Fechar
Buscar no Site

Empresa ligada a neto de Sarney recebe verba da Câmara

Sócio diz que Gabriel Sarney cuida da ‘inteligência política’ da empresa. Jovem e seu pai, o deputado Sarney Filho, negam que tenha ocorrido qualquer influência política

LEANDRO COLON (Folha de São Paulo)

Uma empresa ligada a um neto do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), recebeu verbas da Câmara dos Deputados nos últimos meses, driblando normas criadas para evitar que parentes de congressistas sejam beneficiados dessa maneira.

O deputado Sarney Filho no Congresso em 2010

Gabriel Cordeiro Sarney, 24, é filho do deputado Sarney Filho (PV-MA) e é um dos três sócios da Ideaspread Participações, criada em agosto do ano passado.

A Metagov Comunicação, empresa controlada pelos dois sócios de Gabriel na Ideaspread, foi contratada por gabinetes de vários deputados, entre eles Sarney Filho, para dar consultoria política e criar sites e aplicativos.

Gabriel e Sarney Filho negaram que a contratação da Metagov tenha ocorrido por influência política.

Todos os parlamentares têm direito a uma verba mensal para custear despesas ligadas ao exercício de seu mandato, mas o regimento interno da Câmara proíbe empresas de parentes do deputado até o terceiro grau de receber esse dinheiro.

Além de ter sócios em comum, a Ideaspread e a Metagov foram registradas na Junta Comercial do Estado de São Paulo com o mesmo endereço, em uma sala comercial em Moema (zona sul de SP).

Gabriel dá expediente no escritório e usa um e-mail da Metagov para contatos.

Até a quinta-feira passada, o perfil da Ideaspread no Facebook apresentava a Metagov como uma empresa “controlada pela Ideaspread”.

Os registros da Metagov, criada em 2010, indicam como sócios da empresa Felipe Martins de Carvalho e Marcos Del Valle, que são os sócios de Gabriel na Ideaspread.

Em entrevista à Folha, Del Valle disse que Gabriel “trabalha com a parte do que a gente chama de inteligência política” na Metagov.

Del Valle disse que foi Gabriel quem apresentou a empresa a Sarney Filho. “Neste caso, [Gabriel] nos ajudou a conhecer o pai dele”, disse.

Sarney Filho contratou a Metagov em fevereiro do ano passado e manteve a empresa entre os prestadores de serviços de seu gabinete após a criação da Ideaspread.

Desde o ano passado, a Metagov recebeu pelo menos R$ 260 mil de gabinetes de deputados, segundo prestações de contas disponíveis no site da Câmara. Sarney Filho repassou R$ 72,5 mil.

Além dele, outros deputados usaram verbas da Câmara para pagar a empresa, entre eles Romário (PSB-RJ), Roberto Freire (PPS-SP), Renan Filho (PMDB-AL), Júlio Delgado (PSB-MG) e Wilson Filho (PMDB-PB).

Gabriel é irmão de José Adriano, envolvido em um escândalo do Senado em 2009 após a descoberta de que intermediava crédito consignado a servidores.

Ele é o quarto neto de Sarney que aparece ligado a verbas do Congresso. Em 2009 foi revelado que João Fernando, filho do empresário Fernando Sarney, era funcionário-fantasma do gabinete de Epitácio Cafeteira (PTB-MA).

No ano anterior, sua irmã Maria Beatriz pediu ao avô, em conversa telefônica, a nomeação do namorado para um cargo do Senado, o que acabou ocorrendo.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

4 respostas para “Empresa ligada a neto de Sarney recebe verba da Câmara”

  1. VIRGULINO ( LAMPIAO) disse:

    O LULA MOLUSCO DEIXOU UMA PORRADA DE SEGUIDORES…
    EU NAO SEI DE NADA,NAO VI NADA!!!
    TUDO ISSO É “INVENÇAO” DA IMPRENSA!!!
    LUNATICO SOUBE COMO “REVOLUCIONAR” A CORRUPÇAO!!!

  2. Capelobo disse:

    NÃO TEM JEITO PRA ESSES BANDIDOS. OLHA O QUE ACONTECEU EM 2009. TUDO ESTÁ ACONTECENDO NOVAMENTE.
    COM OS ATOS SECRETOS, A FAMÍLIA DESSES CANALHAS ESTAVA TODA ENVOLVIDA NA BANDIDAGEM, E HOJE CONTINUA IGUAL, ISSO É UMA DOENÇA SEM CURA.
    PRA ACABAR COM ISSO TINHA QUE SER FEITO O QUE FOI FEITO NO IRAQUE E NO LÍBANO, ACABAR COM ESSA RAÇA MISERÁVEL, IGUAL O QUE FOI FEITO RECENTIMENTE NO LÍBANO, ACABAR MESMO.
    ISSO NÃO IA RESOLVER O PROBLEMA, VISTO QUE A POLÍTICA BRASILEIRA É UM CASO SEM JEITO. MAS PRIMEIRO COMEÇAVA COM OS VERMES SARNEY, DEPOIS A REVOLUÇÃO SE ESTENDERIA PARA O RESTO DO BRASIL.
    PRA NOSSA POLÍTICA TER UM POUCO DE LEGALIDADE, TEMOS QUE ACABAR COM ESSA RAÇA NOJENTA, ACABAR COM O SENADO, ACABAR COM A CÂMARA, E COMEÇAR TUDO NOVAMENTE, DEPOIS CLARO, QUE ESSES CANALHAS JÁ ESTIVESSEM TODOS DESCANSANDO COM SATANÁS NO FUNDO DO OCEANO ATLÂNTICO. POIS ESSE SERIA O FIM DE TODOS ELES, JOGARÍAMOS TODOS NO LOCAL MAIS PROFUNDO DO ATLÂNTICO.

  3. Capelobo disse:

    Se tiver alguém disposto a acabar com Brasilia e com todos os políticos que lá vegetam, eu estou disposto, olha lá aquela matéria do jornal O GLOBO. A farra desses canalhas, inclusive todos os senadores suplentes maranhenses, claro.

  4. Dom Cosme... disse:

    Meu amigo Lima:
    Não vejo mau nenhum um filho de Sarney filho ter intermediação do pai e do avô para conseguir vender o que nunca existiu.Se vocês perguntarem ao Lima e ao Lula se este é um procedimento legal, logo eles vão dizer que é normal. Segundo alguns bocas porcas , o filho de Lula ganhou uma bolada… e Lula nunca soube de nada! o filho de Sarney Filho, tem que se espelhar no seu clã… Não vejo nada de mais.
    Essa empresinha de fundo de quintal, rende apenas alguns míseros Reais, e seus donos se assim o fazem, fazem sim Poe sobrevivência. A Metagov Comunicação, empresa controlada pelos dois sócios de Gabriel na Ideaspread, foi contratada por gabinetes de vários deputados, entre eles Sarney Filho, para dar consultoria política e criar sites e aplicativos._ Essas consultorias é invenção nova, e sua invenção se deu exatamente para que gatunos façam gatunagens e tenha aparência de legalidade… Haja dinheiro público.Esse dois meninos inocentes, nem sabem por onde começar um negócio vantajoso, por isso careceram da ajuda do SEBRAE para começar um micro empreendimento de risco.Vejam que as pessoas (parlamentares) nem sabiam de que se tratava o negócio dos inocente:Gabriel e Sarney Filho negaram que a contratação da Metagov tenha ocorrido por influência política.Del Valle disse que foi Gabriel quem apresentou a empresa a Sarney: “Neste caso, [Gabriel] nos ajudou a conhecer o pai dele”, disse._Tudo inocentemente, sem a intencionalidade costumeira!Se_ Sarney Filho contratou a Metagov em fevereiro do ano passado e manteve a empresa entre os prestadores de serviços de seu gabinete após a criação da Ideaspread,_ foi tão somente para ajudar uns garotos desprotegidos da sorte.Desde o ano passado, a Metagov recebeu pelo menos R$ 260 mil de gabinetes de deputados, segundo prestações de contas disponíveis no site da Câmara. Sarney Filho repassou R$ 72,5 mil, e esse dinheirinho é nada se se comparar com o que ganha um professor da rede pública do estado… Além dele, outros deputados usaram verbas da Câmara para pagar a empresa, entre eles Romário (PSB-RJ), Roberto Freire (PPS-SP), Renan Filho (PMDB-AL), Júlio Delgado (PSB-MG) e Wilson Filho (PMDB-PB). Tudo isso eu acho normal, mas um nome me chamou atenção: Romário… O anjo da guarda da moralidade pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens