Fechar
Buscar no Site

Cutrim diz que Aluísio é um agente da PF que “nunca trabalhou e que teve prisão preventiva requerida por traição”

Agência Assembleia

Com um contundente discurso na tribuna, o deputado Raimundo Cutrim (PSD) voltou a afirmar categoricamente, na tarde desta segunda-feira (20), que não tem nenhum envolvimento com suposto esquema de grilagem de terras e muito menos com a morte do jornalista Décio Sá, assassinado a tiros, em São Luís, na noite de 23 de abril passado, em um bar localizado na Avenida Litorânea.

Utilizando todo o espaço do grande expediente, o deputado fez um extenso pronunciamento, dizendo que coisas estranhas estão acontecendo nos bastidores e, especialmente, na cúpula do Sistema de Segurança Pública do Estado, como parte de uma “campanha covarde e insidiosa” deflagrada com o intuito de desmoralizá-lo por completo na vida pública do Maranhão.

“Sempre achei que o maior patrimônio da pessoa, porque assim fui criado, é o nome, é a honradez, e eu sempre prezei o meu nome. Tenho um trabalho prestado no Brasil e no Maranhão. E o que estão tentando fazer comigo? Eu preferia que tirassem a minha vida a esse atentado ao meu nome e à minha honradez”, declarou Cutrim na tribuna.

Visivelmente emocionado, o deputado disse que só tem a lamentar os fatos estranhos que, segundo ele, estão ocorrendo no Sistema de Segurança Pública do Estado. Ao fazer sua defesa, Cutrim voltou a acusar o secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, como o maior interessado em destruir a sua reputação como profissional e como parlamentar da Assembleia Legislativa do Maranhão.

“Todas estas orquestrações para me atingir estão sendo capitaneadas pelo secretário atual, o Aluísio, e seguidas por boa parte da imprensa, que é insidiosa. Mas quem é Aluísio? Aluísio é um agente da Polícia Federal que nunca trabalhou. Passou no concurso e foi para o Amapá, ficando sempre à disposição de gabinetes, de gabinetes em gabinetes, não sendo, portanto, um verdadeiro policial federal. Teve inclusive a sua prisão preventiva requerida pela Polícia Federal por traição à instituição”, afirmou Cutrim.

Ele foi enfático ao dizer que está sendo vítima de perseguições e de uma campanha insidiosa tramada para desviar a atenção da opinião pública. “O secretário Aluísio quer tirar o foco do grave problema da falência do Sistema de Segurança Pública no nosso Estado, criando fatos em vez de trabalhar pelo bem do nosso Estado. Mas eu não vou calar, vou continuar denunciando o descaso em que se encontra e como tratam o Sistema de Segurança Pública”, acentuou.

O deputado Raimundo Cutrim disse que teve informações de um acordo feito pela polícia com o pistoleiro Jhonatan de Sousa Silva, assassino confesso do jornalista Décio Sá.

“Na quinta-feira dia 14 de junho um delegado da Comissão da Investigação e o agente fizeram uma visita ao preso Jhonatan nas dependências da Polícia Federal, levaram meus amigos, e vejam bem levaram uma escova de dentes, um creme dental e dois livros. Pelo que estou sabendo, dois delegados da comissão fizeram um acordo com Jhonatan com a conivência do atual secretário, e isso é gravíssimo, é um assassino confesso para citar o meu nome como mandante em troca de um parente, salvo engano, primo do Jhonatan, que está hoje está preso, na Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos. Ele não seria indiciado no crime do Décio. Não sei se o acordo foi cumprido, mas isso é muito grave e custei acreditar que delegados formados na Academia de Polícia Federal, na minha gestão, em 98, participassem de uma armação de tamanha injustiça”, disse o deputado.

Em seu pronunciamento, Raimundo Cutrim frisou ainda que está acompanhando de perto, passo a passo, todo o andamento dos processos em que supostamente estaria implicado. “Passei minha vida toda foi trabalhando, prendendo bandido, pistoleiro, uma vida toda. Eu tinha uma vida toda na Policia Federal, eu não tenho sequer uma repreensão. A minha ficha só tem elogios. Serviço prestado não só no Maranhão, ao Brasil todo, eu fui o delegado que mais trabalhou nessa área de crime organizado, em combate ao crime no Brasil, na minha época”, argumentou.

O deputado foi ainda mais enfático dizendo que não deve nada a ninguém e que voltará em outras oportunidades à tribuna da Assembleia Legislativa para não deixar nenhuma sombra de dúvidas sobre sua pessoa. Ao encerrar seu discurso, fez um apelo para que a imprensa tenha mais cuidado em tudo aquilo que está sendo publicado sobre estes casos.

“É preciso ter respeito com as pessoas. A imprensa, antes de publicar, precisa ter profissionalismo; vamos trabalhar com honradez, vamos investigar os fatos para que se possa levar até a sociedade a verdade. Não vamos querer acabar com uma reputação, não vamos deixar uma pessoa morto-vivo, desmoralizado porque A ou B quer. Eu não aceito isso”, enfatizou o deputado.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

6 respostas para “Cutrim diz que Aluísio é um agente da PF que “nunca trabalhou e que teve prisão preventiva requerida por traição””

  1. Antonio Lima disse:

    Se é verdade que a polícia faz acordo com bandido para obter informações, incriminar pessoas inocentes e elucidar crimes, conforme denuncia o Deputado, é algo gravíssimo que as autoridades precisam tomar providências enérgicas e urgentes para corrigir essa falha inaceitável e vergonhosa, que macula a imagem da instituição e de todos aqueles que agem dentro da lei, fazendo aquilo que se espera das forças de segurança, que é o combate à criminalidade, a prisão dos bandido e apresentação dos mesmos para a justiça acompanhado de um processo com provas irrefutáveis capazes de garantir a punição dos culpados.

  2. pericles disse:

    Quem vazava informações sobre as investigações que a PF fazia sobre o Fernandinho Beiramar Sarney da Bosta era o Aluisio, dai o motivo para a PF querer fude-lo por alta traição.

  3. Cintia disse:

    Se for verdade o que o deputado comentou, não é de se estranhar, o Aluisio vem de onde? Qual a família de seu convívio? Deputado Cutrim, eu não lhe conheço pessoalmente mas tenho nojo do que estão fazendo com o senhor. A sociedade não aguenta mais e como a polícia está perdida….sem foco…ou melhor, buscou o senhor para ser queimado. Pode ser que não seja, mas creio que querem acabar com sua imagem porque “eles” não aceitam a verdade, e a verdade é que fazem de tudo para continuar no poder. Dep. Cutrim, quantos anos o senhor passou nessa gestão? O senhor foi aprender da pior maneira possivel que “eles” são assim, a sociedade sabe disso, sente isso: “traição”. Estão querendo lhe queimar e vão insistir, tudo por conta do poder e de cargos.
    Tenha cuidado com o senhor e com a sua vida.

  4. ANTONIO CRUZ E SOUZA disse:

    ENQUANTO ISSO NO MARANHÃO. EM TODO MARANHÃO. OS BANDIDOS AGRADECEM PELA FALTA DE SEGURANÇA PÚBLICA NO ESTADO. BRIGUINHAS DE COMADRES DE COZINHA DEIXA A COMIDA QUEIMAR. Ô ESTADO SEM GOVERNO!!!! MEU DEUS.

  5. VIRGULINO ( LAMPIAO) disse:

    um sujo falando do mal lavado!!!

  6. isarel pereira disse:

    se fosse da oposiçao era um prato feito pra mirante…..mais como eles sao do grupo sarney ninguem fala nada…………

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens