Fechar
Buscar no Site

PDT faz festa para a filiação de Eurídice, Vidigal e Barrão

Por Manoel Santos Neto

O presidente da Comissão Provisória do PDT no Maranhão, médico Igor Lago, conduziu, na noite de ontem (17), os trabalhos da cerimônia de filiação ao partido do ministro aposentado Edson Vidigal, de sua esposa, Eurídice Vidigal, ex-secretária de Estado da Segurança Cidadã, e do presidente da Associação dos Vendedores Ambulantes de São Luís, José de Ribamar Silva, mais conhecido como “Barrão”.

Em seu discurso, Igor Lago deu boas-vindas a Eurídice e a Vidigal, ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que foi candidato a senador pelo PSDB em 2010 e candidato a governador do Maranhão pelo PSB em 2006. Os novos filiados, segundo Igor Lago, agora ficam à vontade para participar mais intensamente da luta diária pela libertação do Maranhão, em uma nova trincheira.

Ao assinar a ficha de filiação, que foi abonada pelos presidentes regionais e municipais do PDT, Igor Lago e Moacir Feitosa, respectivamente, Vidigal revelou que está escrevendo um livro sobre o processo que, em 2009, resultou na cassação do mandato do ex-governador Jackson Lago, com o título provisório “Breve Memorial de um Longo Tempo – As duas mortes do Governador Jackson Lago”, que ele pretende lançar ainda este ano.

O livro apresentará a cassação de Jackson como primeira morte e a própria morte, em consequência, no dia 4 de abril deste ano. “Ao nos deslocarmos, Eurídice e eu, de uma trincheira a outra como agora, de uma legenda a outra, no mesmo campo oposicionista, queremos deixar bem claro que estamos apenas mudando de trincheira, por exigência conjuntural”, afirmou Vidigal, numa referência à troca do PSDB para o PDT.

Participaram da solenidade , que teve como mestre de cerimônia o sociólogo Léo Costa, a viúva de Jackson, Clay Lago, o deputado estadual Carlos Amorim, o vereador Ivaldo Rodrigues, os ex-deputados Julião Amin e Wagner Lago, o vice-prefeito de Imperatriz, Jean Carlo, o ex-prefeito de Lago da Pedra Luiz Osmani, Núbia Dutra, representando o federal Domingos Dutra (PT), a professora Theresa Pflueger e o suplente de deputado federal Weverton Rocha.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

3 respostas para “PDT faz festa para a filiação de Eurídice, Vidigal e Barrão”

  1. Julio Cesar disse:

    SEJAM BEM VINDOS !
    É MUITO BOM SOMAR E TORNAR FORTE ESSA OPOSIÇÃO PARA COMBATER A OLIGARQUIA DO ATRASO.

  2. BENIGNO disse:

    Drª Eurídice, quando secretária de segurança pública

    É de se lamentar aquele atentado perpetrado contra a Doutora, Eurídice Vidigal. Como no Maranhão, o absurdo é corriqueiro, não se deve descartar a possibilidade de uma “encomenda”, na tentativa de quebrar, da Drª Euridice, sua condição de espelho, que reflete uma imagem assimétrica da política atual de segurança pública, com resquícios de DOI-CODI para os cidadãos “missarneysistas” (prefixo mis ou miso – averso a Sarney). Cumpre ressaltar, ademais, que, na mitologia grega, a linda Euridice morreu picada por uma serpente; enquanto fugiu de Aristeu.
    Todavia, pelo país afora, ouve-se o clamor da nação impotente entre o monstro da criminalidade. Os primeiros alvos dos desesperados são: justiça, polícia, governador, parlamentar e afins.
    O burlesco dessa grita, é que a mesma sociedade cínica que acusa as autoridades pelo caos, do qual é sujeito e objeto, esquece que ela, a própria sociedade, foi quem optou por viver em uma horda sem ordem, desregrada – num estado de quase total anormia – quebra dos valores morais, cristãos e familiares. Promiscuidade, permissividade dentro do vale-tudo, devassidão, depravação, vícios diversos e corrupção. Parece que a geração COCA-COLA encontra-se esgarçada (desCOLAda), porque perdeu a COLA e só restou-lhe a COCA.
    E o pior é que esses contravalores vão sendo institucionalizados, ganham força de lei, combatê-los virou crime, preconceito e coisas do tipo. Um bom (mau) exemplo disso, é a perda de autoridade dos pais sobre os filhos, e dos mestres sobre os discípulos ou alunos. Outrora, um indivíduo em formação passava por uma série de modelos didáticos (genitores, professores, idosos…); pouco a pouco ele ia-se moldando aos valores consuetudinários do meio em que convivia. E era-lhe ensinado a ser eclético: assimilar o que houvesse de melhor para si e a seus semelhantes, em um verdadeiro feedback ou intercâmbio salutar.
    Enfim, a ampliação do aparelho jurídico-policial, com o intuito de refrear a violência/criminalidade, em última análise, justifica-se pela mera função de gerar empregos; empregos, muitas vezes, para bandidos legalistas e impuníveis!
    E agora, como retornarmos à harmonia utópica?

  3. pensador disse:

    Belas reflexões companheiro de sonho Benigno sobre a questão das causas da criminalidade, principalmente dentro da linha da anomia. Perfeito.
    Só gostaria de lembrar que a Dra. Eurídice quando esteve Secretária de Segurança Pública do Maranhão, sem dúvida grandes idéias e vontades se apresentou, mas se cercou de uma série de insetos que, outras coisas não buscaram senão em “picá-la” ao ponto de expor toda uma linha de trabalho que se almeja implementar em nosso Maranhão. Erro, talvez de estratégia ou falta, nos primerios momentos, de opção, já que nada conhecia dos terrenos que iria pisar.
    O pior dos insetos, podemos dizer e é bom relembrar, foi a pessoa do Delegado Jeferson Portela que tudo fez para substituí-la na pasta da SSP, inclusive utilizando de expedientes extremamente pequenos e, usando-se do “meios até mesmo imorais(fofocas, ilustraçoes, mentiras e balelas), para atingir o fim moral” nas palavras do saudoso L. King.
    Parabens pelas reflexões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens