Fechar
Buscar no Site

Paulo Marinho Jr. diz que faltou mais apoio de Fábio Gentil à sua eleição, que prefeito pode não disputar reeleição e não descarta parceria com Cleide Coutinho

Foto: Reprodução

Em entrevista ao programa Resenha, da TV Difusora (SBT), apresentado pelo jornalista John Cutrim, o vice-prefeito de Caxias, Paulo Marinho Junior (PP) admitiu que faltou mais apoio do prefeito Fábio Gentil (PRB) e de seu grupo à sua candidatura a deputado federal. “Com certeza atrapalhou. Acabou prejudicando sim porque esses votos ajudaram outros candidatos e deixaram de ajudar eu que era o candidato da terra”, desabafou.

Durante a bate-papo, Paulo Marinho Jr. revelou que conversou com a deputada Cleide Continho e não descartou um acordo no futuro entre os dois. “Temos uma boa relação pessoal, a política passou e eu tive com a deputada Cleide e ela me tratou muito bem, tivemos boas conversas e tivemos algumas parcerias políticas muto boas. Todos nós devemos nos unir e deixar essa picuinha política de A, B ou C, às vezes esquecer um pouco o que aconteceu no passado e pensar no futuro e dessa forma ter uma boa relação. Eu costumo dizer que não tenho inimigos”, afirmou.

Nas entrelinhas comenta-se que Paulo Marinho Júnior tem como prioridade ser deputado federal (é o primeiro suplente da sua coligação), entretanto não descartaria ser candidato a prefeito de Caxias em 2020 desde que tenha o apoio da deputada Cleide Coutinho e seu grupo politico.

Em relação ao apoio do deputado Adelmo Soares à gestão Gentil, Marinho aprovou o sentimento de união, porém ponderou que não é hora de já se pensar nas eleições. “A eleição de prefeito está muito longe, não é hora de ficar discutindo política, é hora de trabalhar pelo resultado que a gente teve na eleição de outubro passado. Um erro de boa parte dos políticos é se eleger e já pensar na reeleição”, alfinetou.

O filho de Paulo Marinho também sinalizou em prol do governador Flávio Dino. “A gente já teve diferenças ideológicas, mas com conversas você consegue resolver todas as situações, obviamente sem abrir mão de princípios, mas buscando trabalhar juntos pra buscar o desenvolvimento pro estado. Eu estou disposto a ajudar, assumindo o mandato de deputado federal vou está trabalhando para ajudar o governador Flávio Dino e qualquer prefeito do Maranhão. Diferença partidária a gente tem na época da eleição, esse momento é de união”, declarou.

Por fim, Paulo Marinho Jr. disse que o prefeito Fábio Gentil pode ser candidato ou não à reeleição. “É natural que o Fábio tenha direito a reeleição, todavia tem muitos casos que cada vez mais prefeitos não têm ido para reeleição, porque é desgastante. Um erro de boa parte dos políticos é se eleger e já pensar na reeleição. Acho que a gente tem que se eleger e trabalhar pra justificar o mandato que a gente tem e naturalmente o mandato sendo bom, sendo bem avaliado a população vai entender e vai conduzir de novo ao cargo”, concluiu.

Confira a seguir os trechos da entrevista.

Falta de apoio total de Fábio Gentil 

“Com certeza atrapalhou. Quando eu apoiei o Fábio Gentil eu falei que tinha o sonho de ser deputado federal. Infelizmente durante a eleição o grupo político que está hoje na prefeitura acabou não se unindo todo em torno de um nome só. Uniram-se para deputado estadual com o Zé Gentil, mas alguns vereadores, alguns secretários acabaram apoiando outras pessoas baseadas cada qual no seu acordo. Acabou prejudicando sim a mim porque esses votos ajudaram outros candidatos e deixaram de ajudar eu que era o candidato da terra”.

Relação Cleide Coutinho

“Temos uma boa relação pessoal, a política passou e eu tive com a deputada Cleide Coutinho e ela me tratou muito bem, tivemos boas conversas e tivemos algumas parcerias políticas muto boas. Eu entendo que esse é um momento de união, de pensar a cidade, de colocar divergências políticas de lado porque a gente tem que pensar primeiro na população, que não está interessada em picuinha política, mas sim na solução dos problemas do dia a dia que são vários. Todos nós devemos nos unir e deixar essa picuinha política de A, B ou C, às vezes esquecer um pouco o que aconteceu no passado e pensar no futuro e dessa forma ter uma boa relação. Eu costumo dizer que não tenho inimigos e ainda mais nesse momento que a gente acabou de sair de uma eleição”.

Eleição municipal

A eleição de prefeito estar muito longe, não é hora de ficar discutindo política, é hora de trabalhar pelo resultado que a gente teve na eleição de outubro passado. O que eu puder fazer para ajudar a cidade de Caxias eu vou procurar o governador, vou procurar o presidente da república, vou junto com os deputados que foram eleitos em Caxias porque o importante pra gente é melhorar a vida da nossa população.

Futuro político e sinalização a Flávio Dino

Faço parte do PP e esse futuro político passa pelo PP. Sobre a situação estadual esse é o momento de mudança de um ciclo, um grupo político está deixando o cenário e novos grupos se formarão. Eu tenho o desejo e a vontade de trabalhar pelo estado e costumo dizer que na política a gente não pode ter inimigos. A gente já teve diferenças ideológicas, mas com conversas você consegue resolver todas as situações, obviamente sem abrir mão de princípios, mas buscando trabalhar juntos pra buscar o desenvolvimento pro estado. Eu estou disposto a ajudar, assumindo o mandato de deputado federal vou está trabalhando para ajudar o governador Flávio Dino e qualquer prefeito do Maranhão. Diferença partidária a gente tem na época da eleição, esse momento é de união”.

Adelmo Soares e Fábio Gentil

“Eu acredito que quem está aderindo ao governo está vindo com a expectativa de ajudar a gestão, porque está muito longe da eleição em si, não temos a ideia de quem vai ser candidato a prefeito de Caxias, dois anos é muito tempo. É natural que o Fábio tenha direito a reeleição, mas tem muitos casos que cada vez mais prefeitos não tem ido para reeleição, porque é desgastante. Um erro de boa parte dos políticos é se eleger e já pensar na reeleição. Acho que a gente tem que se eleger e trabalhar pra justificar o mandato que a gente tem e naturalmente o mandato sendo bom, sendo bem avaliado, a população vai entender e vai conduzir de novo ao cargo. E nesse ponto faço uma deferência ao governador. O Flávio Dino se elegeu e ele foi falar de eleição no último ano de mandato. Então acho que essa é a atitude correta do político”.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens