAPASSADOS NA POLÍTICA.

  8. Olinda disse:

    Hemetério weba perdeu o mandato e vc nunca divulgou,atrazado sempre né john!.Agora vamos de Flavio Dino 65 esse é garantido pela classe jovem q sonham por um MA melhor.

  9. Pato Donald disse:

    sarney não tinha ninguem mais “limpo” que esse gastão vieira para em nome do pmdb exigir de dilma que o fizesse ministro do turismo em lugar do pilantrão pedrão? lembrando que pedro novais foi trazido ao maranhão pelo ex-dono da politica maranhense, vitorino freire, para representar os maranhenses, e desde que jose sarney desbancou vitorino nos anos 1960, escolheu como seu fiel escudeiro, o pedrão, daí do por que da ligação sarney/pedrão ou pedrão/sarney ?

  10. maria disse:

    Alguém poderia imaginar que o Sarney fosse largar as têtas do Turismo?????Vem aí Copa, Olimpíadas…….. a dinheirama é grandiosa!!!!!!!!!!!!Com certeza, boa parte desse dinheiro não vai chegar ao destino……. que decepção a DILMA……… é bem discípula do LULALEY ou do SARLULA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  11. Renato disse:

    Respondendo a pergunta do último paragrafo, o proximo ministro a cair será o próprio Gastão Vieira, pode esperar…!!!

  12. JOÃO CARLOS disse:

    ESSE CIDADÃO GASTÃO VIEIRA A UNS 40 DIAS ATRAZ DEU UMA ENTRVISTA NO SISTEMA MENTIRA DE DESINFORMAÇÃO MAIS CONHECIDA COMO MIRANTE NO PROGRAMA DA MANHA PARA AQUELE RADIALISTA CARECA, DISCORDANDO DOS DADOS DO IBGE NO QUAL MOSTRAVA QUE O MARANHÃO ERA O ESTADO MAIS POBRE DO BRASIL ( LÉIA SE O MAIS SAQUEADO PELA FAMILIA DOS RATOS ) NA OPINIÃO DELE (GASTÃO ) O ESTADO MAIS POBRE E Á BAHIA E NÃO MARANHÃO, (( PORQUER ELE DISSE QUEM TEM UMA CASA DE PALHA E DE BARRO E TEM UMAS GALINHA NO TERREIRO NÃO É POBRE )) PALAVRAS DE GASTÃO VIEIRA É POR ISSO QUE AS FILHA DELE MORAVA DE GRAÇA AS CUSTA DO NOSSO DINHEIRO FORA O NEPOTISMO,ESSE CIDADÃO NÃO AGUENTA MEIA HORA DE INVESTIGAÇÃO Á PROPOSITO ELE ( GASTÃO ) FOI SECRETARIO DE EDUCAÇÃO DO ESTADO AGORA ESTA REPONDIDO POQUER O MARANHÃO FOI O ULTIMO O PIOR NO ENEM 2011, E AINDA TEM PESSOAS QUE VOTAM NESSES LIXOS….

  13. BENIGNO disse:

    Não poderia haver outro GÁS TÃO letal para asfixiar qualquer pretensão de uma CPI, com o intuito de investigar as pegadas do DINOvais, ao longo de sua pré-história como sinistro do turismo.
    Não é de hoje que se ouve o sotaque sulista ordenar: SAI NEY! SAI NEY. E Ney nada de sair. Continua lá firme e forte como um imortal ao pé da letra, ou literalMENTE demais. Existem coisas amargas na vida das quais não nos podemos prescindir: será possível criar um filho sem nunca lhe dar umas palmadinhas? Mesmo com o sentimento de ambivalência pena/raiva, pois estamos castigando alguém que não gostaríamos.
    O pensamento grego e, em seguida, aprofundado pelo teólogo Tomás de Aquino, tentaram enfiar na cabeça da humanidade a dicotomia: dualismo/maniqueísmo, a concepção de um mundo antagonicamente bipolar: amor x ódio, luz x trevas, bonita x feia, bem x mal, bom x mau etc. Porém, com o andar dos tempos, pode-se constatar que o diabo é o mesmo Deus em marcha à ré, e vice-versa. Lula e Dilma, ambos apanharam de polícia, contudo, nenhum dos dois arriscou fazer um governo sem os aparatos policiais. É aquela faca boa com que você costuma descascar laranjas, mas que um dia resvala e corta-lhe o dedo.
    Se Sarney fosse uma “cobra não venenosa”, quem o queria? Para quê? Na política, o efeito placebo é como um blefe, cuja eficácia depende da fórmula em nome da qual o paciente foi sugestionado, assim como na medicina. Sarney tem “veneno”, por isso é procurado por quem precisa “matar ou morrer do próprio veneno”. Além de sua mente maquiavélica para manipular e cumpliciar pessoas, ele conseguiu fincar pretores (juízes subservientes), no poder que dá a palavra final, o Judiciário.
    Psiu! Ei!, Ei! Um dia você precisará do Sarney!

  14. JOSE BARROS disse:

    QUANDO VIAJO PELO BRASIL, PRINCIPALMENTE RIO E SAO PAULO, QUANDO É PRECISO DIZER QUE SOU DO MARANHÃO, INFELIZMENTE TENHO QUE FALAR EM VOZ BAIXA, ACRESCENTANDO QUE NAO SOU ADMIRADOR DA DINASTIA QUE AQUI IMPERA; CASO CONTRÁRIO, CORREMOS O RISCO DE SER HOSTILIZADO, COMO ALIÁS, QUASE ACONTECEU COM UM MOTORISTA DE TAXI NO AEROPORTO DE CONGONHAS. ATÉ QUANDO SERÁ QUE TEMOS DE SUPORTAR ESSA “TORTURA”??????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens