Fechar
Buscar no Site

Adiamento da refinaria Premium do Maranhão: o contribuinte vai pagar a conta

O Plano de Negócios (PN) 2012-2016 da Petrobras, divulgado oficialmente em 25/06/12, jogou não um balde de água fria mas, sim, um gigantesco iceberg sobre a construção das refinarias Premium I (MA), Premium II (CE) e o 2º Trem do Comperj (RJ), fato esse que trará graves prejuízos à economia nacional. De acordo com o PN 2012-2016, págs. 76/89, as refinarias citadas mais acima são “Projetos em avaliação e não serão concluídos antes de 2017”.

Prossegue o PN: “Nenhuma nova refinaria será implantada até que tenhamos confiança de atingir menor Capex e retorno adequado (alinhamento às métricas internacionais)”. Segundo o PN, entrarão em operação somente as seguintes unidades (págs. 79/89): a) Refinaria do Nordeste (Rnest, PE), o 1º e 2º Trem, em 11/2014 e 05/2015, respectivamente, com capacidade total de refino de 230 mil barris/dia; e b) Comperj: no PN não consta a data de entrada do 1º Trem, nem a quantidade de refino do mesmo.

Causou-me uma tremenda surpresa tal decisão, visto que essas refinarias são extremamente necessárias para o desenvolvimento do país, pois vão ajudar no superávit da balança comercial, haverá geração de empregos e renda, além de desenvolver as macrorregiões onde serão instaladas.

Ademais, essas obras foram prometidas à exaustão nos Fatos Relevantes e por dirigentes da Petrobras, e, é claro, nos discursos oficiais dos palanques eleitoreiros do ex-presidente Lula, do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e pela então ministra-chefe da Casa Civil e hoje presidente da República, Dilma Rousseff. Pergunto: qual o juízo de valor que a população vai fazer a respeito da palavra empenhada e não cumprida das autoridades?

Se essas refinarias que foram adiadas sine die fossem construídas, até 2020 teríamos uma capacidade de refino da ordem de 3,180 milhões de barris/dia, assim distribuídos: 1) 1,900 milhão b/d, capacidade atualmente instalada (média de 2012); 2) 230 mil b/d, Rnest; 3) 600 mil b/d, Premium I; 4) 300 mil b/d, Premium II; e 5) 150 mil b/d, Comperj. Com esse panorama, praticamente alcançaríamos a autossuficiência em refino, evitando assim o gasto de bilhões de dólares com importações de derivados, como detalhado a continuação.

De acordo com o PN 2012-2016 (pags. 21/89), foram aprovados investimentos da ordem de US$ 236,5 bilhões, sendo que a área de Exploração e Produção (E&P) ficou com o maior quinhão, US$ 141,8 bilhões (60,%). Para o Refino, Transporte e Comercialização (RTC) foram destinados US$ 65,5 bilhões (27,7%). Nota importante: no PN não foram detalhados os valores e percentuais para cada setor de RTC; portanto, não sabemos quanto será destinado individualmente para cada item. Os demais US$ 29,2 bi (12,3%) foram distribuídos entre outros cinco setores.

Após analisar os números do PN, a conclusão clara e cristalina é que o governo federal, principal acionista e controlador da Petrobras, como resultado de uma medida totalmente equivocada, deixou de lado o refino e deu prioridade à E&P para colocar a estatal como grande produtora e exportadora da commodity petróleo e continuar importando derivados, mais caros. A importância do refino, pelo visto, foi lacrada junto com os vários documentos no chamado “baú da recordação”, quando do lançamento da pedra fundamental da Premium I, na cidade de Bacabeira (MA) em 15/01/2010 (o dito baú foi lacrado e enterrado junto com a pedra fundamental, para ser aberto somente quando da inauguração da refinaria).

Há mais um detalhe que agrava ainda mais a situação. Tendo em vista que foram adiadas as refinarias que poderiam processar o petróleo pesado (nossa maior produção), teremos que continuar exportando cada vez mais esse tipo de petróleo, mais barato (US$ 106,27/b), e importando petróleo leve, mais caro (US$ 124,78/b). Como é sabido, as nossas refinarias existentes foram construídas para processar o petróleo leve e, não obstante as várias reformas e ampliações, chegaram ao limite de sua capacidade, como é claramente admitido pela Petrobras. Do jeito que está planejado, continuaremos por muitos anos (ou décadas) mais a gastar bilhões e bilhões de dólares na importação de derivados e petróleo leve e, o contribuinte, como sempre, pagará a conta dessa insensatez.

Alguma dúvida? Analisemos os números dos derivados entre janeiro e maio do ano em curso (www.anp.gov.br). Exportamos 41,560 milhões de barris (mb) para o qual tivemos uma receita de US$ 4,953 bilhões (US$ 119,19/b). Por outro lado, importamos 76,680 mb, pelos quais pagamos US$ 8,5 bilhões (US$ 110,84/b).

Resultado dessa transação: US$ 3,545 bilhões de déficit na conta derivados que, se seguir nessa toada, chegará a US$ 8,509 bilhões até o fim de 2012. Somando o superávit da conta petróleo (US$ 3,546 bilhões), temos um saldo de US$ 672.688.

Sejamos objetivos. Somando o déficit da conta derivados de 2010, 2011 e 2012 (parcial), temos US$ 19,400 bilhões, valor esse suficiente para construir a Premium I. Portanto, não dá para entender a dúvida do governo e da Petrobras em relação ao Capex (para o inglês capital expenditure) e o “retorno adequado”, já que as refinarias adiadas são viáveis e têm retorno seguro.

