Fechar
Buscar no Site

Com Renan e Sarney solidários, Demóstenes tenta retomar rotina

Para outros senadores, presença do colega sob investigação tornou-se constrangedora

De o O Globo

BRASÍLIA. Aos poucos, o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) abandona a reclusão a que se impõs depois que veio à tona sua relação com o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Mas seu humor ainda passa por altos e baixos. Desde que começou, em 23 de março, a divulgação das gravações feitas pela Polícia Federal de suas conversas telefônicas com o bicheiro, o senador, cuja autoconfiança beirava a arrogância, deu lugar a uma pessoa extremamente abatida e arredia, de acordo com relatos de quem teve contato com ele nessa fase.

O Senador Demóstenes Torres, (sem partido-GO), ex-líder do DEM, no Plenário do Senado

No momento em que estava se reerguendo e já havia tomado a decisão de voltar à rotina no Senado, sofreu novo baque, no sábado passado (14), com o aparecimento do irmão, o procurador-geral de Justiça de Goiás, Benedito Torres Filho, no escândalo.

No Senado, onde enfrenta processo no Conselho de Ética que pode resultar na cassação de seu mandato, a maior solidariedade tem vindo, ironicamente, dos que já foram vítimas de sua verve inflamada: o líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), e o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). O próprio Demóstenes espera uma revanche.

— Eu fui tão sacana com você e você está sendo tão legal comigo — disse Demóstenes para Renan, em conversa recente, referindo-se ao processo de cassação enfrentado pelo peemedebista em 2007, quando foi acusado de ter despesas pessoais pagas por uma empreiteira.

— Imagina, temos que nos preocupar com a instituição (o Senado) — respondeu Renan, de acordo com pessoas próximas.

Sarney também foi cordial com o colega e o recebeu no gabinete da presidência do Senado há 11 dias. No fim do ano passado, os dois protagonizaram um bate-boca em plenário, quando Demóstenes, de forma agressiva, questionou a condução da sessão e Sarney partiu para cima dele, com dedo em riste. Depois, Demóstenes pediu desculpas a Sarney.

Demóstenes contou a terceiros que o presidente do Senado o recebeu bem e foi gentil, contrariando suas expectativas Após o encontro, Sarney afirmou que ele foi dizer que não ia renunciar ao mandato e que é inocente. E nenhuma opinião emitiu sobre as suspeitas que pesam sobre o antigo desafeto.

O senador, que é procurador de Justiça, tem reuniões diárias com a equipe que o ajuda a construir sua defesa. Durante o dia, os encontros são no escritório do advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay. À noite, ocorrem no apartamento funcional de Demóstenes.

No dia a dia, depois de registrar presença em plenário, cumprimentar os colegas e enfrentar o cerco da imprensa, Demóstenes tem ficado de duas a três horas em seu gabinete. Ele tem mantido as viagens para Goiânia, onde mora sua mulher, às sextas-feiras, retornando a Brasília às segundas ou terças pela manhã, como fazia antes.

O senador tem se mostrado pesaroso com a desconstrução de sua imagem de defensor da ética. Ao se deparar com um visitante contemplando as charges e caricaturas que enfeitam a parede de seu gabinete no Senado, nas quais ele aparece como um paladino da moralidade, Demóstenes o interrompeu:

— Isso acabou, esse Demóstenes não existe mais.

Na semana passada, imprimindo uma nova rotina, Demóstenes ligou para todos os senadores colocando-se à disposição para prestar esclarecimentos, independentemente da defesa prévia que apresentará nesta quarta-feira no Conselho de Ética. Nas duas últimas semanas, ele fez três aparições públicas: uma em reunião do Conselho de Ética e duas no plenário do Senado, durante a sessão.

A presença de Demóstenes provoca reações diversas nos demais senadores. Alguns, como o líder do PT, Walter Pinheiro (BA), ficam irritados com sua aparente desenvoltura. Há quem reaja com naturalidade, mas outros dizem ficar extremamente constrangidos. O grupo dos éticos, que tinha Demóstenes como expoente, se sentiu traído pela dupla militância do goiano.

Foram justamente os senadores Pedro Taques (PDT-DF) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), do grupo dos éticos, que convenceram Demóstenes a subir à tribuna, no dia 6 de março, para explicar a cozinha que ganhara de presente de casamento de Cachoeira, e que se revelou apenas a ponta do iceberg.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

3 respostas para “Com Renan e Sarney solidários, Demóstenes tenta retomar rotina”

  1. Inácio Augusto de Almeida disse:

    Na passeata da Av Paulista contra a corrupção:
    “Entre os alvos de crítica dos manifestantes, estavam o presidente do Senado, José Sarney; o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu; o senador Demóstenes Torres e os deputados federais Paulo Maluf e Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca. “O povo aprovou, o povo decidiu: ou para a roubalheira ou paramos o Brasil”, era o grito dos que protestavam.”
    ////
    A matéria completa está na revista VEJA.

  2. VIRGULINO ( LAMPIAO) disse:

    SENADORES CONSTRANGIDOS COM O SENADOR DEMOSTENES?

    QUEM TA CONTRANIDO SOMOS NOS BRASILEIROS E MARANHENSES!!!

    NOS ESTAMOS CONSTRANGIDOS DE DIZER QUE SOMOS MARANHENSES, NOS ESTAMOS CONSTRANGIDOS DE DIZERMOS QUE TEMOS ORGULHO DE SER BRASILEIROS!!!
    ESSES “POLITICOS” DEBVERIAM ERA IR PARA CADEIA!!!
    KD O LAMBE C… DO LIMA?
    VEM DEFENDER AQUI SEU ALOPRADO…

  3. Bin Alado disse:

    Quem esperava um senador cabisbaixo se lascou com a postura do Senador Demóstenes… Ele agora está mais forte do que nunca. Agora só falta a blindagem da Presidenta. Se seus desafetos mais contumazes _Sarney Renan e Barbalho- lhe renderam solidariedade, agora cabe ao Congresso engavetar tudo e dar o dito pelo não dito que é melhor para a imagem desse já combalido Senado da República.se o Senado está assim, se o “Supremo Judiciário desta Nação” tem lá as suas mazelas, o que diria Ruy Barbosa e Jefferson Peres?Se em Brasília , o centro do poder está assim bostificada , o que não dizer de nosso estado e de nossos municípios?Quem assistiu a passeata anticorrupção em São Paulo ser tratada como ato de subversão, o que não dizer , da “Egrégia Corte de Justiça”, quando dois de seus mais proeminentes juízes fazem acusações mútuas? Agora, quero me retratar ao ter concordado com o “Senador Pedro Simon” quando afirma que o Seu colega e presidente do senado, corre o risco de ser esquecido pela história! Agora acabo de discordar do Velho Timoneiro de longas batalhas: Sarney sempre será lembrado como um paladino do perdão, principalmente àqueles que tem suas vidas públicas sobrecarregadas de sortilégios. Ser solidário a Demóstenes (se é que isso aconteceu) acrescenta mais um capítulo na já conturbada biografia de um homem que goza de tanto poder e prestígio aqui e alem mar!_que deus tenha pena de nós, pobres e desprovidos mortais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens