Fechar
Buscar no Site

Bira afirma que volta da pistolagem no Maranhão é motivada pela impunidade

A volta da pistolagem ao Maranhão foi o principal tema dos debates da Assembleia Legislativa, na manhã desta terça-feira (24). Os assassinatos dos quilombolas Flaviano Pinto, em 2011 e Raimundo “Cabeça”, no último dia (14), e agora a execução do jornalista Décio Sá confirmam a insegurança total do MA.

Na sessão plenária desta segunda-feira (23) o presidente da Comissão de Direitos Humanos da ALEMA, deputado estadual Bira do Pindaré (PT), solicitou a realização de uma audiência pública justamente para tratar da pistolagem no MA.


O parlamentar elencou a série de crimes contra a vida que vem aterrorizando toda sociedade maranhense. “A Pistolagem vem vitimando lideranças, camponeses, como foi o caso do povoado Charco, em São Vicente de Ferrer, no final de 2010, a poucos dias, menos de 15 dias, do líder camponês Raimundo Cabeça, no município de Buriticupu, e agora o jornalista Décio Sá”, denunciou.

Todos os casos estão relacionados e revelam a insegurança e a falta de políticas públicas para a área de segurança no estado. De acordo com Bira os crimes no interior do Maranhão e o assassinato do jornalista Décio Sá em plena Avenida Litorânea, em São Luís, são provas cabais da fragilidade do nosso sistema de segurança.

O petista revelou que apesar de nunca ter sido elogiado por Décio Sá, neste momento de dor resta a todos se solidarizar com a família. Ele ainda disse que a sensação de impunidade e a falta de prevenção em relação à segurança pública ajudam a explicar o crime.

“O assassinato do jornalista Décio Sá não pode ficar impune. É preciso que a gente fortaleça o nosso sistema de segurança, pelo menos para inibir, pelo menos nos locais públicos de grande frequência da população as pessoas se sintam, tenham, pelo menos, a sensação de segurança”, protestou Bira.

Eliziane pede acompanhamento do caso

Jornalista de profissão e de paixão, a deputada Eliziane Gama (PPS) lamentou na manhã desta terça-feira (24) a morte do colega Décio Sá, que tinha um dos blogs mais lidos do Maranhão.

A parlamentar se solidarizou com os familiares e amigos do jornalista e pediu que as Comissões de Segurança e de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa acompanhem as investigações sobre o caso.

“Entendo que essa Casa precisa ter um papel preponderante no caso da morte do jornalista Décio Sá. A Comissão de Segurança e a Comissão de Direitos Humanos desta Casa precisam acompanhar a investigação deste crime para evitar que a impunidade aconteça”, solicitou.

A parlamentar esteve na noite da ultima segunda-feira (23) no local do crime. Ela disse que o assassinato do jornalista é uma afronta à liberdade de imprensa e caracteriza-se como crime de encomenda.

“Fomos até a Litorânea, chegamos lá e encontramos vários colegas parlamentares e representantes da política do Maranhão. Vi imagens estarrecedoras, vi coisas que não podemos aceitar. A morte do jornalista Décio Sá é uma agressão à liberdade de expressão no Brasil!”, lamentou.

Eliziane Gama enfatizou a necessidade de combater o crime de pistolagem no Maranhão e citou outros casos como a morte do delegado Stênio Mendonça (1997).

“A morte de Décio Sá é caracterizada como crime de encomendada. Os funcionários do restaurante onde ele estava disseram que o autor dos disparos teve uma ação fria diante da vítima. Não podemos aceitar o retorno do crime de pistolagem no Maranhão”, destacou.

Na tribuna, Eliziane Gama comentou ainda a colocação do Brasil no ranking mundial de morte de profissionais da imprensa. “O Brasil estava na 12ª posição mundial por assassinatos de jornalistas, hoje é 11º no mundo. De 1992 para cá mais de 30 jornalistas foram mortos, e boa parte destas mortes são referentes ao exercício da profissão”, destacou.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

11 respostas para “Bira afirma que volta da pistolagem no Maranhão é motivada pela impunidade”

  1. cristian disse:

    policiaLocalCompartilhe com seus amigosPresos 4 suspeitos do assassinato do jornalista Décio Sá. Um é policialterça, 24 de abril de 2012 • 16:52
    Notícia
    Imprimir
    Reduzir tamanho do textoTamanho normal do textoAumentar tamanho do texto
    Patrulheiros da Polícia Rodoviária Federal prenderam agora há pouco quatro pessoas suspeitas do assassinato do jornalista Décio Sá. Um deles, um policial militar reformado, portando uma pistola `T 940, calibre .40, e 20 munições.

    Segundo o Jornal O Imparcial, de São Luís, “Às 14 horas desta terça-feira (24), a Polícia Rodoviária Federal, ao receber uma denúncia do 190M sobre uma moto que havia sido furtada, dirigiu-se a um desvio que fica por trás do Posto de Pedrinhas, no km 14 da BR 135, utilizado por pessoas que evitam passar por fiscalização.

    Um veículo Corsa Classic, cor branca, placa de São Luís do Maranhão, com película fumê, com a aproximação da viatura, fez uma manobra brusca, o que levou os policiais a abordarem o veículo.

    Nele estavam quatro homens, sendo um deles policial militar reformado, portando uma pistola PT 940, calibre .40, com 20 munições, numeração SCW35191, sem registro, além de R$ 2.446 em dinheiro. A ocorrência está sendo encaminhada para o 12º Distrito Policial, no bairro do Maracanã.

    Eles foram levados para serem interrogados, pois eles são suspeitos de assassinarem o jornalista Décio Sá, na noite desta segunda-feira (23).

  2. Fatalidade disse:

    Uma fatalidade, uma ironia. Ele morreu justamente no melhor governo da vida dela, governo esse que ele defendia com amor:
    Pra que greve de policiais querendo melhor forma de trabalho, se o governo estava tão bom, se a polícia do Maranhão estava tão bem que não precisava reivindicar melhorias na segurança.
    Uma fatalidade, morreu de forma tão trágica, se tivesse melhores condições de segurança no Estado, isso talvez não teria acontecido. E aconteceu no melhor governo da vida dela, governo que ele tanto defendia.

  3. roberto ojuara disse:

    Me desculpa Dutra, mas dessa vez vc errou. Volta da pistolagem? E ela algum dia foi embora?

  4. Marco Antonio Carvalho Diniz disse:

    Ao receber a notícia desse escabroso caso, sentei tontinho – atônico na cama. E pensei… “Ninguém pode desagradar”.

    O “faro fino”, deputado Raimundo Cutrim já havia recomendado cuidados com a (…) qua estava de volta.

    Foram seis tiros certeiros no blogueiro Décio Sá (inimaginável), e um no corpo do ERRANTE GOVERNO ROSEANA, que foi atingido frontalmente/mortalmente num órgão do seu sistema. “Certos” podem dizer que um fato desse é inevitável, porém, só é possível num vácuo de insegurança, igual ao que ocupa o nosso desnudo estado de calamidade. O ocorrido é fungo disso.

    Marco Antonio Carvalho Diniz

  5. Paulo Emílio disse:

    Caro JC, boa noite!

    Estamos todos chocados com o assassinato do Décio, mas o que mais me surpreende é esta estória de que o “crime de pistolagem voltou ao Maranhão”. Há pouco mais de um ano assassinaram nosso amigo Biné (Bar do Biné na Cohab) na frente de dezenas de pessoas e ficou por isso mesmo, o caso foi inclussive denunciado em vários blogs da capital, agora ficam dizendo que o crime de pistolagem voltou, voltou de onde?

    Paulo Emílio

  6. Heloisa disse:

    A pistolagem não está voltando, sempre esteve presente, sobretudo em ano de eleições. A situação politica no Maranhão é tão complicada que está havendo um recrudescimento da pistolagem.

  7. Amim disse:

    É triste, meus sentimentos aos familiares. Gente, o crime organizado voltou….a governadora devia ouvir mais a voz da experiência, do conhecer….É como o Marco Antonio escreveu….”o faro fino do Raimundo Cutrim……”, com todo respeito ao secretário atual .. chega!…..Aluisio o senhor já fez a sua história….saiba ceder a cadeira pra quem conhece esse estado e suas complexidades…..Governadora, o Décio era indo e voltando em defesa do seu governo….elogiou muito o serviço do atual secretário e foi justamente nesse cenário que lhe faltou SEGURANÇA….e também governo…..Sra Roseana, mude de secretário….as vezes é melhor a gente ceder um pouco o orgulho para poder prosperar…convide o Dep. Cutrim para ocupar essa pasta…..não bata mais nessa tecla de permanecer o Aluisio………..pense nisso.

  8. Carlos disse:

    A grande verdade é q essa segurança pública do estado do maranhão está avacalhada, temos uma sistema de segurança politica, o nosso governo no seu pedestal intocável não tá nem aí pra segurança pública e sim para sua própria satisfação, tantos e tantos crimes hediondos nesse estado teve q morrer assassinado como muitos q já foram e não fizeram nada mais agora foi um defensor desse governo hipócrita q foi vitimado pelo sistema falido, sucateado, q só tem em seus comandos pessoas q são paus mandados desse governo, a própria vítima defendia ………..

  9. Inácio Augusto de Almeida disse:

    Quase todos estes MONTROS que fazem da pistolagem profissão se utilizam de motos para o cometimentos das suas atrocidades.
    A moto oferece a eles as vantagens de não ficar retida em engarrafamentos de trânsito, em semâforos, poder transitar na contramão e em ruas estreitas, ser de mais difícil identificação, etc.
    Moto transportando garupeiro tem que ser parada e feita uma busca de arma RIGOROSA.
    E premiar o policial que fizer apreensão de arma.
    Independente de blitz.Moto circulando com duas pessoas, revista rigorosa.
    Mas dá trabalho…
    Governadora Roseana Sarney, coloque a polícia para trabalhar.
    São Luís não pode ser transformada em um matadouro.

  10. lisa disse:

    A IMPUNIDADE campeia e impera nesse país…………mas cadê os legisladores, que não mudam isso? Cadê o vereador de Paço do Lumiar , cadê o corretor de imóveis??????????? Pelo que parece, a polícia só dá satisfação à população, quando lhe interessa…………Como o vereador e o corretor continuam solto por aí e parece ser de interesse de ALGUÉM, continuam impunes, e a família do empresário sem nenhuma resposta!!!!!!!!!!!!!!!! Nesse caso, a INTELIGÊNCIA da polícia parece estar embotada
    o QI (quociente de inteligência) dessa vez diminuiu!!!!!!!! Por que a Assembleia Legislativa não cobra a solução do caso?????? São 2 pesos e 2 medidas…….todos os crimes devem ser esclarecidos.

  11. Paulo Hartung disse:

    Amiigo John,
    Essa comentarista chamada Lisa deve ser uma loura burra ou uma sequelada
    que não lê Jornais. No caso do Empresario Maggion, a Policia em menos de 72
    horas elucidou o crime e prendeu os executores e os mandantes…E que Soltou?
    ohh sua burralda, Um Desembargador, ou seja a Justiça… vai…. fala mal da Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens