Fechar
Buscar no Site

Mourão, ministro Marcos Pontes e comitiva visitam Alcântara

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, recebeu, na quinta-feira (13), a visita do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações, astronauta Marcos Pontes, e de uma comitiva de parlamentares. A agenda contou também com a presença do secretário de Empreendedorismo e Inovação, Paulo Alvim, a secretária de Articulação e Promoção da Ciência, Christiane Corrêa e demais representantes do ministério.

Na visita, foi possível conhecer o centro de controle de missão, a Casa da Mata e a base de lançamento de foguetes. Uma palestra sobre o edital que selecionou quatro empresas que farão operações no futuro Centro Espacial de Alcântara foi feita aos visitantes.

O presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Carlos Moura, reforçou que o momento é histórico para o país. Segundo ele a operação do centro de lançamento em formato privado por meio de parcerias vai ampliar todos os setores produtivos ligados a projetos aeroespaciais, demonstrando que Alcântara tem qualidades únicas em comparação com outros locais em todo o mundo. A AEB é uma autarquia vinculada ao MCTI.

Além do MCTI, representantes do Ministério do Turismo (MTur) estiveram em Alcântara para estruturar futuros projetos de desenvolvimento turístico. A ideia é promover visitas guiadas, produtos locais e fortalecer a infraestrutura hoteleira local, aproveitando o momento positivo da região.

O Ministério da Educação (MEC) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) enviaram representantes para avaliar quais políticas públicas podem ser desenvolvidas nas comunidades locais e no desenvolvimento regional.

Os deputados federais Aluísio Mendes (PSC/MA), André Fufuca (PP/MA), Josivaldo JP (Pode/MA), Pastor Gil (PL/MA) e Dr. Gonçalo (Republicanos/MA) fizeram parte da comitiva que visitou o Centro de Lançamento de Alcântara.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Uma resposta para “Mourão, ministro Marcos Pontes e comitiva visitam Alcântara”

  1. Aston Beckman disse:

    Os americanos são cruéis para com as nações que tentam livrar-se das multinacionais e/ou base militares deles. Não logrando êxito, esgotadas todas as manobras para enraizarem, os bandidos estadunidenses se retiram. Mas, antes, eles contaminam o solo e subsolo do país hospedeiro com materiais radioativos, venenos, bactérias etc.
    Outro tipo de sabotagem das abóboras do Tio Sam: se a empresas aqui for do setor automobilístico, ela passa a produzir veículos e, paripasso, deflagrar uma campanha sutil para destruir qualquer iniciativa nacional, de independência nesse segmento: se surgir uma empresa doméstica para produzir carro e/ou componentes, os gringos partem para comprá-la. Se for pensado qualquer programa que vá inibir a venda dos itens produzidos pela empresa ianque, logo será alvo de torpedeio. Um caso típico foi a campanha contra o projeto Calha-Norte: uma linha férrea dessa invergadura seria um desfalque enorme à indústria de automotores.
    Essas são táticas tão manjadas quanto o drible do Garrincha, ainda assim, os marcadores se deixavam enganar todas as vezes: Sempre que Empresas ou Tropas Estadunidenses são convidadas a baterem em retirada de um país, onde estão instalados, doenças estranhas começam a surgir e eliminar os moradores residentes na área desocupada pelos invasores indesejáveis!

    PS: Se no Brasil houver técnicos capazes de identificar o tipo de propelentes, que os norte-americanos vão usar em seus foguetes, seria providencial a identificação imediata e rotineira desse combustível. E não é apenas combustível, mas quaisquer outras substâncias, emissões radiotivas ou eletromagnéticas.
    Há muitos desses recursos que, por serem altamente nocivos, os estadunidenses não usam em seu território, contudo, empregam noutros países, até como forma de experimentá-los e avaliar os danos que causam.

    NO VIZINHO PERU

    Guerra suja’ da Chevron para encobrir ‘Chernobyl da Amazônia’

    https://br.sputniknews.com/americas/2020091916096528-guerra-suja-da-chevron-para-encobrir-chernobyl-d

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens