Fechar
Buscar no Site

Dino: Wajngarten cometeu crime em flagrante e deveria ter sido preso

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), em entrevista ao Boa Noite 247 nesta quarta-feira (12), afirmou que o ex-chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) Fabio Wajngarten deveria ter sido preso ao mentir em depoimento à CPI da Covid.

Dino lembrou que a testemunha tem por obrigação dizer a verdade, não podendo ocultar nenhuma informação. “Houve uma tentativa de uma testemunha, que depõe sob compromisso de dizer a verdade, de ocultá-la [a informação]. E isso, nos termos da lei, configura crime. A testemunha não pode nem mentir e nem omitir, e aparentemente foi esta a situação. Creio que todas as testemunhas que tiverem essa conduta deverão e serão responsabilizadas criminalmente”.

O que se viu na fala de Wajngarten ao longo do dia foi uma série de contradições e mentiras, que provocaram diversos pedido de prisão do ex-chefe da Secom. Wajngarten só não foi preso porque o presidente da comissão, senador Omar Aziz (MDB-AM), não acatou os pedidos dos colegas. Mesmo assim, a CPI pediu que o Ministério Público do Distrito Federal apure se o depoente cometeu crime de falso testemunho. Brasil 247

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Uma resposta para “Dino: Wajngarten cometeu crime em flagrante e deveria ter sido preso”

  1. Aston Beckman disse:

    Os dois SE’s da CPI:
    SE a CPI atingir o objetivo ao qual se proprõe, Bolsonaro estará oficial e fatalmente DESAUTORIZADO de continuar presidente.
    SE a CPI malograr: Bolsonaro permanecerá mandatário, como um vivo morto. Até que, nos palanques, o discurso acusatório de que o Capetão usou os Instrumentos de Estado, para torpedear a CPI, converta-se em munição da oposição para defenestrá-lo do Planalto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens