Fechar
Buscar no Site

Deputado critica discurso de Dilma e diz que “não adianta milhares de médicos se os hospitais tem 0 de estrutura”

O deputado estadual André Fufuca criticou a declaração da presidenta Dilma Rousseff, dada na noite desta sexta-feira em seu primeiro pronunciamento em rede nacional de rádio e TV sobre os protestos que tomaram conta do país, de que vai “trazer milhares de médicos para melhorar o atendimento no SUS”.

De acordo com o parlamentar, “não adianta milhares de médicos se os hospitais tem 0 de estrutura”. “De que adianta milhares de médicos? Querer passar a imagem que vão solucionar o problema da saúde com a contratação de milhares de médicos que não conhecem nossas doenças e não falam nosso idioma…”, indagou Fufuca.

Veja, abaixo, a íntegra do comentário de repúdio do deputado.

André (2)

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

16 respostas para “Deputado critica discurso de Dilma e diz que “não adianta milhares de médicos se os hospitais tem 0 de estrutura””

  1. Muda Brasil disse:

    Estudantes, jovens, pais, mães, filhos, maranhenses, brasileiros. As últimas semanas mostraram que o povo brasileiro não perdeu seu senso de patriotismo e vontade de lutar pelo que é certo. Há muito o brasileiro está com um grito entalado na garganta, não só para dizer para o partido dos vermelhos, mas também para o dos roxos, verdes, rosas, lilás ou azuis que o Brasil mudou.
    A imprensa noticia com muito impacto a vontade do povo de se fortalecer, frente à meia dúzia de políticos que fazem do Congresso, Palácios e Assembléias uma verdadeira casa da mãe Joana. Os movimentos em quase todas as grandes capitais e cidades do país prova que não é apenas pela diminuição do preço da passagem de ônibus que nós lutamos, não é contra a Copa que nós nos opomos, não são os partidos políticos que questionamos. Nós estamos nos opondo aos sujeitos que detém cargo político e suas formas de lidar com o dinheiro público. Sujeitos que se escondem dentro de partidos políticos e agremiações políticas, debaixo de falsas ideologias, com o único propósito de tomar o poder pelo poder.
    Nós sabemos que os conchavos, negociatas, politicagens são realizadas às escâncaras, debaixo dos narizes dos cidadãos brasileiros. Sabemos que os 27,5% de Imposto de Renda, até 17% de ICMS, até 5% de ISS que saem do bolso do cidadão brasileiro, diariamente, vai para o fundo do bolso escuro de vários corruptos, os quais, a maioria, se auto-intitulam representantes do povo brasileiro.
    Há, nos frios corredores de mármore ou de porcelanato caro das suntuosas casas políticas do país, neste exato momento, quem esteja fazendo do nosso dinheiro (dinheiro público), objeto de transações nefastas, a fim de obterem vantagens politiqueiras. Neste exato momento, enquanto fazemos manifestações, os “Al Capones” que se intitulam representantes do povo fazem suas apostas, fumando seus caros charutos cubanos, rindo e se perguntando até quando estas manifestações vão durar. Enquanto somos confundidos com vândalos, somos vitimas de spray de pimenta e suscetíveis às bombas de gás lacrimogêneo, meia dúzia de “Malufes” estão sentados no alto de suas luxuosas poltronas, em uma sala climatizada, protegidos dos cassetetes policiais, assistindo de camarote a surra que estamos levando destes instrumentos de coerção, que deveriam ser usados contra eles e não contra nós.
    É justo que façamos todo este sacrifício, quando somos manchetes internacionais, sendo pisoteados pelos cavalos da tropa de choque, sabendo que estas mesmas raposas irão continuar sentadas nos mesmos lugares, mandando e desmandando no país, e mais, com o nosso dinheiro no bolso e na cueca como eles fazem bem? É justo todos nós suarmos a camisa, levarmos bala de borracha nos olhos, deixar nossas mães preocupadas em casa, ficarmos sem voz, suados, com os braços doloridos de tanto levantarmos cartazes e depois que as manifestações se dissiparem, as coisas continuarem como estão?
    Qual o legado de todas as manifestações que eclodiram nos quatro cantos do país? Será que vamos deixar que as depredações, os atentados ao patrimônio público, as vidraças quebradas das repartições publicas, os estilhaços de bombas caseiras no asfalto ou os saques às lojas de trabalhadores sejam a marca desta manifestação?
    Para quem presenciou ou testemunhou mais de trezentas mil pessoas nas ruas do Rio, a marquise do Congresso Nacional tomada por jovens estudantes que gritavam palavras de ordem e contra a corrupção, São Luis e demais capitais serem tomadas não só por estudantes, mas por pais e mães de família, pessoas simpáticas ao movimento, a mera redução do valor das passagens de ônibus é muito pouco, apesar de já ser o começo.
    O Movimento Passe Livre em São Paulo já declarou que o objetivo do grupo já foi alcançado, ou seja, a redução dos valores das passagens de ônibus. Não convocarão mais as pessoas para irem às ruas reivindicar outras melhorias, pois sua pauta de protestos, a curto prazo, já foi atendida. Os movimentos foram organizados, em sua maioria, pela internet, e não tem liderança definida como um ponto de referência. Aqui em São Luis, mas não só aqui, como em muitos lugares, mais é quem quer ser o pai dos movimentos populares que estamos vivenciando, várias siglas partidárias querem tomar de assalto o movimento legítimo do povo, para futuramente colocarem nas suas propagandas eleitorais a massificação dos protestos misturada às cores das suas bandeiras.
    O problema é que tudo vai voltar como era. A Presidente do Brasil já fez um pronunciamento, apoiando os manifestos populares, pois se identifica com os protestos já que foi vítima da repressão ditatorial, mas só. O Brasil vai continuar sendo governado pelos mesmos políticos imundos, que no escuro dos cantos dos seus gabinetes aprovam projetos de lei em troca de cargos e altos salários para os seus correligionários, ou fazem jogo de emendas com seus partidários desviando percentagens pelo lobby realizado, todos sabem que é assim.
    A pressão popular sem referência e coesão não vai forçar que estes deputados, senadores e chefes do executivo que ai estão, lancem mão de uma verdadeira reforma política, não vai mudar o fato de o PT, PSDB, e PMDB sempre tomarem as decisões políticas como sempre tomaram ao longo dos governos que se sucederam, e mesmo que nos estendamos em manifestações até outubro de 2014, não sobrará pedra sobre pedra do patrimônio público e do comércio, pois os bandidos estão usando as manifestações como escudos para cometerem crimes a céu aberto.
    Eu sei que o jovem, o estudante não é avesso à política, caso contrário não iria para as ruas contra a corrupção e contra o mau uso do dinheiro público. Negar a política seria o mesmo que negar a democracia e os valores que estão nela contidos. Seria negar a proteção às minorias, negar o controle dos gastos públicos, negar o basta contra a farra dos corruptos impregnados no poder, para tirar de nós aquilo que temos de maior valor, a nossa consciência.
    Por isso, a melhor forma de perenizar a insatisfação popular é instrumentalizando e institucionalizando os anseios legítimos do povo, das classes média e baixa, das consciências do Brasil. Muitas vezes vemos em alguns lugares, bandidos serem linchados, criminosos serem mortos pela mão de pessoas de bem do povo em flagrante justiça privada, pela consciência de que a Justiça e a Polícia não chegariam a tempo para dar a resposta rápida e a contento. É lamentável que isso aconteça, pois o atraso do Estado leva a consequências terríveis, e, de costume, o povo não se sente legitimado para exigir dele a proteção necessária, e, muito menos, respostas concretas.
    O que estamos vivenciando hoje não é muito diferente, queremos respostas concretas, mas não há mudanças reais, por isso diz-se que a maior ignorância é a indiferença, e se nós não atentarmos para o fato de que negando a política, nós estaremos perpetuando nos seus lugares aqueles que queremos fora do poder, assistiremos sempre os noticiários sobre as realizações das Copas da vida com dinheiro público, as Pec’s 37 da vida sendo aprovadas e as eleições sendo vencidas pelo pior tipo de político possível.
    E é por isso que sugiro que combatamos o fogo com fogo. A gente não vai conseguir derrotar estes fanfarrões da política brasileira, se não começarmos a usar o que eles usam para estarem no poder. Temos que usar o sistema político e eleitoral para quebrarmos as velhas amarras políticas, que nos fazem descender de tantos golpes, de tantos fatos políticos negativos pelos quais o Brasil já passou, e temos que fazer isto rápido, pois estamos na iminência de concebermos um Aiatolá, o qual até a Presidente do Brasil precisa consultar antes de tomar qualquer medida política, e não é assim que nós queremos ser representados.
    Defendo por isso um Partido. Um partido que possa nascer das causas legítimas da população, do momento que o Brasil vive, da vontade de mudança do povo. Um partido que tenha sensibilidade para com os anseios do povo, que proteja as minorias, que proteja quem sempre paga a conta no final, de quem o governo sempre exige quando os recursos estão em falta, que não seja comandado pelos mesmos políticos de sempre, mas por estudantes, pessoas de consciência política, pessoas avessas a politicagens e intransigentes com a corrupção, pessoas que tenham orgulho das cores da nossa nação e vergonha na cara. Um partido que pode ter voz nas Casas Legislativas, nas Casas do Poder Executivo, para dar concretude a todos os nossos anseios de rebeldes “com” causa. Um partido que esteja próximo das decisões políticas, mas que ouça a voz do povo, um partido que demonstre aos engravatados nos púlpitos e plenários a insatisfação do povo pelo rumo que nosso país está tomando, a insatisfação que corrói e cansa nossa democracia, a insatisfação de estarmos todos os dias comprando uma falsa ideia de que nosso Estado “vai bem obrigado”.
    Jovens, estudantes, pais, mães, filhos do Brasil vamos mudar o nosso país, mudar com inteligência, e não como massa de manobra. Vamos mostrar que nós também podemos e somos capazes de enfrentar este sistema político arcaico e enferrujado com as mesmas regras que estas velhas raposas usam para se perpetuar no poder. Não vamos deixar que oportunistas façam dos movimentos legítimos do povo, mais um programa partidário que ataca aqueles que estão no poder, ou mesmo deixar os que representam a situação se vangloriarem por apoiar com discursos falsos a legitimidade dos movimentos que estão fazendo história no nosso país. Vamos mostrar nossa insatisfação não só fora do Congresso Nacional, como também internamente, tomando a Tribuna da Câmara e do Senado, através de representantes eleitos por nós os insatisfeitos, representantes eleitos para verdadeiramente da voz aos anseios de todo o povo. O Brasil precisa de você e não vai ser odiando partidos políticos que a gente vai mudar o nosso país!
    Muda Brasil!

  2. aureliox disse:

    Ela também não falou nada sobre a PEC37.

  3. franciso disse:

    Ele esclarece que apesar de o câncer de pênis ser raro (representa 2% de todos os tipos de câncer no país), em algumas regiões do Norte e Nordeste a incidência desse tumor é muito maior que a do de próstata. O motivo é que ele está associado a baixas condições socioeconômicas e também à má higiene íntima. “No ano anterior, nós tivemos mil amputações de pênis no Brasil. No Maranhão, aparece um caso novo a cada 16 dias. Nossos índices são iguais aos da África e superiores aos da Índia. É preciso levar atendimento médico a essas regiões urgentemente”, diz o presidente da SBU. ps mais um índice vergonhoso para o nosso estado
    É parte de um depoimento de um especialista tirado da pagina de link abaixo(não tem virus):
    http://visionari.com.br/saude-e-bem-estar/saude/item/404-c%C3%A2ncer-de-p%C3%AAnis-mil-amputa%C3%A7%C3%B5es-por-ano-no-brasil

  4. Francisco Tavares disse:

    Não voto em gente do PT, mas os médicos estrangeiros devem ser contratados sim e os políticos que desviam as verbas da saúde, presos!

  5. Plinio Marcos Moreira da Rocha disse:

    Prezados,
    Apresento o documento “O Gigante Sonâmbulo continua Adormecido”, http://pt.scribd.com/doc/149297061/O-Gigante-Sonambulo-continua-Ado… , onde estamos, mais uma vez, expondo nossa preocupação relacionadas aos meios utilizados para se reivindicar, em alguns casos, o “céu de brigadeiro”…
    Quando então reafirmo que nenhum movimento que tenha infiltrado, que permita ter infiltrado, baderneiros, principalmente, quando consegue afastar os sindicalistas, a imprensa e os partidos políticos, é legítimo, quando então ressalto, que a mobilização enquanto significativa, é de participação insignificante frente ao potencial que poderia ter.
    Alguns, que não Eu, entendem, que a conquista do Plano Real, paga unicamente pelos Assalariados Brasileiros, uma vez que, tiveram seus salários convertidos à média aritmética de 12 meses, com variação de até 80% em um mês, pode ser colocada em risco, de tal forma, se verificarem infrutíferas todos os esforços feitos até aqui…
    Abraços,
    Plinio Marcos

  6. Jorge Antonio disse:

    O nobre deputado, não conhece o trabalho que vai ser feito.Se é para atingir onde os “médicos patricinhos” não querem ir, realmente não tem estrutura. Os médicos estrangeiros, principalmente os cubanos, montaram postos de atendimentos improvisados (tendas, igrejas, sindicatos, etc) e farão seu trabalho. O nobre deputado está vacilando!

  7. nonato ferreira disse:

    De que adianta este deputado hj falando da Dilma se o mesmo é medico e faz parte do sistema falido do Estado do Maranhão sendo conivente com tudo que esta ai. O que ele esta fazendo em prol da população? Se os hospitais estão com 0 de infraestrutura, então deputado por que o Senhor não fiscaliza esses ai que a governadora vem fazendo ao longo de 4 anos?

  8. pericles disse:

    Grande Fufuquinha, conhecidissimo nas sendas da baitolagem como “doce de leite”, porque será?

  9. alberto disse:

    Corretissimo deputado. Querem enganar a população com falsas soluções. Sou funcionario publico ha 20 anos e sem muito bem que se não houver investimento na estruturação de nossa saúde, nada será melhorado. Parabens pela posição.

  10. Marcelo Galvão disse:

    Me formei em 2000 no curso de medicina. Trabalhei nesse intervalo de tempo em 9 pequenas cidades do Ceará e MA. Acho que tenho conhecimento de causa pra poder participar desse debate. Nas cidades que trabalhei, muitas vezes só tinha o receituario e a caneta para encaminhar a cidade mais próxima; fiquei em uma dessas cidades 4 meses sem fazer cirurgia pois a perna da maca estava quebrada e o motor do hospital estava queimado; salários atrasados nem vou falar, passava de 3 meses sem receber. Admiro seu posicionamento deputado, não apenas acho, tenho certeza que médicos não irão solucionar esse problema. Ou investe ou voltamos continuar vendo morte e sofrimento que poderiam ter sido evitados.

  11. Danyel Carvalho disse:

    André quem? Rapaz fala quem quer e presta atenção que não tem o que fazer mesmo!

  12. Ribamar Freire disse:

    10 anos sem investir na saúde e agora com essa mentira absurda. Dilma venha passar meia hora no plantão comigo, que tu verás se o problema são os médicos.

  13. ROBERTO disse:

    Caro jorge atender em tendas, igrejas, sindicatos e o escambal que seja ,faz parte da politica maquiadora do PT , portanto percebo bem o porque deste pensamento seu ,mas atender pessoas nestes condições só mesmo um idiota poderia propor.

  14. Alan disse:

    A saúde no Brasil é municipalizada… o Governo Federal manda a verba para os municípios. O que acontece é que, principalmente no interior do MA, os gestores municipais recebem essas vergas e ao invés de fazerem hospitais, compram ambulâncias e mandam os doentes para os socorroes de SLZ.

  15. Amaro disse:

    Deputado o senhor ter razão, nossos hospitais não tem estrutura, mas o que senhor como depultado fez para mudar isso, criticar e fácil mas o senhor deve trabalhar para mudar isso e não só criticar. Estou estudando ingles em Dublin – Irlanda tudo pago com recursos próprios, meus colegas de classe da Arabia Saudita, Oman, Dubai todos eles o governo paga tudo escola, moradia, alimentação e ainda da 1800 euros por mês para eles, e nesses países eles não pagam um centavo de impostos tax free, se o senhor não conhece deveria conhecer. Eu ano passado paguei 12000 mil reais só de imposto de renda, antes de vir para cá eu perdi meu emprego no Brasil aí fui buscar meu auxilio desemprego, aí descobri que como eu dou aula no SENAI 1 hora por semana e ganhava até dezembro 100 reais por mês e tenho registro no SENAI eu não tenho direito do seguro desemprego. Então que pais e esse que vocês depultados estão fazendo sentados em seus luxuosos gabinetes e criticando os outros que não tem extrutura não tem isso ou aquilo. Então depultado trabalhe para que tenha o mínimo necessário, e apeso que nossos médicos que estudam em faculdades federais devem olhar mais para a população carente e parar de querer ficar rico pensando so em dinheiro, penso que derrepente esses médicos de fira do pais podem contribuir sim para uma saúde melhor, lógico que a Dilma não vai trazer ninguém de fora e esta tentando iludir a população. Mas depultado acredito que com esses movimentos vocês terão mais medo de roubar nosso dinheiro e derrepente o senhor começa a fazer alguma coisa em relação a infra-estrutura, eu como engenheiro espero isso do senhor e de todos da sua tropa.

  16. marcos disse:

    politicos saem do povo mas não retornam para o povo, porque não fazem um projeto onde os politicos eleitos são obrigados a terem um dia de povo, comer, comprar,trabalhar, pagar; acordar,dormir e sonhar como todos esses que estiveram nas ruas de todo Brasil?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens