Fechar
Buscar no Site

Danúbia ‘descatita’ Isamara e Isaías: “o pai é inelegível e a filha nunca se elegeu a nada”

A entrevista concedida ontem ao blog pela suplente de deputada estadual Isamara Meneses, filha do ex-prefeito Isaías Meneses teve repercussão imediata na cidade de Chapadinha. A matéria agitou o meio político local e foi destaque nos meios de comunicação da cidade, entre os quais os blogs dos jornalistas Alexandre PinheiroWilliam Fernandes e Sousa Neto.

As declarações de Isamara serviram para acirrarem ainda mais o clima nada amistoso entre os dois principais grupos políticos de Chapadinha, liderado de um lado pelo ex-prefeito por três mandatos Isaías Meneses e a empresária Ducilene Belezinha, e do outro pelo deputado estadual Magno Bacelar e a atual prefeita Danúbia Carneiro.

Prefeita de Chapadinha Danúbia Carneiro e o deputado estadual Magno Bacelar

Na ocasião, Isamara fez duras críticas a atual administração de Chapadinha, disse que os adversários estão desesperados porque sabem que vão perder a eleição e afirmou que o vereador Émerson Aguiar está sendo usado pelo deputado Magno Bacelar (PV) para denegrir a imagem de Belezinha. Falou ainda que a atual prefeita Danúbia Carneiro (PR) não tem compromisso com a população de Chapadinha e que o deputado Magno Bacelar (PV) não pode se candidatar a prefeito por ser ‘Ficha Suja’.

Ao final, Isamara disse ainda não entender o porquê das agressões gratuitas e repentinas do Vice-Presidente da Câmara de Vereadores, Émerson Aguiar, a Belezinha (pré-candidata a prefeita do grupo Isaías), uma vez que o parlamentar, conforme ela, só conseguiu se eleger graças ao apoio da ex-mulher. O leitor poder rever aqui ou em post logo abaixo.

Dada a repercussão da entrevista, a prefeita de Chapadinha, Danúbia Carneiro, entrou em contato com o titular do blog para contestar as afirmações feitas por Isamara e esclarecer as denúncias colocadas à tona contra ela e seu governo pela desafeta. Em entrevista exclusiva ao blog, Danúbia falou das realizações da sua administração, rebateu as críticas de que seria despreparada para o cargo e negou que esteja por trás dos ataques do vereador Émerson Aguiar a Belezinha.

A chefe do executivo municipal aproveitou também para fazer uma avaliação da atual conjuntura política do município.

Em relação a atribuição feita por Isamara de que não tem capacidade para comandar a cidade de Chapadinha, Danúbia disse que a cidade inteira sabe do esforço que ela tem feito para tentar promover melhorias e avanços no município. “Agora, a pessoa que me considera despreparada não sei qual o padrão ela usa, pois nunca se elegeu a nada, que eu saiba não é nada além de esposa de médico, filha de ex-prefeito. Estudo ela tem muito pouco”, declarou a prefeita.

Sobre a acusação de Isamara de que sua gestão é marcada por “inúmeras irregularidades, malversação do dinheiro público, obras inacabadas”, Danúbia Carneiro respondeu as críticas afirmando que é Ficha Limpa, ao contrário dos seus adversários.

“Eles (grupo Isaías) enfrentaram uma CPI da corrupção, teve intervenção do Ministério Público no setor de Saúde quando a mãe dela era secretária. Toda a tragédia começou quando a Isamara mandava no orçamento do município (era tesoureira) e morava em Brasília. Ai não tinha como ter dinheiro para pagar o funcionalismo. O pai é inelegível por improbidade administrativa. Eu não tenho uma condenação sequer”, contou.

Quanto à denúncia de que, ao lado do deputado Magno Bacelar, estaria manipulando o vereador Émerson Aguiar para proferir ataques contra Belezinha, com o qual o parlamentar já manteve um relacionamento amoroso, Danúbia, de forma veemente, negou a informação. Ela ressaltou que um eventual problema que o vereador tem com alguém de sua vida privada nada tem a ver com política.

“Agora o que a Isamara e a família dela já me insultaram em palanques é uma coisa absurda. Poucas pessoas no mundo passaram por tentativa de destruição moral como em passei eu 2008, mas Chapadinha é testemunha disso tudo. Até o padre da cidade, seu Manuel Neves eles caluniariam e tentaram espancar em praça pública. Uma vergonha”, lembrou a prefeita.

“A política de Chapadinha era respeitosa até 1988 quando o senhor Isaías Meneses, então empresário rico revolveu entrar na disputa e desde então fez péssimas administrações. Acabou falindo, quebrando total. Hoje as pessoas se perguntam do que ele vive”, observou Danúbia.

A prefeita concluiu a entrevista afirmando que seu grupo político é muito forte e não há porque ter receio, segundo ela, do processo eleitoral que se aproxima. Abaixo, segue a íntegra da entrevista dada por Danúbia Carneiro ao blog. Confira.

1 – Como a senhora avalia sua administração até o momento?

Danúbia Carneiro – Durante estes três anos e pouco mais de um mês em que estou à frente da prefeitura de Chapadinha tenho procurado seguir o exemplo bem sucedido da gestão de Magno Bacelar e tenho reiterado diariamente o compromisso de fazer o melhor possível para a cidade. Temos problemas parecidos com outros municípios de médio porte, mas temos procurado resolver tudo.

2 – Sua adversária política, Isamara Meneses, filha do ex-prefeito Isaías Meneses disse que a senhora estaria despreparada para o cargo. O que a senhora acha disso?

Olha, sempre fui bem sucedida na iniciativa privada e na vida pública. Dirigi uma das maiores escolas de Chapadinha juntamente com meu pai, o Colégio FAC e tive muito sucesso como promotora de eventos. Na vida pública fui vereadora ainda muito nova, dirigi a contento o maior hospital da região que não é coisa fácil e fui uma das melhores secretárias de Assistência Social, o que me credenciou para ser prefeita e enfrentar os desafios que tenho em função do cargo. Agora, a pessoa que me considera despreparada não sei qual o padrão ela usa, pois nunca se elegeu a nada, que eu saiba não é nada além de esposa de médico, filha de ex-prefeito. Estudo ela tem muito pouco. Parece que fez um curso de marketing político por correspondência e só.

3 – Sua adversária declarou que não tem como sua administração melhorar e reclama da falta de transparência. O que a senhora tem a dizer sobre isso?

Chapadinha inteira sabe o esforço que temos feito. Pagamos o funcionalismo em dia a 12 anos, coisa que o pai dela (Isamara) não fez. Ele (ex-prefeito Isaías Meneses) deixou salário de 9 meses em atraso. Estamos tocando várias obras, fui a prefeita que mais asfalto colocou em Chapadinha e estamos começando um grande programa de obras com 35 quilômetros de ruas pavimentadas. Eles enfrentaram uma CPI da corrupção, teve intervenção do Ministério Público no setor de Saúde quando a mãe dela era secretária. Toda a tragédia começou quando a Isamara mandava no orçamento do município (era tesoureira) e morava em Brasília. Ai não tinha como ter dinheiro para pagar o funcionalismo. O pai é inelegível por improbidade administrativa. Eu não tenho uma condenação sequer e temos respondido todas as denúncias vazias que eles têm colocado contra mim.

4 – Isamara apontou alguns problemas da sua gestão nas áreas de saúde, educação, infraestrutura e emprego. Qual sua posição sobre esses temas?

A realidade é muito diferente do que ela (Isamara) afirma. Hoje Chapadinha, como maior cidade da região, responde pelo atendimento de mais de 400 mil pessoas e nem por isso temos deixado de fazer a nossa parte no intuito de atender a essa demanda da saúde. Não temos escolas fechadas, estão todas funcionando. Fiz um esforço grandioso juntamente com o deputado Magno Bacelar para trazer a Suzano [Grupo Suzano Energia Renovável que irá instalar uma fábrica de Pellets, fonte de energia renovável, na cidade] o qual irá gerar milhares de novos empregos. E a situação das ruas, já falei antes nesta mesma entrevista.

5 – Quanto ao momento atual da política, qual sua impressão?

No momento estou focada na administração, política e reeleição vem a seu tempo. Lógico que a oposição sempre tenta passar uma versão mais favorável a ela. Agora lhe digo: nosso grupo é muito forte e não temos porque ter receio do processo eleitoral que se aproxima. Principalmente porque acompanhamos a liderança do Dr. Magno que é deputado eleito, no pleno exercício e com toda possibilidade de disputar qualquer eleição, de governador a presidente, porque, assim como a última de deputado não há nada que o impeça de ser candidato como também eu posso naturalmente disputar. Magno é Ficha Limpa e eu também. Muito diferente do ex-prefeito Isaías Meneses, que tanto não pode disputar nada que tem que ficar entre a prima Belezinha e a filha Isamara.

6 – A senhora e o deputado Magno estão por trás dos ataques do vereador Émerson Aguiar a Belezinha?

Absolutamente não. O problema que o vereador Émerson tem com alguém de sua vida privada não tem nada a ver com política. Quando souber quem será a adversária do nosso grupo posso falar algo que tenha importância, mas problemas pessoais nunca. Agora o que a Isamara e a família dela já me insultaram em palanques é uma coisa absurda. Poucas pessoas no mundo passaram por tentativa de destruição moral como eu passei em 2008, mas Chapadinha é testemunha disso tudo.

7 – Isamara acusa seu grupo político de fazer campanha de baixo nível? A senhora concorda com essa atribuição?

Uma ironia. A política de Chapadinha era respeitosa até 1988 quando o senhor Isaías Meneses, então empresário rico revolveu entrar na disputa e desde então fez péssimas administrações. Acabou falindo, quebrando total. Hoje as pessoas se perguntam do que ele vive, não tem empresa e nem profissão, assim como a filha. Em 1988 a primeira vítima deles foi o médico e ex-deputado Sebastião Pinheiro, e o alvo da primeira campanha de difamação foi a ex-esposa dele, falecida recentemente. De lá para cá, o que se viu foi ele, o senhor Isaías, xingar, puxar revólver, ameaçar. E ainda tem o filho Marcelo (Meneses, vereador, um dos críticos mais contumazes da prefeita Danúbia e do deputado Magno) que foi condenado por agredir covardemente um advogado, o Dr. Delmar Júnior que não concordava com os desmandos do seu pai. A desfaçatez é tamanha de uma família que difama e trata a divergência com agressão e agora vem falar em campanha de alto nível. Ora, até o padre da cidade, seu Manuel Neves eles caluniariam e tentaram espancar em praça pública. Uma vergonha. Só o que me resta dizer.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

5 respostas para “Danúbia ‘descatita’ Isamara e Isaías: “o pai é inelegível e a filha nunca se elegeu a nada””

  1. Olá, John Cutrim, parabéns por esta publicação, estou aproveitando a oportunidade de comentar aqui para apresentar a revista do Maranhão sob uma ótica alternativa, interativa e vibrante, de conteúdo informativo, de opinião com foco em política e temas gerais, através de nossos autores reproduzimos e trazemos comentários, artigos considerados relevantes sobre a política e a assuntos que tem alguma vinculação com a região, com a vida em sociedade. Qualquer dúvida aqui vai o link: http://www.maranhencidades.com.br

  2. chico viana disse:

    John:
    Eis meu artigo de hoje, sexta.
    Como sempre, meus agradecimentos.
    Um abraço

    Chico Viana

    OS INIMPUTÁVEIS

    O governo da instituiu na semana passada por meio de uma lei , o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo, um conjunto de regras e princípios que regulamenta estas as medidas para adolescentes infratores.

    Uma das inovações, que causou mais polêmicas foi a que permitiu a adolescente internado à visita íntima, desde que ele comprove união estável, ou seja casado.

    O foco do debate, porém sempre é a maioridade penal, quando o adolescente, ou menor infrator, ou em conflito com a lei, sem eufemismos, aquele que cometeu um crime, deve ter responsabilidade penal, ou a plena responsabilidade por atos criminais.

    No Brasil, só são imputáveis penalmente, maiores de 18 anos de idade, até lá, os crimes praticados por menores de 18 anos são legalmente chamados de “atos infracionais”e seus praticantes de “adolescentes em conflito com a lei”, ou de “menores infratores”. As penalidades previstas são chamadas de “medidas socioeducativas” e se restringem apenas a adolescentes, pessoas com idade compreendida entre 12 anos de idade completos e 18 anos de idade incompletos. Todavia, a medida socioeducativa de internação poderá ser excepcionalmente aplicada ao jovem de até 21 anos, caso tenha cometido o ato aos 17 anos. O ECA estabelece, em seu artigo 121, § 3º, quanto ao adolescente em conflito com a lei, que “em nenhuma hipótese o período máximo de internação excederá a três anos”, por cada ato infracional grave. Após esse período, ele passará ao sistema de liberdade assistida ou semi-liberdade, podendo retornar ao regime fechado no caso de mau-comportamento.

    Entenda-e por inimputabilidade a condição ou qualidade que possui o agente de sofrer a aplicação de pena. E, por sua vez, só sofrerá pena aquele que tinha, ao tempo da ação, ou da omissão. capacidade de compreensão e de autodeterminação frente o fato. Em palavras de leigo, aquele que na idade que resolveu matar, estuprar, furtar, roubar sabia que estava fazendo uma coisa errada, e que por tal poderia ser punido.

    Aí entra a correlação com a permissão oficial do inimputável por idade receber visitas íntimas, se tiver mais de 18 anos, e mantiver uma união estável.Ser, podemos afirmar, um chefe de família.

    Ora, se o cidadão pode casar, ou se unir, ter filhos, e com eles a responsabilidade da educação e da manutenção como qualquer pai de família independente da idade, como é que ele, vamos supor aos 16, 17 anos, pode não aquilatar que o roubo, o estupro, o assassinato, etc..não são atos errados e contra a lei?

    Estarão errados, países mais civilizados, e politicamente muito mais avançados que o nosso, em estabelecer limites menores de responsabilidade para que o cidadão responda pelos seus crimes?

    Nos Estados Unidos, nossa grande referência, a maioridade penal varia conforme a legislação estadual. Apenas 13 estados fixaram uma idade mínima legal, a qual varia entre 6 e 12 anos.

    Na maioria dos demais estados, crianças abaixo de 7 anos não podem ser julgadas[ (ou seja, há uma inimputabilidade absoluta); adolescentes a partir dos 14 anos são julgados como adultos e jovens entre 7 e 14 anos podem, ou não ser considerados plenamente responsáveis por seus atos conforme uma análise individual de cada caso (inimputabilidade relativa).

    A maioridade penal é fixada na França aos 13 anos, porém os jovens entre 13 e 16 anos, mesmo sendo penalmente imputáveis, podem ser condenados a penas correspondentes, no máximo, à metade da pena prevista no Código Penal Francês para um adulto que pratique o mesmo crime. Entre 16 e 18 anos, as penas poderão ser equivalentes às dos adultos. A partir dos 13 anos, o menor pode ser encarcerado. As infrações são divididas em 3 categorias em função de sua gravidade: as contravenções, os delitos e os crimes (homicídios, estupros etc). Na Inglaterra e na Suiça já aos sete anos o menor está apto a receber medida correicional, a partir daí lhe podem ser aplicadas medida de segurança; Dinamarca, Noruega, Suécia e Finlândia, a maioridade penal é fixada aos 15 anos, Itália e Rússia, 14; na China já partir dos 14 anos, pode ser condenado à prisão perpétua.No total 40% dos países no mundo tem maioridade penal abaixo dos 16 anos.

    A questão é delicada,controversa e peculiar.

    Por que nos Estados Unidos depois que se aplicou a maioridade penal aos sete anos, os crimes de adolescentes triplicaram? Recolher o menor para incutir-lhe medida socioeducativas, em instituições obsoletas, desestruturadas, ineficientes e insuficientes, tem surtido um efeito contrário. No Rio Grande do Sul, matéria do jornal “Zero Hora” de terça, 22/01, dava conta que, em um seguimento de 10 anos, 135 dos 162 internos em instituições ressocializadoras, já haviam tido 340 entradas em prisões por suspeita de cometer crimes. Somando os julgados e condenados tinham 1,5 mil anos de detenção. Isso demonstra a utopia da ressocialização.

    Do mesmo modo, diminuindo a maioridade penal, acrescentar-se ia hoje cerca de 110 mil jovens ao sistema carcerário que já tem uma deficiência de 147.000 vagas. Iriam transformá-los em quê?

    Não há soluções simplistas, ou posições que não sejam questionadas com bons argumentos de ambos os lados.

    Aceitar que uma adolescente já a partir dos 14 anos, no mínimo, não seja consciente do dano que causa quando pratica um crime e tenha plena compreensão de suas conseqüências, é inadmissível. Sabem o que estão fazendo, e o fazem com plena consciência dos danos que causam e das conseqüências a que estão sujeitos. Tem plena responsabilidade penal.

    Por outro lado, há que se ter em conta que, em qualquer lugar que se lhe prive a liberdade, ou em função de medidas socioeducativas, ou de sentença judicial em estabelecimentos penais, em nada repercute na recuperação do criminoso, ou delinqüente, pelo contrário, lá se aperfeiçoam nos métodos e técnicas da marginalidade.

    Como já foi tocado, existem no Brasil 470 mil detentos, para um total de 300 mil vagas, 170 mil sobram, mas estão dentro, imaginem como. Esta promiscuidade é um terreno fértil para que medre todos os tipos de deformações morais, e aprimoramento criminal, mas felizmente não é a única, e nem deve ser a mais importante.Nos presídios de segurança máxima, projetados com todos os requisitos de segurança, de conforto,impecável estrutura de ressocialização ( serviços de enfermagem, psicologia, serviço social, pedagogia, terapia ocupacional, farmácia, odontologia e medicina) , onde um condenado custa R$ 39.744, por ano, e não há superlotação, o grau de recuperação é também é ínfimo.

    A única via que sobra e que nos pode oferecer uma réstia de esperança, é a prevenção, mas esta esbarra em óbices mais difíceis ainda. Passa pela família, políticas sociais agressivas, que visem com prioridade a família e a educação do jovem.

    É bom lembrar que, enquanto não se resolve o problema, o tempo é medido por vítimas, estas, com certeza, as únicas absolutamente inimputáveis pelos crimes que sofrem.

  3. Abmael Nacimento disse:

    Jonh Cutrim, eu tou pasmo com essa entrevista… MEU DEUS… Será que esse casal Bonnie e Clayde não tem vergonha não? Tanta lorota… O povo de Chapadinha tá clamando socorro. A saúde, a educação, a segurança, a infraestrutura urbana faz vergonha as pessoas que visistam nossa cidade… Daúbia, crie vergonha e vá trabalhar

  4. Pontes disse:

    Como Chapadinha tá famosa!
    A prefeita critica muito a familia do seu Isaias Fortes, mas se esquece q foi o proprio Isaias q ajudou a salvar a vida do seu pai. Hoje ela retribui falando mal do cara. Vejam o que o poder faz com as pessoas. A prefeita disse q Isamara nunca foi eleita a nada… e ela? foi eleita a quê? Suplente de deputado no momento é o sr. dr. Magno Bacelar.Amigos quer conhecer o carater de alguém, dê poder a ele.

  5. Charles Bacellar disse:

    Peço que veja nesse link do Blog do Dep. Gastão Vieira que fala sobre as piores escolas do Maranhão e destaca o colégio FAC – Francisco de Almeida Carneiro ( Pai da Danúbia ) como um dos piores do Maranhão.
    http://colunas.imirante.com/platb/gastaovieira/2008/04/07/enem-sai-o-ranking-das-escolas-do-ma/
    “Já as duas escolas que tiraram as menores notas no Enem em São Luís foram o Centro de Ensino São Cristóvão, anexo São Bernardo, e Centro de Ensino Maria do Socorro Almeida, anexo João de Deus. E, na rede privada, as escolas com as menores notas foram o Colégio Francisco de Almeida Carneiro, em Chapadinha, o Colégio Leonel Amorim, em Itapecuru-Mirim, e o Centro de Ensino Novo Milênio, em Balsas.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens