Fechar
Buscar no Site

Adepol divulga carta aberta à sociedade maranhense

GREVE DOS DELEGADOS

O presidente da Associação dos Delegados da Polícia Civil do Maranhão (Adepol-MA), delegado Marconi Chaves Lima, procurou a redação do Jornal Pequeno para tornar pública uma carta aberta à sociedade maranhense, a fim de fazer esclarecimentos sobre a greve da categoria que já dura quase três meses. Segue a íntegra do documento.

“Caríssimos associados e sociedade maranhense,

A Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado vem perante a sociedade maranhense REPUDIAR a forma inconsequente como o agente de polícia federal Aluísio Mendes, hoje secretário de Segurança Pública do Maranhão, vem agindo na condição de interlocutor designado pelo governo Estado do Maranhão para por termo ao movimento grevista iniciado aos 02.06.2011, bem como ESCLARECER a sociedade maranhense sobre a prática reiterada de pseudo propostas e posteriores versões, sendo imperioso a ADEPOL promover o necessário resgate da verdade, fazendo-o pelas razões seguintes:

Paul Joseph Goebbels, ministro das Comunicações de Hitler, é autor da célebre frase: “UMA MENTIRA MIL VEZES DITA, TORNA-SE VERDADE”. O Nazismo foi o primeiro regime na história a criar um Ministério das Comunicações, pela importância que davam à doutrinação ideológica. O sentido da frase é que uma mentira repetida mil vezes começa a ser aceita como verdade, penetra no inconsciente das pessoas, como uma lavagem cerebral.

Mailson da Nóbrega, economista, no artigo “FALÁCIAS E VERDADES”, publicado na revista VEJA, edição de 29.06,2011, lembra a famosa falácia do geocentrismo, cuja tese afirmava que o Sol girava em torno da Terra. A tese foi questionada pelo heliocentrismo (Nicolau Copérnico) que tem o sol como centro do universo, defendida por Galileu Galiley, que teve de se desmentir para não ser queimado vivo pela inquisição.

O referido escritor arremata seu artigo afirmando que “essas e outras falácias dependem, para sobreviver, da desinformação de quem as toma como verdadeiras. E não raramente se nutrem da desonestidade intelectual de quem as propaga”

É desta forma deletéria que hodiernamente a população recebe um bombardeio tal de “informações” que fica difícil discernir entre o que é verdade ou mentira, quem está informando ou desinformando, quem está a serviço da verdade ou da mentira, sendo necessário certo grau de senso crítico, pois a MENTIRA é CONSTRUÍDA com fragmentos de verdade para dar aparência de credibilidade.

O Secretário de Segurança Aluísio Mendes tem apresentado propostas informalmente e, após ser apresentadas imediatamente à Assembléia da Classe, somos surpreendidos com a negativa da proposta, ora como se fosse apresentado de forma diversa, ora como se sequer tinha sido feita, tentando confundir a categoria e bombardeando a população com informações distorcidas (Ranking, Notas, etc…), com o evidente propósito de tentar jogar a população contra os Delegados de Polícia Civil, que pleiteiam seus direitos negados, após longo calvário nas vias administrativas e judicial, sendo compelidos a lançar mão do exercício do direito constitucional de greve, respeitando os regramentos legais e decisões judiciais.

Feito estas considerações preliminares, ressaltamos que desde o início das negociações Aluísio Mendes vem ignorando a pauta de reivindicações e mistificando o pleito apresentado pela categoria, referindo-se a decisões judiciais (URV) e cumprimento de acordo realizado em 2009 (horas extras), que deveria ter sido incorporado ao subsídio desde janeiro de 2010, como sendo pauta do movimento reivindicatório atual, que foi deflagrado objetivando a melhoria das condições de trabalho para melhor prestação de serviços a sociedade e a recomposição parcial da inflação do período 2009/2010 e 2011, através da extensão do percentual de 10% que foi concedido para o Grupo APC e Sistema Penitenciário.

No dia 11/08/2011 o secretário de Segurança convocou uma reunião com a Diretoria da Adepol, da qual participaram os dirigentes da Polícia Civil, ocasião em que o Titular da Pasta de Segurança propôs que fosse levada à Assembléia Geral da Categoria uma consulta de medida legislativa de iniciativa do Poder Executivo para inserção dos Delegados de Polícia Civil no rol das carreiras jurídicas na Constituição do Estado do Maranhão, ressaltando que seria o ponto de convergência para a suspensão do movimento grevista até aprovação da PEC.

A categoria reunida em Assembléia Geral, no dia 12.08.2011 (sexta feira), aprovou a consulta formulada pelo Secretário de Segurança Pública sobre a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para inserção do cargo de Delegado de Polícia Civil no Rol de Carreiras Jurídicas na Constituição Estadual e criação de comissão para elaboração de novas propostas, sem prejuízo da prometida incorporação das horas-extras ao subsídio a partir de 1º de janeiro de 2012 (Ofício nº 337/2011-GAB/SEPLAN).

Aprofundando a falta de credibilidade, no dia 15/08/2011, a categoria foi novamente surpreendida com a confirmação do descumprimento dos termos da decisão judicial sobre a URV e a NEGATIVA da PEC, esta comunicada autorizadamente na pessoa do Delegado Geral, sendo a proposta da referida PEC substituída pelo anúncio de um museu de velhas novidades e a criação de Comissões não paritárias e sem prazo para conclusão, compostas por representantes da Casa Civil, Seplan, Sefaz e Adepol, presidida pela SSP.

Em razão de mais essa demonstração de “inabilidade”, a categoria reunida em Assembléia Geral no dia 17.08.2011 (quarta-feira) deliberou pela entrega coletiva dos cargos e pela recusa em responder por municípios para os quais não tem a Portaria de Lotação.

Desta forma Deletéria, Aluísio Mendes tem dado tratamento achincalhado com os interesses históricos de inclusão da categoria no rol das carreiras jurídicas, pois retirou a proposta da PEC respectiva, frustrando as expectativas por ele mesmo criadas.

Assim, restou à Adepol peticionar ao Poder Judiciário, que tem função precípua de pacificar a sociedade, para que o Desembargador Relator do Processo nº 15.583/2011, promova audiência de mediação, ocasião em que será tomada a termo a proposta do Estado do Maranhão, dando-se a necessária formalidade e solenidade que o ato processual representa, a fim de que não possa ser desfeita, ou tratada como não dita.

Lembramos que a greve foi deflagrada, em primeira análise, com vista à melhoria das condições de trabalho e devido ao não cumprimento do mandamento constitucional atinente à revisão anual dos vencimentos dos servidores públicos estaduais, assegurado nos termos do Artigo 37, X, da CF/88 e Art. 19, X, da Constituição do Estado e, em última análise, motivado pelo tratamento discriminatório dado à categoria dos delegados de Polícia Civil em relação aos demais integrantes do Grupo APC e Sistema Penitenciário.

Diante de tudo o quanto até aqui se expendeu, REPUDIAMOS veementemente a postura intransigente e deletéria do Secretário Aluísio Mendes, incompatível com a conduta de um gestor de uma pasta estratégica como a de Segurança Pública, que prejudica a sociedade maranhense e afronta em sobremaneira os interesses históricos dos delegados de Polícia Civil do Estado do Maranhão, sendo o secretário de Segurança o único responsável pela fomentação e continuidade da greve que já se avizinha dos 90 dias de duração.

Por oportuno, solicitamos a compreensão da população maranhense por eventuais transtornos, aos quais nos prontificamos solucionar prontamente; ao tempo que ratificamos o pedido de sensibilidade do governo do Estado e apoio da classe política, pois em primeira e última análise repercutirão na melhoria na prestação de serviço à sociedade.

Respeitosamente,

Marconi Chaves Lima
Presidente da Adepol-MA”

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

7 respostas para “Adepol divulga carta aberta à sociedade maranhense”

  1. FABIO WILIAM disse:

    IMAGINA SE ESSE NÃO FOSSE O “MELHOR GOVERNO DA VIDA DELA”…
    MEU DEUS QUE GOVERNO É ESSE DA DONA ROSENGANA , ATÉ QUANDO IREMOS FICAR PASSIVOS A SITUAÇÕES COMO ESSA ??
    UM GOVERNO INOPERANTE COM UMA VIOLÊNCIA INFERNAL EM TODO MARANHÃO , ACORDA ROSENGANA OU TIRA PRA FORA !!

  2. Reinaldo Matos disse:

    Boa tarde!
    Como está ficando dificil informar a sociedade sobre as manifestação de trabalhadores através da midia, depois os movimento radicalizam e a midia abre espaço para colocar a sociedade contra o movimentos. Os delegados estão em greve e nada se divulga. No Instituto Federal do Maranhão IFMA, de 18 campi 7 estão em greve, com manifestação diariamente nos campi e nehuma divulgação na mídia, apesar do envio constante de mensagem e de mais de dez mil aluno em todo Maranhão estrem sem aula.
    No dia 31/08 estará havendo uma grande manifestação em frente ao campus Monte Castelo (onde também funciona a reitoria), talvez assim a midia der a importancia que o movimento requer.

  3. pedro rodrigues da silva disse:

    John.
    Eu já manisfestei aidéia de que todos reivindicam os seu direitos junto ao melhor governo da nossa vida se unam e saiam dos seus projetos pessais etransformem seus movimentos reivindicat´rios emumabandeira só junto com mvimentos sociais, entidades de clase, enfim todos que se setem atingidos pela indiferençao destes pulhas que estão no poder, todas as classes juntas deixarão este desgoverno em polorosa umam-se ajedem-se uns aos outros.

  4. João Leonardo Maia disse:

    Caro Jonh,
    Deveria ser Carta Aberta dos DESESPERADOS, a sociedade Maranhense.
    Fica aqui evidenciado a agonia de uma representatividade minima da categoria dos
    Delegados de Policia civil.
    Notadamente fica evidenciado que um grupelho de Delegados, visando atingir não só ao Secretario, mais ao Governo do Estado, tenta no desespero com notas em cima de notas, jogar a sociedade Maranhense contra as autoridades consitituidas.
    ENTRARAM EM GREVE E NÃO SABEM COMO SAIR.. agora querem apoio do Povo.
    O Sr. Marconi Chaves ta até parecendo o ditador Kadafi implorando aos Maranhenses apaio a uma causa perdida. Talvez se tivesse ouvido os conselhos dos mais sensatos, não teria embarcado nessa barca furada.
    Grato.
    J. Leonardo.

  5. Claudio mariano disse:

    Caro Jonh,
    “Desta forma deletéria”.. hahahahahah, não precisa dizer mais nada..´
    o texto foi escrito pelo “dotô Portela… sai dessa Marconi, deixa de ser mané.
    será que vc não vê que ta servindo de ESCADA..

  6. Fernando de Paiva neto disse:

    Amigo Jonh,
    Eu sinceramente to preocupado,
    acho que o Agente Federal e Secretario de Segurança
    Aluisio Mendes deve ta morrendo de medo, acho também que ele
    nem vá dormir essa noite preocupado com a nota da Adepol publicada no seu blog e no Jornal.
    Brincadeira essa greve.. coisa de gente que realmente não quer trabalhar.
    Secretario corte o ponto dessa cambada pois se mexer com o bolso logo essa meia duzia preguiçosos vai pedir arrego.

    Pequeno.

  7. BENIGNO disse:

    *JAGUNÇOS DO PODER IMPOSTO, PARA OS QUAIS, A SOCIEDADE REPRESENTA UM IMENSO BIOTÉRIO, CUJA MAIORIA ABSOLUTA, OS INDEFESOS, É COBAIA DELES!
    SERIAM MAIS SENSATOS SE SE DECLARASSEM COMO PERPETRADORES DOS MÉTODOS DE HEINRICH HIMMLER, DO QUE MANIPULADOS PELOS LEGADOS DE JOSEPH GOEBBELS.
    JÁ COMETEM A GRAVÍSSIMA VIOLAÇÃO DE SE IMISCUÍREM NA VIDA PRIVADA DAS PESSOAS.
    SÃO EXÍMIOS NA ARTE DE LEVAR DESGRAÇAS ÀQUELAS CRIATURAS, CUJAS EXISTÊNCIAS, POR SI SÓ, JÁ CONSTITUEM UMA PENALIDADE ETERNA, OS OPRIMIDOS.
    AINDA VIVEM NO SISTEMA GEOCÊNTRICO, NÃO APENAS PELOS SEUS INTELECTOS MEDIEVAIS, MAS TAMBÉM PELA VOCAÇÃO DE ENVIAREM SEUS MÁRTIRES PARA O CENTRO DA TERRA, A SETE PALMOS DA SUPERFÍCIE.
    VOCÊS QUE FOREM MASOQUISTAS OU SOFREREM DA SÍNDROME DE ESTOCOLMO, APOIEM-NOS!

    *Donde procede a palavra DELEGADO? Consta que, etimologicamente, tal vocábulo é oriundo de um diálogo entre uma matuta e um chefe de polícia. Tendo seus porcos, ovelhas e reses furtadas. A vítima procurou o posto policial para registrar a queixa, mas o ladrão já teria buscado primeiro o sheriff, com quem dividiu o produto de roubo.
    Quando a caipira foi ter com o “delegatuno”, ele, de pronto, hostilizou-a: “Puxe daqui Sua velha fedorenta! Porcos, ovelhas, reses; tudo pertence a mim.”
    Ao chegar em casa, cabisbaixa, a senhora narrou a audácia do escroque a seus familiares: “O doutor me disse que é dele porco, é dele ovelha e que é DELE GADO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens