Fechar
Buscar no Site

Ressaca

Por Chico Viana (médico e vereador de São Luís)

Sabe daquela ressaca quando você toma bebida ordinária? Derruba qualquer um, e nos deixa, como dizia um amigo, com o gosto de cabo de guarda-chuva na boca, seja lá que gosto seja este.

Pois é, estou de ressaca de tanta notícia ordinária, uma em cima da outra, gole atrás de gole, sem sequer dar tempo ao organismo trabalhar o álcool.

Primeiro copo: – Um cidadão sem antecedentes criminais, possuidor de um ofício, foi caçado e morto por policiais militares depois que, supostamente, colocou dez reais de combustível em um posto, e haver tentado se evadir sem efetuar o pagamento. Na perseguição, teriam atirado nos pneus do veículo, mas este foi retirado no local imediatamente depois do homicídio e, estranhamente, o automóvel estava com o tanque de combustível cheio.

Mas estranho ainda é a declaração do secretário de Segurança que endossou a ação dos PMs, entendendo que eles agiram ‘nos conformes’. Esta foi uma dose cavalar.

Segundo copo: – O rádio ligado me tira do torpor, com uma entrevista de um cidadão representante da comunidade do Vinhais Velho, pedindo pelo amor de Deus que lhe preservem uma área criada no mesmo ano da fundação de São Luis, 1612 . Exibe mananciais e fontes, argumenta que lá é um sítio arqueológico por onde passará, degradando tudo, uma desastrada obra que haverá de ligar dois shoppings da cidade, destruindo mangues, áreas protegidas etc., tudo isso ante a indiferença do Ministério Público, das Instituições responsáveis pelo Meio Ambiente, Tribunal de Contas, enfim todos os que, de maneira expedita, até hoje evitaram que a Prefeitura sequer começasse as obras do Socorrão.

Terceiro copo: De repente em uma semana, o Governo do Estado, a curul do Estado símbolo de um poder outorgado a um só, serve de assento para quatro ‘governadores’, em um rodízio que banaliza o cargo, em um precedente nunca visto no Maranhão, independente dos homens que tiveram os seus minutos de glória a lhe acrescentar o currículo.

Quarto copo: – Este foi o mais copioso, de onde eu senti plenamente o gosto acre e insuportável da bebida, mas fazer o quê, se ninguém me afasta (ou) de mim este cálice? Em um final de semana, aconteceram 13 homicídios na Ilha de São Luís, uma calamidade. A polícia anuncia greve, e a justiça dá uma freada no ônibus e põe na rua 283 marginais nas grades da Penitenciária de Pedrinhas, isso sem contar com os que serão despejados pelo indulto de Natal.

Quinto copo: – Um deputado se assanha e, com justa revolta, propõe que a Assembleia Legislativa promova a interdição da BR-135, em suas palavras ‘para mostrar para esses cafajestes lá de fora que no Maranhão tem pessoas de bem que querem evitar mortes dos nossos conterrâneos’, realmente uma atitude temerária, e tomada sem levar em consideração os interesses dos maranhenses numa via na qual dezenas morrem por ano, e, principalmente, afrontando as autoridades do Estado. Quem seria, no entanto, mais infame, para não usar o epíteto do deputado? Um ministro ou dois ministros maranhenses cuja investidura atesta o maior poder político já conferido a um Estado, o mais pobre da federação? Não teriam ele, por dever, um dever de conterrâneo, ao tomar conhecimento deste esbulho, interferido para que o dano fosse reparado?

Afinal aqui é a terra de um ex-presidente e a quarta autoridade na linha de sucessão à chefia do governo, como presidente do Senado da República. Quatro vezes a maior o Chefe do Congresso Nacional, autoridade maior do Poder Legislativo. Por que tanto prestígio político nunca é, ou foi, instrumentalizado para trazer benefícios ao Estado? Na verdade, há até um pouco de coerência na omissão. Na presidência, não deixou um legado físico que, se não o eternizasse, mas que orgulhasse os maranhenses. Será que fariam isso na Bahia do Antônio Carlos Magalhães, um caudilho que cuidava bem de seu curral, e não só dele usufruía?

Sexto copo: – Fazendo as contas no Portal da Transparência um diligente cidadão, preocupado com o dinheiro do povo, descobre que nos últimos doze meses, foram gastos R$ 50 milhões só em propaganda institucional ? Um governo que cancela convênio com o Hospital do Câncer, que não acrescentou nos oito anos que exerceu o seu mandato, um só leito hospitalar, nenhuma sala escolar. E passa batido por quem deveria fiscalizar nosso parco dinheirinho. No ano passado o deputado Flávio Dino já havia dado conta que, nos primeiros seis meses de 2010 já haviam torrado R$ 30 milhões e, a bem da verdade diga-se, na maior transparência, afinal nunca se escondeu que o governador é dono da empresa mais beneficiada com este pacote, pelo menos a metade do espólio.

Sétimo copo: – O STF jurisprudencia (esta inventei agora) e dá seu aval para que as escolas superiores graduem cidadãos que não podem exercer nenhuma profissão, numa ignomínia aos bacharéis de direito, afinal é o único, dentre uma imensa lista nas áreas de Ciências Exatas (Engenharia, Matemática, Estatística etc.), Ciências Humanas (Letras, Filosofia etc.), Ciências Sociais (Direito, Sociologia, Antropologia, Ciência Política, Ciências Econômicas, Ciências Contábeis, Administração etc.) e Ciências da Saúde (Educação, Farmácia, Medicina, Odontologia, Fisioterapia, Enfermagem etc), obrigado a se submeter a uma avaliação penosa que se propõe ignorar instituições e esforços, tornar inútil a graduação e desmoralizar docentes, pretendendo em, duas provas, conferir o que o cidadão aprendeu em cinco anos de batente.

Se o leitor ainda não se embriagou com estas doses, é ‘bom de cana’ mesmo.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

7 respostas para “Ressaca”

  1. Reinaldo Cantanhêde Lima disse:

    Bom dia Cutrim. Obrigado Senhor Chico Viana, ao iniciar a leitura tive a impressão de estar ouvindo as insinuaçãoes de Chivo Anísio. Chico Viana é um excelente inventor de como contar ou escrever fatos e chamar à atenção do leitor! Concordando, com a ironia sobre o noticiário, ver mistura de concordancia mais discordância. Estmos muitos ressacados, como bém comentado, de tantos noticiários engulhantes. A cada copo engolido e a cuspalhada no pé e, o franzir da cara. Eu soltava uma boa gargalhada. Foram Sete Gargalhadas. E, aí, cada englho da bebida ruim, equivaleu a uma alfinetada na cara de cada canalha, de cada sacana, de cada patife, de cada bandido e de cada corrupto e de cada … justificativa injustificável, Obrigado pelo espaço. Abraços. Reinaldo Cantanhêde Lima

  2. Eduardo Wood Jr disse:

    Eu não sou bom de cana, não, mas às suas doses, eu acresceria (dentre muitas outras) essas: Oitavo copo: as ruas do meu bairro (Recanto dos Vinhais) são uma tábua de pirulito, e olha que o inverno nem chegou; Nono copo: por que será que no portal da transparência da prefeitura (se é que se pode chamar o site de transparente) não há uma despesa sequer paga à Pavitec? Décimo copo: em escola municipal, as crianças não têm água para beber nem cadeira para sentar e sofrem com o calor, professora vai às lágrimas; Décimo primeiro copo: por que ninguém da prefeitura vem a público esclarecer tim-tim por tim-tim essa estória do sumiço de R$ 73 milhões? Primeiro Engov: curioso é que todas as doses do vereador são da cachaça do governo estadual. Não há um trago, só uma goladinha, de aguardente municipal. E olha que, segundo alguns contam, há alambiques produzindo cachaça de mais alta qualidade em todas as secretarias do município de São Luís; já na câmara de vereadores, só scotch.

  3. pericles santos disse:

    Quisera eu ter uma polpudíssima aposentadoria por invalidez, mesmo aos 37 anos, e tres ou quatro mamat.., ops, “empregos” que me facultasse encher a cara com bebidas finíssimas , daquelas que não, deixam ressaca nenhuma.
    Quisera eu poder bancar, através de minha aposentadorias e “empregos” farras de meus filhos em São Paulo, coisitas pequenas, noitadas de apenas 50 milas.
    Eu, como não posso, tomo rabo de galo aqui no VINHAIS VELHO, no bar do Toinho.
    É ou não é foda?

  4. Chico Silva disse:

    Para um médico vou receitar um remédio caseiro, “chá de boldo”, isso mesmo você precisa tomar muito chá de boldo, pois quando vc tomar uma trago desses R$ 75.000.000,00 desaparecidos pode ser que seu fígado não suporte.

  5. Maycon Ferraz disse:

    Chico, ai vai outro copo, bem na sua cara: “vários maranhenses torram R$ 50.000,00 em uma noitada em SP”, com a desculpa de assistir ao ridículo Bebê Jr, num meio de semana, inclusive um ignóbil e ausente Dep. Carlos Fº e o um dos teus comissionados filhos Manuelzinho Viana…. Diga alguma coisa em defesa deles, se tiver hombridade…

  6. Scillas disse:

    VAI FISCALIZAR O PREFEITO, CHICO.
    ESSE É O PAPEL QUE TENS QUE DESEMPENHAR.

  7. Inácio Augusto de Almeida disse:

    Faltou o Oitavo copo:
    APOSENTADORIA FRAUDULENTA.
    Comenta alguma coisa sobre como se aposentar por invalidez tendo-se uma saúde de fazer inveja a um atleta de olimpíada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens