Fechar
Buscar no Site

Felipe Camarão entrega mais duas ruas dignas com mão de obra carcerária

A comunidade que mora no entorno do Centro de Ensino Robson Campos Martins, em Paço do Lumiar, a partir de hoje (23) tem mais um motivo para comemorar. É que o bairro que antes contava com as ruas adjacentes à escola totalmente intrafegáveis, ganhou a pavimentação de mais duas ruas por meio do Programa Rua Digna. Em menos de 20 dias, 3 ruas completamente pavimentadas pelo Governo do Maranhão, por meio da parceria entre as secretarias de Estado da Educação (Seduc) e da Administração Penitenciária (Seap), já foram entregues para os moradores do Maiobão, em Paço do Lumiar.

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, destaca que a parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária tem permitido a realização de inúmeras obras, com mão de obra carcerária, que também utiliza bloquetes para a pavimentação produzidos por apenados em fábricas de blocos de concreto no Sistema Prisional do Estado.

“O Escola Digna é a macropolítica educacional do Maranhão que, além de possibilitar a construção de novas escolas e requalificação dos espaços educacionais, leva saneamento básico, água, enfim, dignidade às comunidades do entorno dessas escolas, uma vez que, quando iniciamos as obras em algumas escolas, percebemos outras necessidades como a precariedade das condições das ruas de acesso a esses ambientes escolares, dessa forma, por determinação do governador Flávio Dino, buscamos parcerias com outros órgãos do Estado para levar outras políticas públicas a essas comunidades”, enfatizou o secretário Felipe Camarão.

Para o subsecretário da Seap, Rafael Velasco, a parceria leva mais dignidade ao dia a dia dos moradores, que podem transitar em uma rua com melhores condições, e também aos presos, que encontram no trabalho uma forma de ressocialização. “Há 30 dias fizemos a entrega da rua 102 e na ocasião a população local nos fez o pedido para pavimentarmos essas outras ruas que precisavam de acessibilidade. E nesse tempo conseguimos concluir mais essas duas ruas. E nesse momento vamos fiscalizar mais outra rua que fica próxima da Escola ‘Ignácio Rangel’, na Maiobinha, e nos próximos dias estará concluída”, disse.

José Raimundo é morador há 38 anos da rua 13, que na tarde desta terça-feira (23) teve sua obra finalizada. “A rua é o encontro das águas. Muitas casas já sofreram com as enchentes aqui. Teve gente que teve que sair de casa. Aqui sofremos muito, só promessa que recebemos antes e hoje está 100% o trabalho que foi feito. Que Deus abençoe quem trabalhou dia e noite em prol da melhoria dos moradores dessa rua”, disse.

“Agradeço aos secretários pela força que eles deram. Moro aqui e são 30 anos de sofrimento. Ano passado tive a minha casa invadida pela força da chuva e a buraqueira enorme, sem poder deixar o carro em casa, tendo que deixar na casa de amigos, porque o carro não entrava aqui. E hoje vemos essa bonança que o secretário fez para nós moradores, em torno do colégio. Para nós foi a melhor coisa que recebemos nesse período”, declarou José Fernandes, que mora há 30 anos na rua 98.

Ressocialização

Além das ruas dignas no entorno das escolas estaduais, a mão de obra carcerária também está presente em obras educacionais realizadas na região metropolitana de São Luís, tais como: a revitalização dos Faróis do Saber do Bairro de Fátima e Cidade Operária, e as reformas dos Centros de Ensino João Paulo II (Turu) e Ignácio Rangel (Cidade Operária). Os apenados também atuam na confecção de uniformes e carteiras escolares e, atualmente, na produção de máscaras de proteção à Covid-19.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens