Fechar
Buscar no Site

Absurdo! Vereadora de Pedreiras sofre violência política por colega que perde as estribeiras

O quiproquó entre os vereadores Emanuel Nascimento (PL) e Katyane Leite (PTB) se transformou no principal assunto da cidade de Pedreiras. O vídeo que registra o vereador tomando o microfone da colega, durante um bate-boca na sessão ordinária da Câmara desta quarta (6), viralizou nas redes sociais (veja acima).

Durante a discussão, Emanuel Nascimento (foto abaixo) altera a voz, se levanta da cadeira e vai em direção à colega Katyane Leite. Exaltado, o edil toma por duas vezes o microfone da vereadora, impedindo-a de se manifestar.

Vereador Emanuel Nascimento

Ao tentar mais uma vez usar a palavra, desta vez usando o microfone da presidente da Câmara, Marly Tavares (Solidariedade), é possível ouvir a vereadora afirmando “violência política!”.

O marido de Katyane Leite, o ex-vereador Cacimbão, ficou na saída do prédio da Câmara para tomar satisfação com o vereador Emanuel Nascimento. Depois o clima se apaziguou e a confusão não foi pra frente.

Vereadora Katyane Leite e o marido ex-vereador Cacimbão

O caso gerou repercussão no município. As informações são do blog do Carlinhos Filho 

Veja abaixo a declaração do vereador Emanuel sobre o incidente:

“Na semana passada a vereadora Katyanne Leite entrou com o projeto de políticas públicas para autistas e seus familiares, que nós reprovamos. Desde então, ela vem jogando na mídia a visão de que nós somos “os anticristos”. Votamos e reprovamos sim. A Associação de Amigos do Autista (AMA) já publicou uma nota reconhecendo que nós votamos corretamente, pois o projeto era inconstitucional, vindo até mesmo com o cabeçalho e a logomarca de Trizidela do Vale. A vereadora simplesmente pegou o deles e “tacou” aqui na Câmara, acredita?

Para completar, ela atingiu bastante o Vereador Neguinho e a todos nós, jogando nossos nomes contra a população em geral. Várias mães me ligaram queixosas e chateadas, sendo que apenas queremos que o projeto venha do executivo, como tem que vir, assim iremos aprovar.

Na câmara, fiz reclamações por ela ter nos jogado contra a população, sendo que eu já fui vereador por 12 anos e nunca vi ninguém votar contra um projeto que beneficiasse o povo, jamais. Já fui vereador com Allan, Elilde, oposicionistas ferrenhos, mas todos se respeitaram, quando vinha um projeto de interesse da população e aprovávamos.

Ela, no início deste ano, pediu vista do projeto, para que fizéssemos concessão do terreno que hoje é o Parque João do Vale. Isso serviria para bloquear o prazo do início das obras do parque, sendo que ela queria protelar. Quando disse isso ela ficou zangada, dizendo que ia me processar por uma suposta mentira, gerando toda essa celeuma.

Nas explicações pessoais eu me defendi, então ela quis ter uma réplica, foi quando agi e puxei o microfone por duas vezes. Não agredi ninguém, além disso, não fiz nada demais, em Câmaras aconteceram coisas muito piores e não encostei em um fio de cabelo da vereadora. Ela, teimosamente, pegou o microfone da presidente, isso não existe! Vi que, assim como a imprensa, ela gosta de fazer sensacionalismo.”

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens