Fechar
Buscar no Site

Flávio Dino defende prisão de Daniel Silveira: “Imunidade parlamentar não é impunidade”

O governador do Maranhão, Flávio Dino, que também é ex-juiz, usou suas redes sociais nesta quarta-feira (17) para comentar a respeito da prisão do deputado federal bolsonarista Daniel Silveira (PSL).

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, determinou na noite desta terça-feira (16) a prisão de Daniel depois que o bolsonarista publicou um vídeo com uma série de agressões e xingamentos a ministros do Supremo.

“Sobre prisão de deputado, importante notar que a imunidade parlamentar não é absoluta, conforme ampla jurisprudência. IMUNIDADE NÃO É IMPUNIDADE. Há um evidente ataque de milícias contra a democracia, que deve ser repelido. O STF não pode ser coagido na sua missão constitucional”, disse.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Uma resposta para “Flávio Dino defende prisão de Daniel Silveira: “Imunidade parlamentar não é impunidade””

  1. antonio muniz disse:

    Na Balança da desfaçatez o Governador pesa a Prisão de um deputado federal
    Ao defender a prisão do deputado federal Daniel Silveira, o governador Flávio Dino diz que “Imunidade parlamentar não é impunidade”, mas até hoje, a maioria dos esquerdistas do Brasil condena a prisão do deputado baiano Chico Pinto_1974_ por ofender Pinochet quando em visita ao Brasil, já que o Chile mantinha relações cordiais com o nosso país.
    É interessante salientar , que 1974, o Brasil e toda América Latina estava em efervescência política, quando de um lado , havia as Esquerdas querendo implantar seus governos nos modelos das ditaduras do proletariado e a Direita, querendo impedi-la, e a prisão do Deputado ocorreu dentro das regras vigentes , não antes que as acusações fossem remetidas à “Procuradoria Geral da República , que por seu turno ofereceu denúncia junto ao “Supremo Tribunal Federal” (STF) e somente depois dos trâmites legais , sendo o deputado denunciado, processado, julgado e considerado culpado , só assim a prisão foi homologada! Sobre esse episódio , o jornalista “Elio Gaspari” escreveu o texto abaixo, para que hoje tenhamos um retrato da história, e que em nada se compara ao que o Ministro Alexandre de Morais está fazendo em pleno período _do que deveria ser _ vivência democrática.
    “Elio Gaspari” : No primeiro ato politicamente relevante de seu governo, o presidente _ General Ernesto Geisel _como presidente da República ordenara ao procurador-geral da República que processasse o deputado junto ao Supremo Tribunal Federal por ter insultado um chefe de Estado estrangeiro.
    Nesse episódio em que “Gaspari” diz que foi :_Pura demonstração de poder, pois nenhum presidente se incomodara com as acusações feitas por seus aliados a ditadores de países socialistas com os quais o Brasil mantinha relações diplomáticas.
    Ainda de acordo como o que escreveu o jornalista, a imprensa _como agora _ foi terminantemente proibida de tratar do assunto, e, em outubro, o Supremo condenou Chico Pinto a seis meses de prisão….
    Por decisão do Supremo Tribunal Federal o deputado saiu do Congresso para o cárcere, num batalhão da PM acontecimento este ocorrido em 10/10/1974.
    A Ditadura Militar, tem sido duramente atacada, mas um fato tem que ser reconhecido: O cidadão “Francisco José Pinto dos Santos (Chico Pinto) não foi alvo de perda de seus direitos políticos, de forma que foi reeleito deputado federal em 1978 tendo sido um dos fundadores do PMDB sendo elevado ao posto de Secretário-geral do diretório nacional da agremiação. Conquistou novos mandatos de deputado federal em 1982 e 1986.
    O que me causa espécie, é o fato de que o Governador do Maranhão, _tão afeito aos cumprimentos da lei_, ter defendido publicamente a tese de que a Prisão de Lula _acontecida após 2 (duas) sentença tramitadas julgadas em instâncias da justiça é e foi um ato de violência contra seu réu de estimação …
    A meu julgamento como cidadão, vejo a prisão do deputado federal Daniel Silveira, como um grave atentado às liberdades, tão bem fundamentada em nossa Constituição, uma tremenda arbitrariedade quanto ao exercício das liberdades de um parlamentar, sem que tenha havido direito à legítima defesa…
    Ao que parece, o STF se transformou num tribunal de inquisição ao estilo da Inquisição romana, e o ministro Alexandre Morais ao estilo de Gian Pietro Carafa, eleito papa com o nome Paulo IV em 1555 perseguindo suspeitos de heresia, entre os quais estão _hoje _qualquer pessoa que definitivamente não seja de esquerda!
    O nosso Cardeal tupiniquim age ao arrepio das liberdades, da mesma forma que os inquisidores de Roma ao perseguir seu desafetos e hereges …
    A sentença dada pelo Ministro Alexandre de Morais se assemelha portanto àquela dada pela “Congregação do Santo Ofício”, Teólogo e Filósofo Giordano Bruno pelo papa Clemente 8º (1592–1605) , visto que este ainda concedeu ao “herege impertinente e pertinaz” oito dias de clemência para um eventual arrependimento, coisa que o Senhor não fez com o jornalista Oswaldo Eustáquio e Sarah Winther !
    A “Suprema Corte” STF, tem criado seus próprios hereges, e tem condenado esses hereges de acordo com seus propósitos quase animalesco…
    Portanto, senhor Flávio Dino, concordar com a prisão do deputado Daniel Silveira e condenar os militares pela prisão do então deputado Chico Pinto, soa tão mal quanto absorver os ministros do STF, quanto as prisões arbitrárias que estes togados fazem, ou quando soltam criminosos de alta periculosidade… O problema senhor Governador, é que como eu não sou terraplanista, como eu acredito que o mundo gira e dar muitas voltas, pode ser que o senhor possa ser encontrado numa dessa voltas que o mundo dá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens