Fechar
Buscar no Site

Notas Rápidas da Política

Simplício nega desistência

O secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo nega que tenha desistido da sua candidatura ao governo. “Lamentavelmente, são inverdades a respeito da minha pré-candidatura”, disse Araújo, que cumpre agenda institucional neste fim de semana em São Paulo.

Sarney no Maranhão

O ex-presidente José Sarney chegou na sexta-feira em São Luís. Acompanhado da esposa, Dona Marly, Sarney estava há dois anos sem vir ao Maranhão em função da pandemia. Aos 91 anos de idade, já vacinado com as duas doses, Sarney está na companhia da filha, Roseana Sarney.

Flávio Dino e o Senado

Em entrevista ao jornalista Juca Kfouri, o governador Flávio Dino reafirmou que será candidato ao Senado em 2022, porém, faltando mais de um ano para as eleições, Dino ponderou que o quadro político no país pode mudar.

“Essa é a tendência mais forte. E claro que temos um longo tempo até as definições, temos aí um ano até as convenções, essas coisas podem mudar sempre porque nós temos um instabilidade institucional muito grande no Brasil, mas eu diria que, sem dúvida a hipótese mais provável é esta candidatura ao Senado”, afirmou.

MDB com Dino

O vice-presidente do MDB no Maranhão, deputado Roberto Costa, confirmou, ao programa Questão de Ordem, as declarações dadas em entrevista exclusiva ao blog do John Cutrim. Costa disse que o partido pode apoiar a candidatura do governador Flávio Dino ao Senado.

“O que aconteceu no passado é necessário que fique no passado. Isso é a construção do processo político que é muito dinâmico e o cenário nacional influencia esse debate sobre a aliança com grupo liderado pelo governador Flávio Dino que, inclusive, já recebe o presidente nacional do nosso partido, deputado Baleia Rossi, no Palácio dos Leões”, assinalou.

Aliança amadurecida

Ao blog do John Cutrim, Roberto Costa revelou que o diálogo está sendo feito no MDB e a possibilidade de aliança com Flávio Dino “está sendo amadurecida” com os membros da sigla.

“A presidente do partido [ex-governadora Roseana Sarney] já disse que não tem nenhum interesse em disputar o Senado, então isso abre uma porta muito direta, inclusive para o partido discutir a candidatura do senador Flávio Dino. Eu, pessoalmente, tenho a tendência muito forte de votar no Flávio para o Senado uma vez que o partido já disse que não tem interesse em relação a questão da discussão ao Senado”, afirmou o deputado ao blog do John Cutrim, logo após solenidade no Palácio dos Leões de entrega de ambulâncias a municípios. Na imagem acima, Roberto está ao lado do deputado federal e presidente do PCdoB, Márcio Jerry, referendando a aproximação do MDB com os Leões.

Candidato do governador

Ainda de acordo com Roberto Costa, o MDB, além de apoiar Flávio Dino, pode seguir também com o candidato a governador escolhido por ele.

“Há um sentimento dentro do partido de ter uma discussão ampla, sem fazer distinção. Existe hoje diálogo com o senador Weverton, também com o vice-governador Carlos Brandão e, acima de tudo, um sentimento maior do partido, inclusive do diálogo em relação ao governador Flávio Dino. O que já ocorreu de divergências no passado, ficaram no passado, a gente está com o pensamento de construir o futuro do Maranhão, até porque o partido tem trabalho prestado e tem responsabilidade com os destinos do estado”, declarou.

Roberto ressaltou que não há nenhum tipo de veto a Dino e seu grupo, tendo em vista que é necessário pensar no futuro do Maranhão e no trabalho que vem sendo feito, sem o risco de interrupção. “Não existe nenhum tipo de veto, eu inclusive tenho individualmente posições de apoio ao governador Flávio Dino. Todo sentimento de ódio ficou no passado. O partido, com a liderança da ex-governadora Roseana, está muito maduro, equilibrado, está muito no sentido de se pensar no Maranhão prioritariamente”, arrematou.

Pesquisa

Continua repercutindo a pesquisa com os números da sucessão estadual, divulgada pelo Ponto e Vírgula. Detalhe para a rejeição da ex-governadora Roseana Sarney. Apesar de liderar nas intenções de voto, a filha de Sarney lidera também na rejeição. 42,8% disseram que não votariam nela. Chamou a atenção, também, o fato do senador Roberto Rocha pontuar à frente do vice-governador Carlos Brandão e o prefeito Dr. Lahesio Bonfim aparecer melhor que o deputado Josimar Maranhaozinho. Veja a pesquisa completa AQUI.

Fernando Sarney na CBF?

Fernando Sarney, filho do ex-presidente José, é um dos oito vices da CBF e um dos quatro representantes da América do Sul no Conselho da Fifa, importante grupo que define as diretrizes da modalidade. Considerado discreto, e de bom trânsito com vários entes (clubes, federações, associações de atletas e árbitros, além de políticos), Sarney hoje é quem, na visão de alguns cartolas ouvidos, teria melhores condições para tocar a CBF em um momento de transição no qual se desenha a criação de uma Liga para organizar o Brasileirão. A questão é se Fernando toparia, tendo em vista que, em evidência, poderia ser alvo e ver ressuscitado vários escândalos envolvendo seu nome e da família.

Disputa no STJ

(Da esq. para a dir.) Ney Bello, Dimas Salustiano, Gilmar Mendes, Lenio Streck em evento em São Luís.

A disputa por uma das duas vagas abertas no STJ ganhou um concorrente de peso, que está correndo por fora, mas já conseguiu apoios importantes dentro do tribunal: é o desembargador Messod Azulay Neto, do TRF-2. É um nome que cria problemas para Luiz Fux, que até agora vem trabalhando com denodo para que um outro desembargador do mesmo TRF-2, Aluísio Mendes, seja o escolhido.

Azulay tem, entre outros, o apoio de Benedito Gonçalves, egresso do TRF-2, e já esteve outra vez numa das listas do STJ. No dia 9 de agosto, o STJ vai decidir se a escolha da lista quadrupla para as duas vagas será feita presencialmente ou por votação remota. No primeiro caso, a escolha acabará ficando para 2022. Se a votação for remota, poderá acontecer em cerca de dois meses.

Concorrente de Ney Bello

Os outros dois favoritos a entrar na lista quadrupla são os desembargadores Ney Bello, do TRF-1, e Paulo Domingues, do TRF-3. O ministro Gilmar Mendes tem conversado frequentemente com ministros do STJ para pedir votos para Bello. Em caráter reservado, integrantes da Corte relatam certo constrangimento diante das investidas do ministro. Bello, assim como vários ministros do STJ, é professor do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), do qual Mendes é sócio.

O desembargador Ney Bello é politicamente articulado e tem o respaldo do centrão, o que o aproxima de Bolsonaro. Ele é próximo do governador do Maranhão, o ex-juiz Flavio Dino (PSB).

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens