Fechar
Buscar no Site

Marcelo diz que Oposição não pretende fazer CPI política na Assembleia

O líder da Oposição, deputado Marcelo Tavares (PSB), declarou, na manhã desta quinta-feira (10), que não faz sentido a afirmação de que parlamentares oposicionistas estão querendo criar uma CPI política para apurar casos de crimes de pistolagem praticados no Estado.

“Não existe na Oposição a intenção de fazer uma CPI política, até porque é impossível fazer uma CPI política nesta Casa, pela Oposição, porque nosso regimento não permite isso. A Oposição aqui na Assembleia Legislativa não tem condições de sozinha fazer uma CPI política”, afirmou Marcelo Tavares.

Ele explicou que a bancada oposicionista é formada por apenas 10 deputados e, no caso de formação de uma CPI, constituída de sete membros, caberia à Oposição indicar apenas dois nomes: um pelo Bloco formado pelo PSB, PPS e PCdoB, e outro membro pelo Bloco constituído pelo PDT e PSDB.

“Então se a Casa entende que não deve fazer uma CPI contra a pistolagem, o argumento não pode ser de que seria uma CPI política, porque nós não temos número para fazer uma CPI política. A partir do momento que a CPI fosse instalada, o presidente e o relator a serem eleitos com certeza seriam do governo, não seriam da oposição, porque nós só teríamos dois membros. Então é impossível para a bancada de oposição nesta Casa fazer uma CPI política”, argumentou.

Para Marcelo Tavares, as CPIs são importantes e precisam ter o apoio de parlamentares governistas e da oposição. Ele lembrou que, durante sua gestão como presidente da Assembleia, há dois anos, foram criadas duas CPIs, que obtiveram desempenho exitoso: a CPI do Combate à Pedofilia e a CPI do Caso Euromar.

“Todas as duas tiveram pontos positivos; foram muito bem conduzidas pelos parlamentares, ficaram acima das questões políticas do Estado, e chegaram a relatórios satisfatórios para população do Maranhão. Então a Casa é uma Casa política, é uma Casa da maioria, mas, por favor, nunca digam que determinada ação não será feita porque a oposição vai impor uma vontade política”, afirmou Marcelo Tavares.

Ao encerrar seu pronunciamento, ele manifestou apoio à proposta de criação da CPI da Pistolagem, formulada pelo deputado Bira do Pindaré (PT): “Entendo que se esta CPI acontecesse não poderia ser de fato uma substituição de uma Delegacia de Polícia, como bem colocou o presidente Arnaldo Melo, não pode ser essa a visão, mas ela teria o papel de fazer o raio-x da pistolagem no Maranhão que nós sabemos que cresceu muito hoje, mas não é um produto recente da história política do Maranhão, é algo já muito antigo nas nossas razões políticas, mas que vem crescendo. Vem crescendo e era nossa obrigação estabelecer as questões, buscando respostas para o fato de a criminalidade estar crescendo no Maranhão.”

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

4 respostas para “Marcelo diz que Oposição não pretende fazer CPI política na Assembleia”

  1. saraiva disse:

    CPI da PISTOLAGEM: É muito dificil criar uma CPI para cortar na própria carne,é só ver os últimos DISCURSOS na tribuna da ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA, clima de animosidade,insinuações,guerra total entre DEPUTADOS.O assunto ainda é a uma velha CPI do CRIME ORGANIZADO,um verdadeiro prato REQUENTADO.

  2. A Madre Superiora disse:

    por que o governo não quer que essa CPI vá pra fernte, o que esse povo quer esconder? será que os tiros que deram no Décio saiu pela culatra?
    No início eu pensei que a culpa pela morte do blogueiro iria ficar toda na oposição, as reportagens da mirante davam a entender isso. Mas pelo que estou vendo, é a oposição quem quer esclarecer esses casos, principalmente o do Décio.
    Até agora, no cenário federal, não vi nenhum político da oligarquia querer que isso seja investigado na esfera federal, quem tá lutando pra esclarecer isso tudo é essa oposição ao governo. Oposição essa que tanto o blogueiro Décio tinha desprezo, pessoas que ele tanto odiava, como o Dep. Fed Domingos Dutra, Dep estaduais, M. Tavares e Bira. Enquanto isso, a mulher da vida dele, Rosengana, e outros politicos da oligarquia estão querendo abafar o caso e até tirando nomes da CPI.
    Pelo que estou vendo, o tiro saiu pela culatra, quem devia querer abafar o caso tá querendo investigar e quem devia investigar, nesse momento tá morrendo de medo. veja só como é as coisas, se Décio voltasse, o que ele diria dessa oposição que ele odiava e tá querendo esclarecer os fatos. O que ele diria do melhor governo da vida dele e dos políticos que ele tanto admirava, que nesse momento estão querendo abafar o caso. Qual seria a opinião dele agora sobre Dutra que é um dos mais motivados em esclarecer tudo?

  3. Inácio Augusto de Almeida disse:

    A oposição está querendo esclarecer os fatos pelo Décio Sá, mas sim para mostrar que não tem nenhum dos seus membros envolvidos nesta monstuosidade.
    E merece aplausos por isto.
    Este crime tem que ser esclarecido, doa a quem doer.
    Os dias estão se passando, outros assassinatos acontecendo e a continuar assim a morte do Décio Sá megulhará no mais completo esquecimento.
    Por que o Sindicato dos Jornalistas do Maranhão não coloca outdoors nas principais avenidas de São Luís cobrando das autoridades a solução deste crime?
    É preciso manter a população sempre informada de que este crime ainda não foi esclarecido.
    É preciso que a população saiba que ontem foi Décio Sá, mas que amanhã poderá ser qualquer um.
    Como eu já disse e vou repetir:
    ///
    Mataram um traficante.
    Você disse: EU NÃO SOU TRAFICANTE.
    Mataram um jornalista.
    Você disse: EU NÃO JORNALISTA.
    Mataram um policial.
    Você disse: EU NÃO SOU POLICIAL.
    Mataram um promotor.
    Você disse: EU NÃO SOU PROMOTOR.
    Mataram um deputado.
    Você disse: EU NÃO SOU DEPUTADO.
    Matararm um governador.
    Você disse: EU NÃO SOU GOVERNADOR.
    Mataram você.
    O ENTERRO FOI LINDO!
    ///
    O cidadão tem que se conscientizar de que ele pode ser a próxima vítima.

  4. Inácio Augusto de Almeida disse:

    Estourou um escândalo com o Domingos Dutra. O Dep. Chiquinho Escórcio denunciou que ele tinha como funcionária em seu gabinete uma humilde empregada doméstica que sequer sabia que era funcionária da Câmara Federal.
    A matéria completa está no blog do Robert Lobato.
    Será que é por causa da existência deste tipo de assessores que os deputados não dizem nem a pau quem são os seus assessores?
    Será?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens