Fechar
Buscar no Site

MP solicita cópia de requerimento de abertura de CPI da Propina

O Ministério Público do Estado do Maranhão enviou ofício à OAB/MA comunicando que, em atenção à nota oficial emitida pela Seccional sobre a suposta corrupção envolvendo deputados na alteração de legislação sobre derrubada de babaçuais em áreas urbanas, solicitou cópia do requerimento de abertura de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) à Assembleia Legislativa do Estado.

O comunicado foi feito por intermédio do promotor de justiça, Marcos Valentim Pinheiro Paixão que, junto com o promotor João Leonardo Pires Leal, solicitaram cópia do referido documento, com base em notícias veiculadas pela Imprensa de que o deputado estadual Tatá Milhomem teria apresentado requerimento de abertura de CPI, com objetivo de apurar o suposto recebimento de propina por deputados, no valor de R$ 1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil reais), em troca da aprovação da legislação que permite a derrubada dos babaçuais para novas construções.

O ofício enviado pelo Ministério Público Estadual considera a nota pública emitida pela Seccional maranhense da OAB, no último dia 16/12, cobrando providências urgentes da Assembleia Legislativa do Estado e do Ministério Público, com relação às denúncias. Na nota, a OAB/MA protestou: “a sociedade maranhense não pode conviver com a suspeição quanto à retidão da conduta do Poder Legislativo”.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

3 respostas para “MP solicita cópia de requerimento de abertura de CPI da Propina”

  1. VIRGULINO (LAMPIAO) disse:

    MP (MANIPULADOS POLITICAMENTE) NAO FAZ NADA, NAO VAI DAR EM NADA!!!
    SAO UNS BOSTAS N’AGUA!!!!

  2. Massimidio disse:

    se realmente o MP/MA fosse harmonicamente independente mesmo enquanto organismo do poder judiciário do maranhão, alguns promotores e procuradores de justiça, já estariam organizando a caça a grande maioria dos nossos pilantras ditos homens públicos travestidos de deputados e deputadas, quando muitos desses parlamentares estão festejando despreocupadamente inclusive com os recursos de seuas emendas parlamentares, a plena segurança de um promissor ano de 2012.

  3. Inácio Augusto de Almeida disse:

    Só espero que o MP público maranhense não vá exigir duas testemunhas para dar prosseguimento a qualquer ação neste caso da propina.
    Eu falo isto porque aqui no Ceará, a qualquer denúncia feita, o promotor pede logo duas testemunhas. E como ninguém é doido para testemunhar contra prefeito ou outro político qualquer, a coisa fica por isto mesmo.
    No caso dos vereadores analfabetos, bastaria solicitar que os vereadores escrevessem qualquer coisa acerca da cidade. Tão simples. Não precisava nem dizer que e tratava de um teste. Bastaria ir na Câmara Municipal num dia de reunião e fazer esta solicitação. Os analfabetos iriam dizer que esqueceram os óculos. Mas estes seriam anotados e posteriormente convidados a escreverem, na presença do juiz, algum texto. E não aceitar o texto que eles já trouxessem pronto. Aí, comprovada a afronta a Constituição Federal, não permitir que nas próximas eleições estes analfabetos sejam candidatos.
    Todos os analfabetos que são vereadores em Martinópole-CE, e em outras cidades co interior cearense já estão em campanha, certos de que poderão continuar a burlar a lei sem serem molestados. É a certeza da impunidade.
    Outra solução é exigir que a ficha de inscrição dos candidatos sejam preenchidas na presença do juiz eleitoral.
    Mas nada disto vai acontecer e os analfabetos, para alegria dos prefeitos corruptos, continuarão a aprovar as contas mais absurdas.
    No caso da proprina, espero que o MP maranhense tome as providências necessárias para apurar este caso que deixou os maranhenses estarrecidos.
    E que nestas próximas eleições busquem um meio de afastar os analfabetos da política. Ou será que nas cidades maranhenses não existem vereadores analfabetos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens