Fechar
Buscar no Site

Roseana não cumprirá acordo; é hora dos policiais deflagrarem greve!

Os Policiais Militares e Bombeiros do Maranhão já devem, a partir de hoje, se mobilizarem para iniciar a deflagração de uma greve por tempo indeterminado. O acordo prometido pelo governo do Estado com os militares não será cumprido.

De acordo com os jornalistas Marco D’Eça e Luís Cardoso, a governadora Roseana Sarney (PMDB) decidiu, ontem, que a política salarial de policiais e bombeiros militares seguirá no bojo de um projeto geral para todo o funcionalismo, a ser encaminhado à Assembléia, até o início do ano que vem. Ou seja, sem data definida e fora do prazo estipulado no acordo.

Em tom ameaçador, Roseana mandou um recado aos policiais e bombeiros: não tolerará movimentos como a inusitada “greve militar” e punirá os insurgentes com rigor, inclusive solicitando a presença da Força Nacional.

Vale lembrar que durante reunião realizada no último dia 8 entre os representantes das categorias com o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Arnaldo Melo (PMDB), e parlamentares da Casa, os policiais militares e os bombeiros suspenderam o movimento de paralisação até o próximo dia 23 de novembro.

Na ocasião, ficou o compromisso do governo, intermediado pela Assembleia, de apresentar uma proposta de acordo até o dia 23 deste mês, o que suspendeu temporariamente a paralisação. Tudo balela, lorota. Foram todos enganados. Atitude típica de Roseana, que nunca foi afeita a cumprir acordos e muito menos o que diz.

Assim que chegou de férias, Roseana logo descumpriu o acordo de que livraria os militares de qualquer punição. Dois tenentes-coronéis do Corpo de Bombeiros do Maranhão – Manoel Alves da Cunha e Celso Jesus Moraes Vargas – foram exonerados de seus cargos de comando.

Agora diz que não vai apresentar proposta nenhuma na próxima quarta-feira que garanta reposição das perdas salariais no orçamento do próximo ano. Ainda por cima debochou e desmereceu o papel dos policias e militares ao declarar que vai convocar a Força Nacional, como se os militares não tivesse serventia nenhuma. Um tremendo desrespeito. Que fique a lição de não mais confiar neste governo.

O Comando de Paralisação da PMMA, composto de 17 das Associações Militares, já deve de agora se reunir e organizar os procedimentos a serem tomados para paralisar as suas atividades operacionais e administrativas como forma de exigir da governadora o respeito que a categoria merece. Este blog está à disposição dos policiais militares e bombeiros. Quem quiser se manifestar ou desejar mandar ou informações pode entrar em contato através dos e-mails: [email protected] e [email protected]  ou pelo telefone (98) 8811-9540.

Reivindicação dos policiais e bombeiros

1 – Reposição das perdas salariais de 2009 a 2011; 30% mais TR (inflação acumulada do ano anterior) em cada ano de 2012 a 2015 previsto no PPA (Plano Plurianual); cumprimento do escalonamento transitado e julgado na 4 Entrância da vara de Fazenda;

2 – Fim do Regulamento Disciplinar do Exército (RDE) e implantação do Código de Ética Profissional dos Policiais e Bombeiros Militares;

3 – Modificação dos critérios de promoção e reorganização do quadro de oficiais e oficiais especialistas com o quadro de oficiais técnico complementar (QOTC);

4 – Definição da jornada de trabalho em 44 horas semanais, adicional noturno e pagamento de hora extra;

5 – Anistia a todos os participantes do movimento reivindicatório, inclusive as lideranças do movimento;

6 – Eleição do Comandante Geral da PM/BM em uma lista tríplice;

7 – Criação de uma Comissão Permanente de Negociação, com a participação de todas as entidades militares;

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

10 respostas para “Roseana não cumprirá acordo; é hora dos policiais deflagrarem greve!”

  1. Inácio Augusto de Almeida disse:

    Enquanto o governo do Maranhão fica protelando o cumprimento do acordo com os PMs, o governo federal começa a dar sinais de que tem que cuidar da questão salarial dos militares das Forças Armadas.
    Leiam a matéria publicada no Jornal O DIA:

    Reajuste dos soldos é questão do governo, diz Amorim
    MARCO AURÉLIO REIS
    Rio – O reajuste dos soldos das Forças Armadas deixou de ser uma preocupação exclusiva do Ministério da Defesa, passando a ser uma questão do governo como um todo. Esse foi o tom da ofensiva feita pelo ministro Celso Amorim em prol do esperado aumento nesta reta final da discussão do Orçamento da União para o ano que vem.
    Em audiência na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, Amorim disse estar “muito ciente das necessidades” dos quartéis por melhoria nos vencimentos. “Diria mais: o governo, como um todo, está muito ciente dessas necessidades e se preocupa com essa situação”, completou. Em tom diplomático, o ministro afirmou que reconhece que “há uma defasagem salarial grande” entre a carreira militar e outras de estado. “No início e no meio da carreira, o sofrimento dos militares é muito grande. Um segundo tenente ganha entre R$ 6 mil e R$ 6,5 mil, bem abaixo de um auditor, incomparavelmente abaixo de um delegado no início de carreira, abaixo de um diplomata, que não acho que ganha muito”, comparou.
    O ministro foi além. Disse que “algo tem que ser feito” para reparar a defasagem dos soldos militares. “E não é só por questão de Justiça para atender a pessoas que, em sua enormíssima maioria, são devotadas à pátria, que não são ligadas a nenhuma ideologia específica e que querem o bem do Brasil”. E alertou: “É uma questão de segurança nacional, porque esse tenente que está ganhando R$ 6,5 mil é o homem que está na fronteira, na Operação Ágata (de combate ao tráfego de armas, drogas e contrabando, entre outros crimes )”.
    Últimos 8 anos
    Na audiência pública na Câmara dos Deputados, o ministro Celso Amorim também destacou que, entre os aumentos salariais concedidos nos últimos oito anos, de todas as carreiras de Estado, a que teve o menor reajuste foi a classe composta por militares.
    Sem data certa
    Amorim foi diplomático sobre quando o reajuste será concedido. “Hoje, amanhã, depois de amanhã, ano que vem? Preferia não entrar nesta discussão”, disse.
    Momento ruim
    O ministro disse mais: “Estamos vivendo momento de dificuldades (financeiras). Há a necessidade até de uma diplomacia interna para levar esse assunto adiante”.
    ////////////////////////////////////////
    O governo federal está ciente da situação e deve resolver esta questão o mais rápido possível.
    Não dá para um piloto de caça ganhar 6,5 mil enquanto um SOLDADO DA PM de Brasília ganha 7,5 mil.
    Que a Governadora Roseana Sarney se espelhe no exemplo do governo federal e encontre uma maneira de melhorar os salários dos PMs maranhenses. O que não dá é para um SOLDADO da PM de Brasília continuar ganhando mais do que um Coronel da PM do Maranhão.
    Continuar com os salários atuais é IMPOSSÍVEL.
    E esta greve vai ter consequências graves. A sociedade maranhense irá comer o pão que o diabo amassou.
    E com certeza isto se refletirá nas eleições de 2012.
    Eleições de 2012 e 2014.
    Pense nisto, Governadora.

  2. gilberto disse:

    roseana vai ver de quantas tropas se faz uma policia, detalhe gadafi quando perdeu sua tropa a queda veio a tona, ela verá quanto a população irá sofrer com uma greve, só um pernambucano, alagoano sabe o que aconteceu e o que está em jogo são vidas. sim porque quando a policia parar os bandidos vão meter o bicho e não tem força nacional que dê jeito.

  3. Reinaldo Cantanhêde Lima disse:

    Boa noite Cutrim, eu sou sindicalista, tenho é pretenção de ser o ultimo mandato, vai iniciar em 2012, que eu vou exercer. Diretor Sintesepa/MA. Fico irritado ao ouvir dizer que movimento sindical está em Câmara Municipal ou em Assembléia, tratando de quetões: aumento de salário! Um homem ou Mulher. Um funcionário ou funcionária Um sindicalista ou uma sindicalista. Naturalmente deveriam estar preparados para pelo menos entenderem sobre a quem compete: Excutivo, Legislativo e Judiciário. Quem paga o salário do funcionário do Executivo é o Poder Executivo! Quem deve ir para a galeria da Assembéia quano o salário está atrazado ou defasa, são funcionários do Legislativo. Os funcionários do poder Excutivo devem ir ocupar o Palácio para cobrar ou negociar. Ou derramar o seu próprio sangue dentro ou fora do Palácio em condições extremadas. Obrigado pelo seu espaço. Abraços. Reinaldo Cantanhêde Lima

  4. ZÉ do MARANHÃO disse:

    ESSE GOVERNO FRACO E CORUPTO NÃO CUMPRE NADA QUE PROMETE , É UM GOVERNO FEITO EM CIMA DE MENTIRAS E ENGANAÇÕES .
    TÁ MESMO NA HORA DA POLÍCIA MILITAR DO MA PARAR E DEIXAR A GRANDE IMPRENSA DO BRASIL MOSTRAR A INCOMPÊTENCIA QUE É O GOVERNO ROSENGANA SARNEY MURAD .
    UM GOVERNO IRESPONSAVEL , QUE ESTÁ BRINCANDO COM A QUESTÃO DA SEGURANÇA PÚBLICA DO NOSSO ESTADO.

  5. Oficial PM disse:

    O que resta fazer para esses homens de farda que sempre aceitaram as circunstancias e sua condição de funcionários públicos inexpressivos?? PARAR suas ATIVIDADES para então serem VISTOS como realmente são, ou seja, imprescindíveis à ordem e convívio social. Capitais que já experimentaram o desprazer de uma paralisação das suas PMs amargaram saques, brigas, homicídios e desordem em escalas inimagináveis… Senhora GOVERNADORA, não é hora de ser intransigente, é momento de ser estrategista e política… Uma greve será uma mácula perene no nome SARNEY e terá repercussão nacional. Roupa suja se lava e COSTURA em casa. Sou militar e, se for mais uma vez, tratado como subfuncionário, eu vou parar!!!

  6. panda disse:

    quem ta gostando disso é marco deça pois la no coroada todo mundo sabe que o lava jato deça serve de quartel general para o traficante cabeça fazer seus negócios

  7. Manoel alves da Cunha disse:

    É POSSÍVEL PACIFICAR A SEGURANÇA PÚBLICA DO MARANHÃO

    Parece que o Governo do Estado “pagou” para ver a paralisação da PM e do CBM, no dia 08/11/2011. E acabou vendo. Foi um fato inédito na história das duas corporações militares do Maranhão, que por sinal ocorreu de forma ordeira e pacífica e durou apenas 4 horas, pois os manifestantes aceitaram um acordo para aguardar até o dia 23/11 por uma proposta concreta do Executivo Maranhense. Agora, surgem notícias nos blogs de que a Governadora não vai atender às reivindicações dos militares e ainda por cima vai chamar a Força Nacional, ou seja, tudo indica que o Governo pretende “pagar” mais uma vez para ver uma nova paralisação dos militares estaduais. É preferível não arriscar novamente, ou melhor, não pagar o preço de ver, pela primeira vez na história da segurança pública deste Estado, um confronto sem precedentes que poderá resultar em danos físicos e sociais para os manifestantes militares e integrantes da Força Nacional, o que, com certeza, manchará a segurança pública, o governo e o Estado, além de trazer caos à sociedade que paga impostos para ter uma segurança cidadã. Isso seria um grande erro político da vida da governadora. Será que o “melhor governo da vida dela” deixará esse triste e desastroso legado para o povo do Maranhão? Não creio que a Chefe do Executivo Estadual vai se deixar levar pela vaidade, o orgulho, a prepotência e a intolerância, pois é tempo de cultivarmos a paz, não a guerra. È tempo de cultivarmos o diálogo, não a intransigência. É tempo de cultivarmos a ordem, não a desordem. É tempo de cultivarmos o amor, não o ódio. Em fim, é tempo de o Estado valorizar os seus servidores e permitir que vivam com dignidade. Portanto, prefiro acreditar numa solução democrática e justa que venha ao encontro dos anseios dos profissionais da segurança estadual e ao mesmo tempo permita ao Estado se adequar à realidade orçamentária. Acredito, também, no bom senso, na responsabilidade e na capacidade política e administrativa da senhora Governadora Roseana Sarney para resolver essa crise instalada nas instituições militares do nosso maravilhoso e pacífico Estado.
    Um grande abraço a todos!
    São Luís-MA, 18/11 2011
    Manoel Alves da Cunha
    Tenente-coronel do CBMMA

  8. Manoel alves da Cunha disse:

    Todos os deputados do Maranhão tem legitimidade e o dever de lutar por uma segurança pública de qualidade. Assim, a postura do Líder do Governo, Dep. Manoel Ribeiro e a do Presidente da Assembléia Legislativa, Dep. Arnaldo Melo, merecem ser destacadas com louvor,pois, no momento em que o Governo se mostrou incapaz de solucionar, mesmo que provisóriamente, o impasse nas negociações com os PMS e BMS, lá estavam eles, assumindo seus papeis de representantes do povo.
    Agora, cabe ao Executivo Maranhense cumprir o acordo feito no último dia 08/11/2011, caso contrário, estará alimentando o sentimento de indignação dos militares e da sociedade, podendo incentivar a adesão de outras categorias de servidores estaduais ao movimento justo e legítmo dos policiais e bombeiros.

    São Luís, 19/11/2011

    Manoel Alves da cunha
    Tenente-coronel Bombeiro

    19 de novembro de 2011 16:02

  9. ricardo da cohab disse:

    E meu caro amigo esses desgoverno total e uma tragedia anunciada e ainda vai trazer a força nacional para prender os nosso policiais e assim vai aver um grande derramento de sanque na nossa capiatal .rosengana procura e valorizar o nosso policiais e deixa de propaganda enganosa ..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens