Fechar
Buscar no Site

Doleiro Dario Messer teria pago propina a procurador de Curitiba

Jornal GGN – O doleiro Dario Messer, considerado pelas autoridades brasileiras o “doleiro dos doleiros”, afirmou em troca de mensagens com a namorada que pagou propina a procurador da Lava Jato em Curitiba, Januário Paludo.

De acordo com a reportagem exclusiva do UOL, mensagens de agosto de 2018, apreendidas por fase deflagrada pela Lava Jato do Rio de Janeiro mostra que a namorada do doleiro, Myra Athayde, afirmou que Paludo estava entre os procuradores que recebem pagamentos mensais em troca de “proteção” de investigados.

O assunto surge quando Messer afirma ter conhecimento de que uma testemunha de acusação contra ele teria reunião com Paludo. Na sequência, a namorada diz: “Sendo que esse Paludo é destinatário de pelo menos parte da propina paga pelos meninos todo mês.”

Os meninos seriam os também doleiros Claudio Fernando Barbosa de Souza, o Tony, e Vinicius Claret Vieira Barreto, o Juca, hoje delatores da Lava Jato no Rio.

Ao MP carioca, Tony e Juca afirmaram ter pago US$ 50 mil (cerca de R$ 200 mil) por mês ao advogado Antonio Figueiredo Basto em troca de proteção a Messer na PF e no Ministério Público. Basto foi advogado de Messer e, segundo o UOL, um dos advogados mais próximos da Lava Jato.

Em resposta, a força-tarefa de Curitiba saiu em defesa de Paludo.

Disse que o doleiro foi investigado por outro procurador, que trabalhou com “absoluta independência” e que o caso é de “possível exploração de prestígio por parte de advogado do investigado, fato que acontece quando o nome de uma autoridade é utilizado sem o seu conhecimento.”

“O doleiro Dario Messer é alvo alvo de investigação na Lava Jato do Rio de Janeiro, razão pela qual não faz sequer sentido a suposição de que um procurador da força-tarefa do Paraná poderia oferecer qualquer tipo de proteção.”

Além disso, a Lava Jato em Curitiba reiterou “a plena confiança no trabalho do procurador Januário Paludo, pessoa com extenso rol de serviços prestados à sociedade e respeitada no Ministério Público pela seriedade, profissionalismo e experiência.”

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Uma resposta para “Doleiro Dario Messer teria pago propina a procurador de Curitiba”

  1. pericles disse:

    Existem várias maneiras de se pagar PROPINAS, uma com dinheiro, outra com cargos e outras bem conhecidas.
    A propina de MORO foi um cargo de Ministro e a promessa de um outro como ministro do STF. ATE AGORA ( a que sabemos), a propina do Delangnhol é a exposição ( OTÁRIOS ADORAM os salvadores da pátria ) que lhe rende pelo menos R$ 300.000,00 por ano em “palestras”.Existe também as propinas pagas em dinheiro, dessas que o Januário e outros procuradores levavam/levam. Soma-se ai os escritórios de advogacia que em comum acordo com a Lava a Jato ( leia-se Moro, Delangnhol e outros facínoras) promoviam os mais MIRABOLANTES “acordos” de delação premiada. ( o acordo de delação da JBS deixou Fachinni e Janot multimilionários) . Esses acordos fizeram com que Zucollato ( CUMPADI de Moro) e Rosangela Moro ( Mulher de Moro) tenham a garantia que seus dependentes até a DECIMA QUINTA Geração NÃO Terão preocupações financeiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens