Fechar
Buscar no Site

Deputado cobra do governo explicações sobre compra de terreno penhorado que Roseana comprou por R$ 3 milhões

Em um duro discurso proferido na sessão desta segunda-feira (11) da Assembleia, o deputado Marcelo Tavares (PSB) cobrou explicações, por parte do governo Roseana Sarney (PMDB), sobre a compra de um terreno no município de Caxias onde, hoje, deveria existir um hospital estadual de referência.

A compra do terreno, que foi penhorado recentemente pela Justiça, segundo reportagem do “Jornal Pequeno” publicada na edição deste último domingo, ocorreu em 2009, ano no qual Roseana Sarney assumiu o governo, e aconteceu de maneira, no mínimo, obscura.

O terreno, localizado as margens da BR-316 e que possui cerca de cinco hectares, foi adquirido pelo valor de R$ 3 milhões junto à Sociedade Educacional Caxiense (Soeduca), grupo pertencente ao casal Paulo Marinho e Márcia Marinho.

“O terreno foi comprado para construir um hospital. E onde está este hospital? Eu respondo: nunca foi construído. A Soeduca comprou este terreno pelo valor de R$ 32 mil e o repassou ao governo da senhora Roseana por R$ 3 milhões, quantia que foi paga em 2009 e 2010, ano de eleição”, afirmou Tavares.

As denúncias de Marcelo Tavares ganharam mais repercussão depois que a deputada Cleide Coutinho, também do PSB, revelou, durante a sessão, que o terreno ainda continua no nome de Márcia Marinho, ex-deputada e ex-prefeita de Caxias.

“A Soeduca, assim como todas as empresas do casal Marinho, deve a todos. Só para o município de Caxias, o grupo empresarial pertencente aos Marinho ainda sustenta uma dívida de cerca de R$ 650 mil referente ao não pagamento de ISS. Estou perplexa em saber que o governo do Estado pagou R$ 3 milhões por um terreno que ainda continua no nome do antigo proprietário. Esta situação tem que ser investigada, deputado Marcelo”, avaliou a parlamentar.

Marcelo Tavares disse esperar que, nesta terça-feira (12), os deputados da base governista apresentem explicações plausíveis para esta situação. “Como líder da Oposição nesta Casa continuarei denunciando os absurdos administrativos praticados por este governo”, finalizou o deputado.

Justiça penhorou terreno que Roseana comprou

O Jornal Pequeno informou na edição deste domingo que no ano de 2009, o governo Roseana Sarney comprou, por R$ 3 milhões, da Sociedade Educacional Caxiense (Soeduca), um terreno de 5 hectares (50 mil metros quadrados), às margens da BR-316. A compra do imóvel foi justificada na época como necessária para que se construísse no local um hospital estadual de referência no município de Caxias.

Na época, ao se tornar pública a transação comercial entre o Governo do Estado e a Soeduca, o caso virou escândalo porque o imóvel havia sido adquirido, no ano de 2005, pelo casal de ex-prefeitos Paulo/Márcia Marinho (proprietários da Soeduca), por R$ 32 mil. O artifício legal usado para a compra se deu pela via do processo indenizatório. Por meio da Secretaria de Estado de Administração (Seaps), na gestão do então secretário Luciano Moreira, o governo Roseana Sarney desapropriou e pagou o terreno em duas parcelas; uma, em 28 de dezembro de 2009, no valor de R$ 1.206.000,00 (empenho no. 2009NE00463 e ordem bancária no. 20090B0771); e a outra, em 17 de março de 2010, no valor de R$ 1.805.200,00 (empenho no. 2010NE00120 e ordem bancária no. 2010OB00095), como previsto no decreto 26.180/2009. Para efetuar o pagamento, o governo Roseana Sarney teve de abrir créditos suplementares para a Seaps porque no Orçamento não havia recursos disponíveis para a transação.

Tudo estaria perfeitamente dentro dos conformes legais não fosse agora o fato de a Justiça Federal ter arrestado o mesmo terreno por conta de dívidas da Soeduca com o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) dos seus funcionários e de Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), entre outras contribuições tributárias pendentes que chegam ao total de R$ 190.331,23.

Na penhora do imóvel, na qual a ex-prefeita Márcia Marinho aparece como fiel depositária, a área vendida por R$ 3 milhões está avaliada pela Justiça Federal em R$ 1 milhão, um terço do valor pago pelo Estado aos dois ex-governantes.

Outro problema agora é saber o que fará o Governo do Estado para ter de volta o dinheiro pago na “indenização” a Paulo e Márcia Marinho.

O imbróglio acabou se transformando não só numa lambança de cunho político-partidário como também poderá significar um enorme desperdício de recursos públicos. Pior: o prometido hospital estadual de referência para a região agora tende a virar apenas mais um conto da carochinha.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

9 respostas para “Deputado cobra do governo explicações sobre compra de terreno penhorado que Roseana comprou por R$ 3 milhões”

  1. jesus disse:

    Sabe qual vai ser o resultado desse episódio absurdo? “não vai dar em nada” vai continuar o terreno no nome da Márcia marinho, vai continuar sem escola, o dinheiro pago não vai ser devolvido, Marcelo Tavares vai continuar falando ao vento, a governadora vai continuar fazendo o que quer sem nenhuma fiscalização. Aqui é o maranhão terra de Sarney aqui ele manda em todos os tribunais e órgãos de fiscalização e o povo burro vai continuar votando nela e em quem ela indicar e fim de conversa.

  2. Pedro João disse:

    qual o rebento pré candidato a prefeito assinou uma das parcelas quando trabalhava na SEAPS?

    Re: P M Jr.

  3. Pedro João disse:

    qual o rebento pré candidato a prefeito assinou uma das parcelas quando trabalhava na SEAPS?

    Re: P M Jr.

  4. RICARDO disse:

    É JOHN CADÊ O TAL DO ROBERTO COSTA PARA TENTAR DEFENDER MAIS ESSE ESCANDALO PROTAGONIZADO PELO “GOVERNO DA CHEFE DA QUADRILHA DELE”. SE ISSO TIVESSE ACONTECIDO COM A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL ELE O DEPUTADO AFOITO JÁ TINHA FEITO TODO UM CARNAVAL MAIS COMO FOI COM O GOVERNO QUE ELE FAZ PARTE ELE FICA CALADINHO BORA ROBERTO COSTA FALA ALGUMA COISA.

  5. Josemar disse:

    Caro Jesus, pode até não dar em nada. Mas, é grave. Muito grave. Significa que o Estado do Maranhão pagou R$ 3.000.000,00 por algo que não existe. Se for verdade, é crime. O mais provável é que essa transação não tenha existido. Por que a governadora daria R$ 3.000.000,00 dos cofres do Estado aos Marinhos em troca de coisa alguma? A governadora é, com certeza, uma mulher séria. Não faria isso, não é mesmo?

  6. HAROLDO disse:

    Cambada de ladrões, eita terrinha de uma só familia,pelo amor de Deus prendão esses LADRÕES.

  7. jesus disse:

    Caro Josemar concordo com você o caso é grave, mas, infelizmente aqui nesse estado essa família Sarney e sua curiola levam sempre a melhor e nenhuma autoridade que tem poder de mandar investigar levanta a voz fica com medo e na sombra então não dar pra acreditar que vai dar em alguma coisa. O deputado Marcelo Tavares como eu comentei fala ao vento e é somente isso.

  8. maria disse:

    E agora, os 3 milhões não vão ser devolvidos??????????? Quanta falcatrua meu Deus!!!!!!!!!!!! Cadê a (IN)JUSTIÇA desse Estado?????????A população vai ficar com esse prejuízo enorme????????????

  9. filho disse:

    Maria eu acho que voçe quiz diser ficar com o prejuizo novamente, porque toda vez que essa fmilia mete a mão no dinheiro publico e é descoberto o reembolsso é zero, lembra quando Fernando Sarney pegou o dinheiro da fundação aquela que leva o nome do pai dele? perguta se ele devolveu agum centavo,estamos no Maranhão e o roubo não pode parar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens