Fechar
Buscar no Site

CGJ do TJMA adere à campanha “Destralhe – mais sustentabilidade e menos desperdício”

Os desembargadores Jorge Rachid, presidente da Comissão Gestora do Plano de Logística Sustentável do Tribunal de Justiça do Maranhão, e Marcelo Carvalho Silva, corregedor-geral, lançaram na manhã desta segunda-feira (11) para magistrados e servidores da Corregedoria Geral da Justiça (CGJ-MA), a campanha “Destralhe – mais sustentabilidade e menos desperdício”, durante palestra realizada no Centro Administrativo do Poder Judiciário (Centro).

Durante o ato, o desembargador Jorge Rachid apresentou as ações desenvolvidas pelo Núcleo Socioambiental do TJ, falou sobre os eixos do Plano de Logística Sustentável do Judiciário (PLS), e da Resolução n.º 201/15 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que dispõe sobre a criação e competências das unidades ou núcleos socioambientais nos órgãos e conselhos do Poder Judiciário.

O desembargador também chamou atenção para o papel de cada cidadão na defesa dos recursos naturais, com a adoção do uso racional de energia, água, insumos; descarte adequado dos materiais e defesa de rios e mares limpos e do patrimônio ambiental da cidade.“A nossa intenção é apresentar a vocês o que já foi feito, o que está em andamento, e o que podemos fazer juntos, e melhor, para reduzir o desperdício e nos tornarmos mais sustentáveis no trabalho, no lar e na cidade onde vivemos”, frisou Rachid.

O corregedor Marcelo Carvalho falou sobre as visitas que têm realizado às comarcas do interior do Estado, onde vem constatando problemas com acúmulo de bens móveis em fóruns e delegacias, e a priorização da atual gestão da CGJ na resolução destes problemas, dando destino e descarte (quando o caso) corretos aos bens apreendidos. “Estamos assinando um termo de cooperação com o Tribunal de Justiça e Secretaria de Segurança Pública, para resolvermos de vez esse problema”, pontuou o desembargador.

Para o servidor da CGJ, Juan Aguilar, a palestra sobre o plano de sustentabilidade do TJ foi muito esclarecedora, e deu a oportunidade para conhecimento da amplitude que o Judiciário tem trabalhado em defesa do Meio Ambiente e dos recursos naturais. “Na Assessoria Jurídica já temos essa sensibilidade, e a partir de agora intensificaremos o consumo sustentável, nos desfazendo dos objetos que não mais utilizamos”, assinalou Aguilar.

Participaram do evento os juízes auxiliares da CGJ, Francisca Galiza; Kariny Reis; e Raimundo Bogéa; e a juíza Ana Lucrécia Reis, da Central de Inquéritos e Custódia de Imperatriz.

DESTRALHE – Na prática, a ação vai receber o que está sem uso pelos setores. Para isso, os materiais de expediente poderão ser devolvidos nos containers disponibilizados nos prédios centrais das comarcas, TJ, CGJ e Fórum de São Luís. Na tarde desta terça-feira (12), um veículo da campanha “Destralhe” esteve disponível para transportar os materiais permanentes em desuso nos setores da CGJ.

Nas unidades judiciais com número menor de servidores e setores, a separação pode ser feita no próprio local para coleta pelo Núcleo Socioambiental, conforme agendamento pela unidade.

Já os materiais de informática, como toners, impressoras, monitores, estabilizadores, nobreaks e outros, poderão ser devolvidos por meio de ofício para a Diretoria de Informática. Em relação aos materiais permanentes, como móveis, cadeiras e mesas, a devolução também pode ocorrer pelo Digidoc no assunto “Devolução de Material Permanente”.

Fonte: e-mail da AssCom

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens