Fechar
Buscar no Site

Os pregoeiros da Ilha de São Luís

O título acima foi usado num samba-enredo do bloco de carnaval Turma do Lamê, da Vila Gracinha, próximo ao Caminho da Boiada e da Rua do Passeio, no centro de São Luís, no começo dos anos 80. Um dos compositores é o meu querido amigo – engenheiro da CAEMA – Fernando Bitencourt. E a letra, pelo menos do que me lembro, é a seguinte:

Deixa a porta do tempo se abrir que o passado vai surgir com todo esplendor

Lembrando personagens maranhenses de grande valor

Aquela gente humilde e cortês que batia em sua porta lhe chamando de freguês

De cofo nas costas e pés no chão

Olha peixe-pedra sururu e camarão

Mas eram gritos de rara beleza

Soavam com tanta certeza

Vai querer hoje minha freguesa

Tem quebra-queixo maxixe e quiabo

Tem vinagreira farinha e limão-cravo

Carvão de varinha o carvoeiro a gritar

E o sorveteiro a meninada a chamar

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

mais / Postagens