*Humberto Viana Guimarães, engenheiro civil e consultor, é formado pela Fundação Mineira de Educação e Cultura, com especialização em estruturas de concreto, geração de energia, saneamento e materiais explosivos.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

7 respostas para “Adiamento da refinaria Premium do Maranhão: o contribuinte vai pagar a conta”

  1. LÍDICE AVELAR disse:

    PARA INICIO DE CONVERSA MEU QUERIDO, A REFINARIA DO MARANHÃO VAI SAIR SIM, COMO TODAS AS OUTRAS QUE ESTÃO PREVISTAS. AGORA O QUE ME ADMIRA É VOCE ESTAR TÃO SENTIDO A RESPEITO DESTE ASSUNTO, SIM MEU AMADO , PORQUE VOCE E OUTROS BALAIOS ESTAVAM O TEMPO TODO TORCENDO PARA QUE A REFINARIA NÃO ACONTECESSE, JOGARAM TANTA ENERGIA NEGATIVA , ESPALHARAM AOS QUATRO VENTOS QUE A REFINARIA ERA SÓ ENROLADA, FIZERAM ATE ENQUETES, DESESTIMULARAM AS PESSOAS (SÓ AS IDIOTAS) A NÃO SE QUALIFICAREM PARA OCUPAREM ALGUM CARGO NELA, E DEPOIS VEM COM ESTE AR SENTIDO COMO SE TIVESSE LAMENTANDO, TIRE ESTA MASCARA JOHN, POIS NINGUEM ESTA ACREDITANDO NESTE SEU PESAR.

  2. lucelia disse:

    Quero só ver quando tu vai deixar de escrever tanta ASNEIRA! o que o contribuinte está pagando agora é campanha de João Castelo. E a cidade coitada, continua esburacada, mal-iluminada, suja , fazendo vergonha a nós maranhenses e aos poucos turistas que chegam para conhece-la. Nem os 400 anos da pobre São Luis, fez o prefeito se conscientizar do estado deploravel em que ela se encontra, ele ta mais preocupado é com sua reeleição. Como diz Boris Casoy – “ISTO É UMA VERGONHA”.

  3. Carlos Eduardo disse:

    As pessoas não conseguem se manter no tema da Refinaria. Elas têm q partir pra disputa Sarneys X Anti-Sarneys. Eu não vi em nenhuma momento o autor citando o governo do estado, falou sim do governo federal. E outra, esse artigo não é de John Cutrim, é do Humberto Viana Guimarães. Pessoas idiotas, ele vem pra esse espaço ler alguma coisa mas já com o discurso formado pra atacar o titular desse blog. É assim que eu vejo o amadurecimento do eleitor maranhense. E isso só me traz tristeza!

  4. José Lucas disse:

    ESSE SIM É UM PROJETO DESSE SEM DEDO VAGABUNDO DESSE LULA E DA OLIGARQUIA QUE O SISTEMA DELES SO ENGANOU O POVO QUE IRIA CHEGAR AKI AGORA TAO VENDO QUE ERA SO PROMESSA DE CAMPANHA!!!!! OQ VAO FALAR AGORA DONA DILMA / ROSENGANA / MURAD.?????????????

  5. saraiva disse:

    Sr.Carlos Eduardo!Coerente seu comentário e,digo mais,muitas são as dúvidas
    que essa REFINARIA venha um dia se tornar realidade. Como você bem
    lembrou,esse artigo é de um especialista e não tem nada a ver com a política ou
    POLITICAGEM local.

  6. Maranhense disse:

    Acanalise feita pelo Sr. Humberto está correto quanto a indicação clara da Petrobras em priorizar E&P, para entregar produto de baixo valor agregado e agradar o governador do Rio de Janeiro, ao invés de acelerar o investimento em Refino, necessidade mercadológica e financeira para a Petrobrás. Devido a isto, o mercado deu o troco: queda de mais de 1 bi no valor das ações.

    Mas o que o Sr. Numerei nao analisa corretamente, vem a ser o fato do anuncio nao citar a refinaria pelo simples fato dela nao estar prevista para antes de 2017. Agora, acreditar que ela estaria pronta neste prazo, só para quem acredita em propaganda política! Mas que as obras irão continuar, não tenham dúvida. Basta ir em Bacabeira e você verá o canteiro de obras em andamento.

  7. Maira Matsui disse:

    Eu quero mais é que essa refinaria saia do papel e comece a funcionar. Afinal o dinheiro investido nessa obra vem do bolso dos brasileiros, de impostos. Não tem essa vara de condão de Roseana ou Lula nem Dilma que fez de repente surgir uma refinaria. Esses elementos só se aproveitam da burrice do povão maranhense para fazer voto em cima de suas obrigações. O que traz essas coisas para o Maranhão ou não é o interesse do capital em ter mais lucros. Agora a ladroagem e o marketing em cima dessas obras é pura má fé dessa raça política nojenta que Deus atolou no Maranhão. E é impossível entrar em qualquer conversa no Maranhão sem polarizar os prós e anti-Sarney pois todos os grandes negócios e negociatas no nosso estado passam pelas mãos dele. Não tem jeito! Ou você é contra ou você é a favor. De qual lado você está?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens