Fechar
Buscar no Site

“Faço política, não faço negociações”, afirma Weverton Rocha

Na tarde desta sexta-feira (20) o deputado federal Weverton Rocha recebeu, em seu escritório político no bairro do Renascença, em São Luís, um grupo de jornalistas para uma coletiva sobre os últimos acontecimentos no PDT. Entre as declarações do deputado, que estava calado sobre a situação do partido no estado foi a de que o ex-presidente Igor Lago estava conduzindo a legenda à revelia da direção nacional.

“Foram feitas quase 40 convenções municipais sem levar em conta o que prevê o Estatuto do partido, onde essas convenções têm que ser previamente agendadas e aprovadas pela Executiva Nacional”, afirmou Weverton.

Segundo Weverton, existem hoje dois grupos dentro do PDT maranhense. “O nosso quer o ex-deputado Julião Amim para a presidência e o outro quer a renovação da provisória para o Igor Lago. Outras frentes também existem como a do Rubem Brito, que quer apostar em um terceiro nome. Vamos discutir”, esclareceu.

Rocha garante que não vê problema em discutir a legitimidade dos companheiros. Para ele, todos, com exceção do médico Igor Lago, têm condições de disputar o espaço de presidente do partido. “Não adianta é apontar o dedo e tentar desqualificar os companheiros”, declarou o deputado. E completou: “não vou admitir que uma pessoa que não mora no Maranhão chegue aqui e diga: eu sou o filho, e sou o herdeiro, eu tenho que entrar, o partido é meu! Não é por aí, tem que se conversar”, ressaltou.

Quanto às declarações feitas por Moacir Feitosa, ex-presidente municipal do PDT, de que ele estaria junto com Julião Amim querendo negociar o partido, Weverton garante que “não é bem assim” e relembra que Moacir Feitosa já participou de vários partidos e sempre se beneficiou em cargos públicos. “Ele foi secretário do prefeito João Castelo e quando saiu para disputar a eleição de deputado e perdeu, não conseguiu voltar mais para o governo. A partir daí Castelo passou então a não prestar. Moacir entende melhor de negociações do que eu”, disparou.

De acordo com o deputado suas diferenças com Igor Lago são de ordem política. “Minha questão com ele é política, nós estamos discutindo política com alguém que não tem nenhuma formação política, e nós estamos em um partido político”, frisou.

Sobre a confusão envolvendo Moacir Feitosa e alguns membros da militância do partido, durante reunião na sede do partido na última quinta-feira, 19, Weverton disse que nestes tipos de debates geralmente os ânimos se acirraram.

“Somos um partido de massas, de militantes, eu lamento porque dizem que a juventude do partido fez arruaça lá. Isso não é verdade, acontece que na nossa militância todos são iguais, tem o mesmo tamanho. Não dá para você apontar o dedo para alguém e achar que vai dizer o que quer e que não vai ouvir nada”, ponderou.

Weverton Rocha finalizou a entrevista coletiva dizendo esperar que os ânimos se acalmem. “Somos companheiros, a gente sempre se respeitou, a gente sempre teve uma linha de convivência tranquila, então eu espero que mais uma vez a gente consiga tocar o nosso PDT com a sabedoria e tranquilidade necessárias”, concluiu o deputado.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

7 respostas para ““Faço política, não faço negociações”, afirma Weverton Rocha”

  1. Inácio Augusto de Almeida disse:

    A moda do PT pegou.
    Consegue-se o apoio da Executiva Nacional e o diretório estadual passa a ser um zero depois da vírgula.
    Eu não duvido que este W.R. queira o controle do PDT para se juntar a Sarney.
    Conversinha já dizia que o que não acontecer no Maranhão não acontece em lugar nenhum.
    Aí teremos no apoio ao Washington o PT, o PMDB, o PC do B e o PDT. Além de outros pequenos partidos.
    É o trator do Governo Federal, dirigido por Sarney, se fazendo sentir.

  2. Ricardo disse:

    Impressionante, como ainda tem gente que dá importância a um vagabundo desse. Só aqui no Maranhão acontece essas asneiras.

  3. iramar disse:

    Faz gatunagem tambem.

  4. CARLOS OCIRAN disse:

    É no mínimo contraditório o que afirma Weverton Rocha quando afirma:

    “Não adianta é apontar o dedo e tentar desqualificar os companheiros”

    Para em seguida desqualificar Igor Lago:

    “não vou admitir que uma pessoa que não mora no Maranhão chegue aqui e diga: eu sou o filho, e sou o herdeiro, eu tenho que entrar, o partido é meu! Não é por aí, tem que se conversar”.

    Falta-lhe coerência e ética. Por que não fala a verdade e revela os reais motivos dessa peleja? Falta coragem também?

  5. mauro bitencurt disse:

    Rapaz, Dr. Jackson não merece isso. Depois de tudo que o Jackson fez pra esses dois (Weverton e Julião), eles ainda tem coragem de querer tomar o PDT a força, em detrimento de tudo e todos. Esses pilantras vivem da traição, foram forjados nela e vão continuar assim. O bom é que agora não existem mais máscaras, ta tudo as claras. Weverton e Julião são dois bandidos e se merecem. Apesar de não conhecer o médico Igor Lago e achar que pecou em suas declarações, isso não pode ser motivo suficiente p ser escorraçado e banido do PDT. Pelo que sei, Igor deu enorme contribuição p a reestruturação do partido, que hj já se encontra em 213 municípios.

  6. Inácio Augusto de Almeida disse:

    Mauro
    “O bom é que agora não existem mais máscaras, tá tudo às claras.”
    Esta sua frase diz tudo.
    As máscaras destes falsos oposicionistas caíram por completo.
    Flávio Dino subordinado ao Gastão. Gastão que é um ministro da cota do Sarney.
    Este W.R. fazendo o que está fazendo.
    O PT totalmente entregue a Sarney.
    Só restam alguns poucos. Mas estes poucos que restam são isolados pelos oposicionistas de araque.
    Nota-se que há um esforço para manter longe da mídia os oposicionistas verdadeiros.
    Qual a última notícia com Eliziane Gama?
    Qual a última notícia com Haroldo Sabóia?
    Colocaram o Bira numa frigideira.
    Se ganhar as prévias não terá o apoio do PMDB e dos demais partidos aliados. Seguramente sua eleição não acontecerá.
    Se perder as prévias terá que apoiar o candidato do Sarney por força da FIDELIDADE PARTIDÁRIA, até porque disputou as prévias, aceitou o jogo “democrático”. E negar apoio ao candidato do Sarney vai ser considerado uma traição. E terminará sendo EXPULSO do partido.
    Pode o Grupo Sarney perder para uma oposição de araque como esta?

  7. Luis malaquias Jr disse:

    John,
    Brincadeira Ne!!!!!!!!!
    Esse escritório político, com certeza foi comprado com o dinheiro
    Do Ginásio Costa Rodrigues.
    Um malandro desse naipe deveria ta na cadeia e nao dando entrevistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens