Fechar
Buscar no Site

Fifa paga R$ 74 milhões a membros do Conselho; Fernando Sarney ganha R$ 1,3 milhão

A Fifa gastou em 2019 mais de R$ 74 milhões em remuneração aos 36 membros do seu Conselho. O valor está em documento divulgado nesta quarta-feira (19) e enviado aos filiados para análise antes do Congresso virtual da entidade que será realizado em 18 de setembro. Neste dia se votará as contas do ano passado.

Cada membro do Conselho recebe por ano US$ 250 mil (R$ 1,38 milhão), antes da taxação de impostos, mais diárias variáveis de R$ 830 a R$ 1.400 durante as viagens para reuniões ou representações em eventos. O Brasil tem um representante no Conselho, Fernando Sarney, que é vice-presidente da CBF e filho do ex-presidente José Sarney. Ele é membro desde 2015.

Mas há quem receba mais no Conselho. Os vice-presidentes da Fifa que ao mesmo tempo comandam confederações filiadas ganham por ano US$ 300 mil (R$ 1,65 milhão). Casos, por exemplo, do presidente da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), Alejandro Dominguez, e de Aleksander Ceferin, o chefão da Uefa (União Europeia de Futebol).

O Conselho é o novo nome do Comitê Executivo. A Fifa alterou o formato do grupo, aumentando os representantes e exigindo a presença de mulheres, e a nomenclatura depois dos seguidos escândalos de corrupção, a partir de 2015, que levaram para a prisão dezenas de cartolas e derrubaram o ex-presidente Joseph Blatter.

Ex-presidente da CBF, o brasileiro José Maria Marin foi condenado à prisão pela Justiça dos EUA por, segundo a denúncia, receber propina para vender direitos comerciais de torneios para empresas de marketing esportivo. Ele sempre negou as acusações e por causa da pandemia foi autorizado a voltar ao Brasil em março de 2020.

O Comitê Executivo da Fifa também entrou em desgraça com as denúncias de compra de votos para as escolhas da Rússia e do Qatar como sedes das Copas de 2018 e 2022, respectivamente. Por isso a Fifa alterou o sistema de votação para definir o local dos Mundiais — agora não são os membros do Conselho, mas o representantes dos 211 países filiados que votam.

Gianni Infantino, presidente da Fifa, receberá bonificação de mais de R$ 6,2 milhões por metas atingidas em 2019. Essa bonificação, que a secretária-geral Fatma Samoura também recebe (R$ 1,5 milhão), foi criada em 2018. A ideia foi ter mecanismos parecidos com o de uma empresa, onde os CEOs ganham fixos, mas também extras dependendo do desempenho da companhia.

Com o salário fixo de R$ 11,5 milhões por ano, Infantino embolsou por ser o presidente da Fifa em 2019 o total de R$ 17,7 milhões, sem contar benefícios. Samoura teve um total de pouco mais de R$ 9 milhões. Do UOL Marcel Rizzo

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

2 respostas para “Fifa paga R$ 74 milhões a membros do Conselho; Fernando Sarney ganha R$ 1,3 milhão”

  1. Joao disse:

    Um bando de RATOES mamando nas tetas do futebol….FIFA.. Uma VERGONHA…. Onde tem TETA GORDA tem SARNA…. Mamam com gosto…. Está no DNA.

  2. JULIO CESAR disse:

    LEMBRE QUE O DINHEIRO DO FUTEBOL VEM DOS POBRES TORCEDORES .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens