Fechar
Buscar no Site

A entrevista de Sarney, o conceito de verdade e as mentiras que antecederam os fake news

Por Luís Nassif – Foi excepcional a entrevista do ex-presidente José Sarney a Ana Dubeux e Denise Rothenburg, do Correio Brasiliense. Sarney é um dos melhores analistas dos ventos políticos, não apenas o dia-a-dia da política, mas das modificações trazidas pelas transformações sociais e tecnológicas.

Sarney tem uma capacidade de análise que, por exemplo, falta a Fernando Henrique Cardoso.  Em cada tema, sabe identificar o ponto central e ter a explicação lógica para encaixá-lo no cenário mais amplo. É até curioso esse paradoxo, do político tido como paradigma do coronel político formular a análise mais sofisticada, enquanto o “Príncipe”, representante da inteligência paulistana não consegue sair dos bordões midiáticos, nesse jogo de “in” e “out” que caracteriza a pauperização do debate político. Falar em combater a pobreza é “in”. Combater a pobreza é “out”.

Em 2009 tive uma conversa com Sarney, na qual analisou com maestria a perda de influência do político para as organizações que surgiam da sociedade e da mídia para as novas formas de comunicação. Em plena pré-campanha eleitoral de 2010, cantou o fim do PSDB, por usar como única arma o discurso do ódio. O fenômeno das redes sociais ainda não se alastrara, não havia Lava Jato nem a epidemia dos fake news, presentes na nova análise de Sarney.

Na entrevista ao Correio Braziliense, Sarney coloca no centro da crise o desmanche institucional dos três poderes e a ascensão deletéria do 4º poder, o Ministério Público, e da pós-verdade, os fake news das redes sociais, que acabaram com a “verdade”.

Não aprofunda o que seria esse conceito, a “verdade” antes dos fake news. E reside nesse conceito, da transformação de dogmas em “verdades”, da incapacidade de se ter uma visão sistêmica dos problemas nacionais, a raiz dos problemas brasileiros, a enorme dificuldade de renovar conceitos, de sofisticar análises, de interpretar a realidade.

A discussão pública brasileira jamais conseguiu ir além do bordão, do alvo único. Governar é abrir estradas; ou o Brasil acaba com a saúva, ou a saúva acaba com o Brasil; se um ajuste fiscal rigoroso derruba a economia, um mais rigoroso ainda trará o desenvolvimento.

As análises dos “especialistas” sempre se moldaram aos interesses imediatos dos patrocinadores, pautando todas as discussões no período. E, como sempre havia uma intenção política por trás do debate público, amoldava-se a realidade e as teorias aos interesses dos patrocinadores.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

3 respostas para “A entrevista de Sarney, o conceito de verdade e as mentiras que antecederam os fake news”

  1. josé disse:

    O último VICE REI OLIGARCA bilionário do Maranhão,um honoravel que tornou bilionário somente na política,eternamente IMPUNE e recebendo as honrarias da Terra.O presidente JAIR MESSIAS BOLSONARO,honrado,honesto,patriota,verde amarelo, FICHA LIMPA e SEM RABO PRESO apavora , amedronta, causa pânico dos eternos e IMPUNES corruptos da politica….que atacam de todas as maneiras….mas Não adianta….DEUS NO COMANDO DO BRASIL. Brasil acima de tudo Deus acima de todos.

  2. Não disse que é dele que você tira seu soldo! Kkkkkk
    Quando o maior politico da história do país falecer , o que espero que ainda leve muitos anos, eu estarei lá próximo de seu esquife, e tenho certeza que verei você la perto tbm, John,disputando uma alça da arca que embalsamará esse grande homem. Só nao tente pegar na alça, John,esse gostinho não lhe permitirei.
    Quanto ao choro,vc poderá soluçar à vontade.

    Resposta: kkkkk tá bom, vou lhe dá esse prazer de sozinho fazer isso. Mas espero que não aconteça tão cedo, pois desejo vida longa ao senador Sarney.

  3. Ryan disse:

    O período da escravidão – 350 anos deixou marcas profundas na alma maranhense. Até hoje a idolatria e vassalagem pelo SINHOZINHO e SINHAZINHA Bilionários as custas do terrível sofrimento do povo maranhense e brasileiro— bilhões caídos milagrosamente do céu…..e ainda encontra maranhenses– (o estado mantido o mais miserável do Brasil—- ) maranhenses que se recusam analisar a história do Maranhão e do sofrimento imposto na marra ao povo ,durante 50 anos de OLIGARQUIA bilionaria CLEPTOCLA.Mas o mais importante ainda está por vir…..O acerto com Deus… inevitável…e como Deus sabe de tudo …. séculos de sofrimentos nas trevas onde há choro e ranger de dentes. É a lei divina – #PLANTOU TERÁ QUE COLHER#Vamos acordar da ignorância e fantasia.Vamos ser cidadãos na defesa do bem,do honesto,da ética,da cidadania e esquecer os Bilionários HONORAVEIS……

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens