Fechar
Buscar no Site

No dia mundial dos refugiados, 1 milhão de maranhenses trabalham fora do estado

Pau-de-arara

Do site Maranhão da Gente

No dia dedicado a lembrar o drama dos refugiados no mundo, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística  IBGE expõem uma realidade assustadora: Pelo menos um milhão e duzentos mil maranhenses saíram compulsoriamente do estado em busca de melhores condições de  vida em outras unidades da federação.

Os números foram divulgados no ano passado pelo IBGE. De acordo com o instituto, o Maranhão é o estado com maior taxa de evasão migratória do país, seguido por Alagoas, ambos com taxa negativa de 2,5.

Ruralização do estado e  demografia desordenada em São Luís.

As razões para a alta taxa expulsória no estado são explicadas pelo próprio IBGE. Desde o Censo  de 2010,  o Instituto de Geografia e Estatística vem apresentando dados que colocam o Maranhão com os piores índices sociais do Brasil, que deixam o estado na situação vexatória de possuir o maior índice de ruralização do país.

Desvalidos do campo, trabalhadores rurais sem apoio para plantar, jovens sem acesso a educação, moradores sem condições de saúde,  acabam optando por  buscar alternativas em outros estados. Até a capital São Luís, antes refúgio de milhares de maranhenses, tem sofrido um esgotamento na recepção aos refugiados do campo. Na  capital maranhense, já há visíveis sinais de um processo de favelização, resultado da desordenada chegada de pessoas do interior que ocupam espaços invadidos e sem estrutura na periferia da cidade.

Viúvas de maridos vivos: escassez  de pessoas do sexo masculino no Maranhão

Em alguns municípios do interior, o sinal claro de que os maranhenses estão indo embora, é  o déficit crescente de pessoas do sexo masculino em  algumas cidades do interior do estado, a maioria dessas pessoas são pais de família que buscam trabalho fora para garantir o sustento dos familiares que ficam no Maranhão. Segundo o IBGE, apenas 24,23% dos maranhenses que deixam o estado, retornam. o que significa que há milhares de mães e filhos abandonados por maridos e pais no Maranhão.

Leia AQUI pesquisa completa da taxa de evasão populacional no Brasil

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Uma resposta para “No dia mundial dos refugiados, 1 milhão de maranhenses trabalham fora do estado”

  1. Leo disse:

    Apos a chegada dos Murads ao governo municipal de Coroatá toda semana sai um ônibus cheio de trabalhadores e trabalhadoras para outros estados. O comercio local esta fechando as portas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens