Fechar
Buscar no Site

Notas Rápidas

Ricardo rebate Flávio Dino

O deputado licenciado e secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad, reagiu as declarações do presidente da Embratur, Flávio Dino, publicadas no blog. Em ato político da oposição no município de Grajaú, final de semana passado, Flávio Dino voltou a anunciar o fim da oligarquia Sarney no Maranhão. “Venho aqui como membro da oposição, e assim ainda voltarei, mas só até 2014. Em 2015 nós estaremos aqui como governo porque vamos vencer”, decretou. Ao falar sobre as cinco décadas de mando da família Sarney no Estado, Dino disse que em 2014 este ciclo acabará. “O povo do Maranhão não vai deixar Sarney fazer a festa das bodas de ouro no Palácio dos Leões”, sentenciou.

Desespero bate em Murad

Irritado com as declarações de Dino e sabedor que o fim da oligarquia Sarney realmente está próximo, Ricardo Murad classificou como “vazio, sem conteúdo, bobo”, o discurso do comunista. “Impressionante o argumento. Fiquei sem fôlego e muito preocupado. Sarney vai sair da política após mais de cinqüenta efetivos anos de liderança porque resolveu parar. Roseana sairá do governo em 2014 e nenhum dos outros filhos irá disputar o governo. O discurso ensaiado e repetido não deu certo em 2012 (Flávio não chegou sequer aos 30% dos votos) imaginem em 2014….”, rebateu Murad. O desesperou tomou conta daqueles que estão com os dias contados no poder. A mamata está acabando.

Reunião dos Militares

Está marcado para as 18 horas desta segunda-feira (13), na sede da Associação dos Inativos da Polícia Militar do Maranhão, localizada no bairro Angelim, um encontro entre militares da reserva e da ativa. Eles irão deflagrar uma campanha contra a onda de violência no Estado, principalmente em decorrência dos assassinatos de 28 policiais militares em 2011.

Assassinatos continuam em alta

A gestão do secretário de Segurança Aluísio Mendes tem sido marcada por diversos problemas, dentre os quais o índice recorde de assassinatos na capital. Isso fica evidenciado em levantamento feito junto ao livro de ocorrências do Instituto Médico Legal (IML), que aponta o registro de 603 assassinatos em toda a região metropolitana de São Luís, durante o ano de 2011 – números assustadores, ou seja, quase dois homicídios por dia.

Maranhão Jurássico

Vitorino Freire dominou a política maranhense do fim dos anos 1940 até o início do regime militar. Embora tenha apoiado o movimento de 1964, ele perdeu a preferência dos generais para o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), primeiro seu aliado, depois adversário. Ao morrer, em 1977, Freire deixou um arquivo pessoal com 9 mil documentos. O material está sendo editado por seu filho, Lula Freire, e, mesmo depois de tanto tempo, ainda agasta o clã Sarney. (Felipe Patury)

O peixe e o bigode

Sabe quem ajudou o deputado craque Romário (PSB-RJ) a se tornar interlocutor do presidente da Fifa, Joseph Blatter, no Brasil? José Sarney (PMDB-AP), presidente do Senado. O peixe lhe pediu uma carta de apresentação. O cacique foi pródigo em elogios.

Sarney Filho quer ser ministro

Sem candidato a presidente, por ora, o PV marcou para março a convenção nacional. Os verdes se dividem entre continuar independentes ou se reaproximarem do governo petista. Quem sabe, até ganhar um ministério futuramente. O deputado federal Zequinha Sarney (PV-MA), ex-ministro do Meio Ambiente, cujo pai é próximo da presidente Dilma, está louco para voltar ao cargo. (Coluna Esplanada)

Para poucos

Para senador Vital do Rego (PB), no PMDB do Senado só os três maiores lideres são atendidos pelo governo: José Sarney, Romero Jucá e Renan Calheiros. (Coluna do Cláudio Humberto)

São Luís

O presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), aposta que a atuação do ex-presidente Lula não surtirá efeito nas eleições municipais deste ano, sobretudo na capital paulista: – O Lula obteve sucesso no cenário nacional. Nos pleitos locais, aonde ele colocou o dedo nas últimas eleições, foi derrotado. Foi assim em Natal, em São Paulo e será assim também na capital paulista este ano. Isso vale também para São Luís.

Diretora da Difusora é demitida

Como previu o blog (reveja aqui, inclusive os vários comentários postados), a TV Difusora passa por uma reformulação. A emissora, que faz parte do Sistema Difusora de Comunicação, de propriedade do senador Edinho Lobão, já sofreu a primeira mudança, que ocorreu no setor de jornalismo. A diretora de jornalismo, Marília Sffeir, foi demitida na última sexta-feira. Funcionários reclamavam do trato arrogante e da postura pedante de Sffeir. Ainda não está definido quem ocupará seu lugar. As alterações na Difusora estão sendo comandadas pelo conhecido diretor Paulo Trevisan, que já teve passagens pela Rede Globo e SBT.

Genésio na AL

A união do prefeito José Arlindo (PSB) com o suplente de deputado Luciano Genésio (PCdoB), com vistas a eleição municipal de Pinheiro, dependerá somente de uma articulação para levar Genésio para a Assembléia, que teria até março como prazo para se concretizar. José Arlindo poderá ter como seu vice Luciano Genésio para bater o ‘inimigo comum’ nas eleições municipais de outubro, o ex-prefeito Filuca Mendes.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

3 respostas para “Notas Rápidas”

  1. Luiz disse:

    São dois nomes de grande influencia na política brasileira e com previsões acertado o super Sergio Guerra que ganha todas as eleições , prevendo que Lula não deve influenciar a eleição em São Paulo e o Dr. Flavio Dino decretando que será governador no lugar do Ministro Lobão.
    Sé falta acertar essas previsões com os eleitores.

  2. lisa disse:

    Não para acreditar o que se vê na foto: Zé Luis Lago e se estou enxergando bem, o Julião Amin???? Que bacana ………… todos subirão no palanque com Rose……..

  3. Inácio Augusto de Almeida disse:

    Esta “briga” do Murad com o Flávio Dino é so H.
    Tem quem acredite nisto?
    Quando será que está gente vai começar a desconfiar ue não dá mais para enganar?
    Eu duvido que o Flávio Dino faça oposição ao candidato do Sarney agora em 2012. Em 2014 é que não fará mesmo, já que nos planos do Flávio Dino ele é que será o candidato, num acordo que será costurado pelo Lula e pela Dilma.
    A desculpa do Flávio Dino para aceitar o apoio do Sarney?
    PROJETO NACIONAL!
    Anotem o que eu estou dizendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens