Fechar
Buscar no Site

Penalização de brincadeirinha

Por: Chico Viana

Não é preciso ser do ramo para saber o que é apenado. O velho Aurélio nos ensina: Se adjetivo, condenado a pena, punido, castigado; como substantivo masculino, trabalhador forçado. Em todas elas, vejam, há um incontestável e prioritário sentido de expiação e de sofrimento compensatório da culpa. Depois vem a recuperação e reintegração do criminoso à sociedade, já que a vítima do crime, muitas vezes, já foi não se reintegra mais. Mas, se o senhor receber, naquele formalismo litúrgico todo, a sentença de um togado lhe aplicando 400 anos de prisão por vários crimes, fique tranqüilo. No mais das vezes, quase em todas, o senhor vai cumprir cinco anos, albergado, ou, se tiver bom comportamento, estará livre em dez anos, numa liberdade condicional com quase todas as prerrogativas de um cidadão comum. Ah, mais seu crime foi hediondo? Eu esquartejei, estuprei, trafiquei. Calma, tem jeito para tudo. Neste caso, só depois de cumprir 2/3 da pena, e como no Brasil a pena máxima de privação de liberdade é trinta anos, com vinte o amigo retornará ao nosso convívio. Neste período, você ainda pode apressar as coisas e, quem sabe, até ganhar “status”. Explico: é proibido por lei o senhor trabalhar de graça como parte de seu castigo. Destarte, cada dia trabalhado em capina, horta, criação de animais, etc… é pago; pouco, mas é. Isso, porém não é importante; pode dar o trocado para quem o colocou na lista. O importante é que, por cada três dias trabalhado, vai-se-lhe um dia de sua pena. Aproveite e avance mais, em dois sentidos: no sentido da liberdade e na aquisição de um curso que, a rigor, não vai lhe servir de nada, mas abreviará seu tempo na expiação. Inscreva-se rm um deles, qualquer um. Até por correspondência vale. Por cada doze horas de aulas, mais um dia desaparece de seu prontuário, e vai diminuindo… Preocupação com a família o senhor só tem se for imprevidente. A sua manutenção está garantida.

Cada apenado nos custa R$ 1.600, 00 mensais. Não é muito, mas é superior aos R$ 213,00 que gastamos para manter, também por mês, um estudante do ensino fundamental. Fosse de Minas Gerais o senhor dava de capote. Lá se gasta onze vezes mais do que um aluno da rede estadual de ensino. É que lá a média por aluno é de R$ 147,05 mensais, e você pesa R$ 1.700,00. Só para que não fique todo prosa, numa Penitenciária Federal, o senhor nos custaria R$ 4 milhões. Mas, anime-se. O famoso jurista Nelson Hungria dizia que as penitenciárias são a Universidades do Crime. E vá se pós-graduando para chegar lá. Quanto à família, também sem problemas, repito, se o senhor foi previdente. Isto, coisa nova introduzida por nossos parlamentares, alguns em causa própria, agora em 2009.

Se o senhor tiver sido inscrito do INSS com um salário de contribuição igual ou inferior a R$ 752,12 está garantido. Ah, mas eu contribuí só alguns meses, depois mudei de ramo. Não tem problema; a lei é mãe: “a concessão do benefício de auxílio-reclusão independe do período de carência; ou seja, não há tempo mínimo de contribuição para o direito à concessão do benefício, sendo necessária somente a comprovação da condição de segurado pelo Recluso/detido”. E por quanto tempo e quanto vai ser? Enquanto o senhor estiver preso e com o salário de aposentadoria, como se apenado não fosse.

Mais uma vez o senhor passou a perna nos cidadãos corretos, que, com doença grave, câncer às vezes, morrem e não conseguem qualquer benefício no INSS.

Mais regalia que esta, só se o senhor for “di menor”. Na Itália, a “criança” já responde pelo crime com 14 anos; na Inglaterra e País de Gales, 10 anos; na Escócia, 8; na Rússia, 14; aqui no México, 14; e naquele País que é exemplo da democracia e dos direitos humanos no mundo, os EUA, a maioridade penal varia conforme a legislação estadual. Apenas treze estados fixaram uma idade mínima legal, que varia entre 6 e 12 anos. Nos demais estados, a legislação se baseia nos usos e costumes locais, uma “lei comum” que não é escrita, mas que tem força de lei. Na maioria destes outros estados, crianças abaixo de sete anos não podem ser julgadas. Adolescentes a partir dos 14 anos são julgados como adultos e jovens entre 7 e 14 anos podem ou não ser considerados plenamente responsáveis por seus atos, conforme uma análise individual de cada caso.

Aqui no Brasil considera-se criança até os 12 anos e adolescentes, de 12 a 18. Estes não podem responder pelos seus crimes, não sabem o que estavam fazendo, são inimputáveis. Se matou, se estuprou, se traficou, os “menores infratores” podem, de acordo com o crime, alcançar a punição maior: detenção física por no máximo três anos, ou até 21 anos de idade. Aí é só fazer as contas e ver qual é a vantagem.

Há algumas raríssimas exceções, que de tanto não serem aplicadas a gente nem tem conhecimento.

Pelo que se observa, a penalização não se restringe praticamente a nada, nem à perda da liberdade que cada vez mais se torna menor. Tem tudo pago, e agora saiu, ‘quentinha do forno’, a visita íntima para os homossexuais. Para que pressa? Nos Estados Unidos, só como exemplo, coloca seus 2,3 milhões de prisioneiros a trabalhar para pagar por seus próprios encarceramentos. Fazem de tudo, cozinham, lavam, cuidam da limpeza, fazem bolas, placas; enfim, lá têm pena do cidadão desempregado que paga por tantas regalias de quem está na prisão justamente para não tê-las.

Cá, a coisa é diferente, e muito…

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

3 respostas para “Penalização de brincadeirinha”

  1. PREFEITO DE PINDARE, HENRIQUE SALGADO, SE CONSIDERA RICO!

    Não acho nenhum demérito uma pessoa ser rica. Principalmente se chegou a este patamar de forma honesta e lícita. Mas falar abertamente isso, principalmente da forma inexplicável que chegou a tanto, é no mínimo muito censurável. Pois é, o prefeito de Pindaré-Mirim, Henrique Salgado, já fala abertamente na cidade que é um homem rico. Nem era preciso ele dizer isso porque é um fato verídico e evidente. Só não sei como se deu essa metamorfose. O certo é que não existe milagre que explique essa transformação.

    Lembro-me muito bem da história de Henrique Salgado, desde a época em que foi Gerente do Posto da Companhia de Mecanização Agrícola do Maranhão – CIMEC, um órgão do Governo do Estado que foi extinto por não suportar tantas irregularidades na época, principalmente quando ele exerceu tal cargo.
    Logo após, exerceu também os cargos de diretor administrativo-financeiro e diretor presidente da CONAB, que também sucumbiu à ingerência. Consegui a proeza de levar o órgão à falência pela sua forma de conduzi-lo.
    Depois disso ficou uns anos no estaleiro do batente até que começou a “ajudar” politicamente a família Pezão, quando freqüentemente vinha a Pindaré. Aqui ele nunca teve residência própria porquê nunca comprou um imóvel pra morar, se apoderou da casa do sogro onde vive até hoje.

    Quando chegou por aqui, pra começar sua trilha política, sua situação financeira era muito desprezível. Chegou como diz o ditado popular, “puxando a cachorrinha”.
    Foi Secretário de Administração e Finanças do cunhado Manoel Filho Pezão, quando este foi prefeito. Conseguiu adquirir uns bons borós quando mandava no cofre da vaquinha, mas logo após o mandato, facilmente gastou.

    E agora! Agora Henrique Salgado é um homem de um patrimônio estimável. Por isso diz declaradamente que é um homem endinheirado. Diz isso a todo mundo, inclusive disse isso, sem pedir segredos a ninguém, numa reunião com os professores, quando os reuniu pra dizer que só poderia pagar R$ 545,00 reais de abono ao invés de R$ 2.598,00 reais como de direito para cada professor. Depois da chiadeira dos professores, Salgado disse: “Eu não preciso ficar com o dinheiro de ninguém porque eu sou um homem muito rico”.

    Alguns professores ficaram de queixo caído. Outros pasmos se abismaram! E outro desferiu: “Esse sujeito veio pra cá fazer farra à custa do nosso dinheiro”!

    Realmente prefeito! Você é um homem rico ou mais que isso! Vivia blasfemando esse título a outras pessoas modestas da nossa cidade. Lembra? Quando deveria por o chapéu na sua própria cabeça. Mas só agora assumiu este título.

    Mas a lógica não deveria ser essa. A coisa começou a mudar depois que Salgado assumiu a “vaquinha mimada”.
    Quem não lembra quando pediu dinheiro emprestado a juros altos pra fazer sua primeira campanha a prefeito? Quem não lembra de Zequinha Cruz, que dizia abertamente no Pindaré ter ganhado a eleição para Salgado? Por ter emprestado aquela grana preta de mais de um milhão e meio de reais na época? Que penhorou Hotel, Casa e outros bens do cunhado do prefeito, para poder financiar a grana da campanha? Que até hoje recebe em parcelas com juros e dividendos o montante deste acordo?

    Henrique Salgado não tinha nada, mas hoje é um homem abastado. Não sei como mudou de repente da água pro vinho. Deve ter recebido algum milagre divino que só ele sabe. Mais não acredito em milagre dessa natureza.

    Salgado já acumulou uma fortuna que não daria para enumerar aqui todos os seus bens, mas me faculto citar alguns poucos exemplos desta proeza:
    Ao se eleger prefeito, imediatamente mudou de endereço em São Luis. Morava numa casa considerada modesta no Conjunto Cohafuma, e logo passou a morar num excelente apartamento que comprou numa área nobre na Ponta do Farol, de aproximadamente 300 m², que não vale menos de um milhão e meio de reais.
    Comprou a fazenda Canaã, em Presa de Porco, por dez milhões de reais, de porteira fechada e já incrementou nela mais de duas mil cabeças de gado, entre vacas, novilhas e touros para recria. Quem a conhece costuma dizer: Isso é que é uma fazenda!
    Comprou também outra fazenda em Governador Newton Belo por oito milhões de reais.
    Comprou uma frota de maquinários, avaliada em mais de vinte milhões de reais (40 Caçambas, Carregadeiras, Patrols, Tratores de Esteira, Retro-Escavadeiras, Escavadeiras Hidráulicas, Carros Pipas e outros tipos), que aluga para a prefeitura de São Luis, que lhe rende a bagatela cifra de trezentos mil reais por mês. Por isso o apoio à candidata Gardeninha Castelo na última eleição.
    Comprou dez apartamentos residenciais no empreendimento Grand Park da Franere/Gafisa na Avenida dos Holandeses, dos mais caros que existem. Cada um não custa menos de trezentos mil reais.
    Comprou vários carrões que circulam em São Luis, mas que não podem aparecer em Pindaré.
    Sem falar do filho que tem uma Construtora em São Luis.
    Recebe um excelente salário de uma “assessoria” na Assembléia Legislativa pra não fazer nada, no gabinete da deputada Gardeninha Castelo.

    Além dos empregos de familiares em órgãos públicos sob sua influência tem a ocupação de vários cargos pela “parentada” na prefeitura de Pindare, o famoso Nepotismo. Se nepotismo é crime o que podemos chamar isso em Pindare? Tem gente que mora no “Inferno da Pedra” mais recebe da prefeitura de Pindaré. É brincadeira?

    Alguns costumam dizer que Salgado é um bom prefeito. É que esses não sabem quanto ele recebeu e quanto aplicou.
    Bom prefeito é aquele que emprega corretamente e adequadamente os recursos que o município recebe para transformá-los em melhorias e bem estar da população

    Nunca na história do Pindare um prefeito recebeu tanto dinheiro, principalmente de convênios. Além das receitas próprias do município que aumentaram consideravelmente. Sem falar nas táticas de aumentar o número de alunos pra receber mais dinheiro do FUNDEB. Não é blefe. É só comparar o Censo Escolar do município e o comparecimento de alunos nas salas de aula. Muita gente sabe disso.

    Falando em recursos. Só do governo do estado Henrique Salgado recebeu aproximadamente R$ 38.000.000,00 (trinta e oito milhões de reais) em convênios para diversas áreas de sua administração. Recebeu até agora mais do que todos os prefeitos anteriores juntos. Boa parte destes recursos, mais de nove milhões de reais, foi para pavimentação asfáltica, e o que mais se vê é a cidade cheia de buracos e muito lixo nas ruas. E seus asseclas calados!
    Recebeu R$ 3.654.934,18 (três milhões, seiscentos e cinqüenta e quatro mil, novecentos e trinta e quatro reais e dezoito centavos). Só para recuperação das estradas vicinais. Que muito pouco fez. Este foi seu grande trunfo. Tinha seu próprio maquinário para fazer as obras. Se é que podemos dizer assim.

    Recebeu em 2009 mais de R$ 2.274.371,17 (dois milhões, duzentos e setenta e quatro mil, trezentos e setenta e um reais e dezessete centavos) em recursos de dois convênios para recuperar e asfaltar somente a estrada que liga a BR 316 aos Povoados Lages/Bambu e nunca fez nada. Aliás, fez, na época da campanha de 2010 enganou a todos que iria asfaltar tudo e não cumpriu.

    Recebeu R$ 650.000,00 (seiscentos e cinqüenta mil reais) pra fazer “Aquela Coisa” que prestou contas como sendo uma “Barragem no Igarapé do Lago Grajaú” que o rio facilmente levou. E usando suas máquinas e o combustível da vaquinha.

    Recebeu em valores corrigidos de hoje para a construção do “Cais da Beira do Rio Pindare” o montante de R$ 11.334.358,34 (onze milhões, trezentos e trinta e quatro mil, trezentos e cinqüenta e oito reais e trinta e quatro centavos), isso mesmo, foi quanto custou a obra do Cais de Pindare. Um dos convênios desta obra o gato comeu! O de 2006 no valor de R$ 2.850.000,00. E vejam que já abriu uma cratera maior do mundo, porquê sua estrutura deveria ser feita de concreto armado e fizeram com paredes de tijolo pré moldado. Um absurdo! Pelos cálculos de um engenheiro, este valor daria pra fazer aproximadamente 23 (vinte e três) obras idênticas. Ou seja, daria pra fazer 2.990 metros de Cais. Quase três quilômetros. E fizeram 130 metros.

    Só no ano de 2010, próximo das eleições, Salgado recebeu do governo Roseana Sarney, R$ 4.212.381,12 (quatro milhões, duzentos e doze mil, trezentos e oitenta e um reais e doze centavos).
    Deste montante, R$. 1.052.625,12 (um milhão, cinqüenta e dois mil, seiscentos e vinte e cinco reais e doze centavos), foram para melhorias e conservação de 42 km de Estradas Vicinais. Por informações de pessoas que residem nos Povoados do município, ninguém soube dizer onde foi feito qualquer reparo de estradas vicinais neste ano. Quem conhece nossas estradas vicinais sabe que não são 42 km. São muito menos.

    Recebeu R$ 2.101.813,10 (dois milhões, cento e um mil, oitocentos e treze reais e dez centavos) para serviços de pavimentação asfaltica de vias urbanas. Não foi feito quase nada. Daria pra asfaltar mais de vinte quilômetros de vias. Talvez deixaram pra fazer perto das próximas eleições.

    Recebeu R$ 1.057.943,10 (um milhão, cinqüenta e sete mil, novecentos e quarenta e três reais e dez centavos), para Construção de três Postos de Saúde nos Povoados Colônia Pimentel, Morada Nova e Santa Helena e até agora só começou o de Santa Helena, e assim mesmo a obra já parou. A empresa que supostamente ganhou a licitação e, por conseguinte, habilitou-se a construí-los foi a SOL-CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA, que assinou um contrato com o município de R$ 1.031.250,30 (um milhão, trinta e um mil, duzentos e cinqüenta reais e trinta centavos), para construir os três postos, mas quem estava construindo o da Santa Helena era Israel dos Santos. Sem nenhuma explicação, já que não venceu a licitação. Vejam a diferença de valores.
    Não vou descrever mais por que o texto ficaria muito grande e cansativo, é apenas uma síntese da realidade. Que a maioria da população não conhece. É dessa maneira que se governa no Pindaré.

  2. PREFEITO DE PINDARE, HENRIQUE SALGADO, SE CONSIDERA RICO!
    Não acho nenhum demérito uma pessoa ser rica. Principalmente se chegou a este patamar de forma honesta e lícita. Mas falar abertamente isso, principalmente da forma inexplicável que chegou a tanto, é no mínimo muito censurável. Pois é, o prefeito de Pindaré-Mirim, Henrique Salgado, já fala abertamente na cidade que é um homem rico. Nem era preciso ele dizer isso porque é um fato verídico e evidente. Só não sei como se deu essa metamorfose. O certo é que não existe milagre que explique essa transformação.

    Lembro-me muito bem da história de Henrique Salgado, desde a época em que foi Gerente do Posto da Companhia de Mecanização Agrícola do Maranhão – CIMEC, um órgão do Governo do Estado que foi extinto por não suportar tantas irregularidades na época, principalmente quando ele exerceu tal cargo.
    Logo após, exerceu também os cargos de diretor administrativo-financeiro e diretor presidente da CONAB, que também sucumbiu à ingerência. Consegui a proeza de levar o órgão à falência pela sua forma de conduzi-lo.
    Depois disso ficou uns anos no estaleiro do batente até que começou a “ajudar” politicamente a família Pezão, quando freqüentemente vinha a Pindaré. Aqui ele nunca teve residência própria porquê nunca comprou um imóvel pra morar, se apoderou da casa do sogro onde vive até hoje.

    Quando chegou por aqui, pra começar sua trilha política, sua situação financeira era muito desprezível. Chegou como diz o ditado popular, “puxando a cachorrinha”.
    Foi Secretário de Administração e Finanças do cunhado Manoel Filho Pezão, quando este foi prefeito. Conseguiu adquirir uns bons borós quando mandava no cofre da vaquinha, mas logo após o mandato, facilmente gastou.

    E agora! Agora Henrique Salgado é um homem de um patrimônio estimável. Por isso diz declaradamente que é um homem endinheirado. Diz isso a todo mundo, inclusive disse isso, sem pedir segredos a ninguém, numa reunião com os professores, quando os reuniu pra dizer que só poderia pagar R$ 545,00 reais de abono ao invés de R$ 2.598,00 reais como de direito para cada professor. Depois da chiadeira dos professores, Salgado disse: “Eu não preciso ficar com o dinheiro de ninguém porque eu sou um homem muito rico”.

    Alguns professores ficaram de queixo caído. Outros pasmos se abismaram! E outro desferiu: “Esse sujeito veio pra cá fazer farra à custa do nosso dinheiro”!

    Realmente prefeito! Você é um homem rico ou mais que isso! Vivia blasfemando esse título a outras pessoas modestas da nossa cidade. Lembra? Quando deveria por o chapéu na sua própria cabeça. Mas só agora assumiu este título.

    Mas a lógica não deveria ser essa. A coisa começou a mudar depois que Salgado assumiu a “vaquinha mimada”.
    Quem não lembra quando pediu dinheiro emprestado a juros altos pra fazer sua primeira campanha a prefeito? Quem não lembra de Zequinha Cruz, que dizia abertamente no Pindaré ter ganhado a eleição para Salgado? Por ter emprestado aquela grana preta de mais de um milhão e meio de reais na época? Que penhorou Hotel, Casa e outros bens do cunhado do prefeito, para poder financiar a grana da campanha? Que até hoje recebe em parcelas com juros e dividendos o montante deste acordo?

    Henrique Salgado não tinha nada, mas hoje é um homem abastado. Não sei como mudou de repente da água pro vinho. Deve ter recebido algum milagre divino que só ele sabe. Mais não acredito em milagre dessa natureza.

    Salgado já acumulou uma fortuna que não daria para enumerar aqui todos os seus bens, mas me faculto citar alguns poucos exemplos desta proeza:
    Ao se eleger prefeito, imediatamente mudou de endereço em São Luis. Morava numa casa considerada modesta no Conjunto Cohafuma, e logo passou a morar num excelente apartamento que comprou numa área nobre na Ponta do Farol, de aproximadamente 300 m², que não vale menos de um milhão e meio de reais.
    Comprou a fazenda Canaã, em Presa de Porco, por dez milhões de reais, de porteira fechada e já incrementou nela mais de duas mil cabeças de gado, entre vacas, novilhas e touros para recria. Quem a conhece costuma dizer: Isso é que é uma fazenda!
    Comprou também outra fazenda em Governador Newton Belo por oito milhões de reais.
    Comprou uma frota de maquinários, avaliada em mais de vinte milhões de reais (40 Caçambas, Carregadeiras, Patrols, Tratores de Esteira, Retro-Escavadeiras, Escavadeiras Hidráulicas, Carros Pipas e outros tipos), que aluga para a prefeitura de São Luis, que lhe rende a bagatela cifra de trezentos mil reais por mês. Por isso o apoio à candidata Gardeninha Castelo na última eleição.
    Comprou dez apartamentos residenciais no empreendimento Grand Park da Franere/Gafisa na Avenida dos Holandeses, dos mais caros que existem. Cada um não custa menos de trezentos mil reais.
    Comprou vários carrões que circulam em São Luis, mas que não podem aparecer em Pindaré.
    Sem falar do filho que tem uma Construtora em São Luis.
    Recebe um excelente salário de uma “assessoria” na Assembléia Legislativa pra não fazer nada, no gabinete da deputada Gardeninha Castelo.

    Além dos empregos de familiares em órgãos públicos sob sua influência tem a ocupação de vários cargos pela “parentada” na prefeitura de Pindare, o famoso Nepotismo. Se nepotismo é crime o que podemos chamar isso em Pindare? Tem gente que mora no “Inferno da Pedra” mais recebe da prefeitura de Pindaré. É brincadeira?

    Alguns costumam dizer que Salgado é um bom prefeito. É que esses não sabem quanto ele recebeu e quanto aplicou.
    Bom prefeito é aquele que emprega corretamente e adequadamente os recursos que o município recebe para transformá-los em melhorias e bem estar da população

    Nunca na história do Pindare um prefeito recebeu tanto dinheiro, principalmente de convênios. Além das receitas próprias do município que aumentaram consideravelmente. Sem falar nas táticas de aumentar o número de alunos pra receber mais dinheiro do FUNDEB. Não é blefe. É só comparar o Censo Escolar do município e o comparecimento de alunos nas salas de aula. Muita gente sabe disso.

    Falando em recursos. Só do governo do estado Henrique Salgado recebeu aproximadamente R$ 38.000.000,00 (trinta e oito milhões de reais) em convênios para diversas áreas de sua administração. Recebeu até agora mais do que todos os prefeitos anteriores juntos. Boa parte destes recursos, mais de nove milhões de reais, foi para pavimentação asfáltica, e o que mais se vê é a cidade cheia de buracos e muito lixo nas ruas. E seus asseclas calados!
    Recebeu R$ 3.654.934,18 (três milhões, seiscentos e cinqüenta e quatro mil, novecentos e trinta e quatro reais e dezoito centavos). Só para recuperação das estradas vicinais. Que muito pouco fez. Este foi seu grande trunfo. Tinha seu próprio maquinário para fazer as obras. Se é que podemos dizer assim.

    Recebeu em 2009 mais de R$ 2.274.371,17 (dois milhões, duzentos e setenta e quatro mil, trezentos e setenta e um reais e dezessete centavos) em recursos de dois convênios para recuperar e asfaltar somente a estrada que liga a BR 316 aos Povoados Lages/Bambu e nunca fez nada. Aliás, fez, na época da campanha de 2010 enganou a todos que iria asfaltar tudo e não cumpriu.

    Recebeu R$ 650.000,00 (seiscentos e cinqüenta mil reais) pra fazer “Aquela Coisa” que prestou contas como sendo uma “Barragem no Igarapé do Lago Grajaú” que o rio facilmente levou. E usando suas máquinas e o combustível da vaquinha.

    Recebeu em valores corrigidos de hoje para a construção do “Cais da Beira do Rio Pindare” o montante de R$ 11.334.358,34 (onze milhões, trezentos e trinta e quatro mil, trezentos e cinqüenta e oito reais e trinta e quatro centavos), isso mesmo, foi quanto custou a obra do Cais de Pindare. Um dos convênios desta obra o gato comeu! O de 2006 no valor de R$ 2.850.000,00. E vejam que já abriu uma cratera maior do mundo, porquê sua estrutura deveria ser feita de concreto armado e fizeram com paredes de tijolo pré moldado. Um absurdo! Pelos cálculos de um engenheiro, este valor daria pra fazer aproximadamente 23 (vinte e três) obras idênticas. Ou seja, daria pra fazer 2.990 metros de Cais. Quase três quilômetros. E fizeram 130 metros.

    Só no ano de 2010, próximo das eleições, Salgado recebeu do governo Roseana Sarney, R$ 4.212.381,12 (quatro milhões, duzentos e doze mil, trezentos e oitenta e um reais e doze centavos).
    Deste montante, R$. 1.052.625,12 (um milhão, cinqüenta e dois mil, seiscentos e vinte e cinco reais e doze centavos), foram para melhorias e conservação de 42 km de Estradas Vicinais. Por informações de pessoas que residem nos Povoados do município, ninguém soube dizer onde foi feito qualquer reparo de estradas vicinais neste ano. Quem conhece nossas estradas vicinais sabe que não são 42 km. São muito menos.

    Recebeu R$ 2.101.813,10 (dois milhões, cento e um mil, oitocentos e treze reais e dez centavos) para serviços de pavimentação asfaltica de vias urbanas. Não foi feito quase nada. Daria pra asfaltar mais de vinte quilômetros de vias. Talvez deixaram pra fazer perto das próximas eleições.

    Recebeu R$ 1.057.943,10 (um milhão, cinqüenta e sete mil, novecentos e quarenta e três reais e dez centavos), para Construção de três Postos de Saúde nos Povoados Colônia Pimentel, Morada Nova e Santa Helena e até agora só começou o de Santa Helena, e assim mesmo a obra já parou. A empresa que supostamente ganhou a licitação e, por conseguinte, habilitou-se a construí-los foi a SOL-CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA, que assinou um contrato com o município de R$ 1.031.250,30 (um milhão, trinta e um mil, duzentos e cinqüenta reais e trinta centavos), para construir os três postos, mas quem estava construindo o da Santa Helena era Israel dos Santos. Sem nenhuma explicação, já que não venceu a licitação. Vejam a diferença de valores.
    Não vou descrever mais por que o texto ficaria muito grande e cansativo, é apenas uma síntese da realidade. Que a maioria da população não conhece. É dessa maneira que se governa no Pindaré.

  3. Até por uma brincadeirazinha isto acontece, tem de se ter cuidado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens